quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Catolicismo Romano

Lição 07: domingo, 16 de fevereiro de 2014
Texto Áureo
“Mas o nosso Deus está nos céus; ele faz tudo o que lhe apraz”. (Salmos 115.3)
Verdade Aplicada
A oração cristã tem como alvo Deus, mediado pelo único intercessor: Jesus Cristo, que está nos céus à destra do Pai Celestial.
Objetivos da Lição
  • Mostrar que a Igreja Católica Romana abandonou os princí­pios bíblicos, culminando com a necessidade de uma reforma;
  • Refutar as idolatrias do Cato­licismo Romano;
  • Combater as heresias da Igreja Católica.
Textos de Referência
(Almeida Revisada)
Salmos 115:4   Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos do homem.
Salmos 115:5   Têm boca, mas não fa­lam; têm olhos, mas não veem;
Salmos 115:6   Têm ouvidos, mas não ouvem; têm nariz, mas não cheiram;
Salmos 115:7   Têm mãos, mas não apalpam; têm pés, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta.
Salmos 115:8   Semelhantes a eles sejam os que fazem, e todos os que neles confiam.
(Nova Versão Internacional)
Salmos 115:4   Os ídolos deles, de prata e ouro, são feitos por mãos humanas.
Salmos 115:5   Têm boca, mas não podem falar, olhos, mas não podem ver;
Salmos 115:6   têm ouvidos, mas não podem ouvir, nariz, mas não podem sentir cheiro;
Salmos 115:7   têm mãos, mas nada podem apalpar, pés, mas não podem andar; nem emitem som algum com a garganta.
Salmos 115:8   Tornem-se como eles aqueles que os fazem e todos os que neles confiam.
(NTLH)
Salmos 115:4   Os deuses das outras nações são de prata e de ouro, são feitos por seres humanos.
Salmos 115:5   Eles têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem.
Salmos 115:6   Têm ouvidos, mas não ouvem; têm nariz, mas não cheiram.
Salmos 115:7   Têm mãos, mas não podem pegar; têm pés, mas não andam; e da garganta deles não sai nenhum som.
Salmos 115:8   Que fiquem iguais a esses ídolos aqueles que os fazem e os que confiam neles!”

Leituras complementares (NVI)
ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos".
Mateus 28:20
Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,
1 Timóteo 2:5
Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie.
Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos.
Efésios 2:8-10
Não é este o filho do carpinteiro? O nome de sua mãe não é Maria, e não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?
Mateus 13:55
Os filhos ajuntam a lenha, os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa e fazem bolos para a Rainha dos Céus. Além disso, derramam ofertas a outros deuses para provocarem a minha ira.
Jeremias 7:18
Nossos antepassados adoraram neste monte, mas vocês, judeus, dizem que Jerusalém é o lugar onde se deve adorar".
Jesus declarou: "Creia em mim, mulher: está próxima a hora em que vocês não adorarão o Pai nem neste monte, nem em Jerusalém.
Vocês, samaritanos, adoram o que não conhecem; nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus.
No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura.
Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade".
João 4:20-24

Textos do corpo da lição (NVI)
Introdução
1. Os primórdios da Igreja Católica
1.1. A romanização da Igreja
não caluniem a ninguém, sejam pacíficos e amáveis e mostrem sempre verdadeira mansidão para com todos os homens.
Tito 3:2
1.2. A apostasia dos sucessores dos apóstolos
Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,
1 Timóteo 2:5
1.3. O protestantismo e a reforma da Igreja Católica Romana

2. O Catolicismo Romano e a idolatria
2.1. A mariolatria
Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.
Salmos 51:5
pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,
Romanos 3:23
Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.
Mateus 1:25
Não é este o filho do carpinteiro? O nome de sua mãe não é Maria, e não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?
Não estão conosco todas as suas irmãs? De onde, pois, ele obteve todas essas coisas? "
Mateus 13:55-56
Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus.
Salmos 90:2
O anjo, aproximando-se dela, disse: "Alegre-se, agraciada! O Senhor está com você! "
Lucas 1:28
Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade. João 1:14
2.2. Culto dos santos
Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus.
Filipenses 4:6
E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no Filho.
João 14:13
Naquele dia vocês não me perguntarão mais nada. Eu lhes asseguro que meu Pai lhes dará tudo o que pedirem em meu nome.
Até agora vocês não pediram nada em meu nome. Peçam e receberão, para que a alegria de vocês seja completa.
João 16:23-24
Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos nada sabem; para eles não haverá mais recompensa, e já não se tem lembrança deles.
Eclesiastes 9:5
Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,
1 Timóteo 2:5

Jesus lhe disse: "Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste culto’".
Mateus 4:10
Mas ele me disse: "Não faça isso! Sou servo como você e seus irmãos, os profetas, e como os que guardam as palavras deste livro. Adore a Deus! "
Apocalipse 22:9
Quando Pedro ia entrando na casa, Cornélio dirigiu-se a ele e prostrou-se aos seus pés, adorando-o.
Mas Pedro o fez levantar-se, dizendo: "Levante-se, eu sou homem como você".
Atos 10:25-26

2.3. As imagens de escultura
com dois querubins de ouro batido nas extremidades da tampa.
Êxodo 25:18
Faça um querubim numa extremidade e o segundo na outra, formando uma só peça com a tampa.
Êxodo 25:19
Porá o incenso no fogo perante o Senhor, e a fumaça do incenso cobrirá a tampa que está acima das tábuas da aliança, a fim de que não morra.
Levítico 16:13
"Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra.
Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam,
Êxodo 20:4-5
"Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra ou nas águas debaixo da terra.
Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o Senhor, o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelo pecado de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam,
Deuteronômio 5:8-9
O povo, ao ver que Moisés demorava a descer do monte, juntou-se ao redor de Arão e lhe disse: "Venha, faça para nós deuses que nos conduzam, pois a esse Moisés, o homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu".
Respondeu-lhes Arão: "Tirem os brincos de ouro de suas mulheres, de seus filhos e de suas filhas e tragam-nos a mim".
Êxodo 32:1-2

3. Heresias do Catolicismo
3.1. Batismo de crianças
Uma das que ouviam era uma mulher temente a Deus chamada Lídia, vendedora de tecido de púrpura, da cidade de Tiatira. O Senhor abriu seu coração para atender à mensagem de Paulo.
Tendo sido batizada, bem como os de sua casa, ela nos convidou, dizendo: "Se os senhores me consideram uma crente no Senhor, venham ficar em minha casa". E nos convenceu.
Atos 16:14-15
Naquela mesma hora da noite o carcereiro lavou as feridas deles; em seguida, ele e todos os seus foram batizados.
Atos 16:33
Ou vocês não sabem que todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados em sua morte?
Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.
Se dessa forma fomos unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente o seremos também na semelhança da sua ressurreição.
Romanos 6:3-5
Completando-se os oito dias para a circuncisão do menino, foi-lhe posto o nome de Jesus, o qual lhe tinha sido dado pelo anjo antes de ele nascer.
Lucas 2:21
Assim que Jesus foi batizado, saiu da água. Naquele momento os céus se abriram, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele.
Mateus 3:16

Então disse Jesus: "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas".
Mateus 19:14
E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos os de sua casa.
Atos 16:32

3.2. Instituição do Purgatório
Eu lhe garanto que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo".
Mateus 5:26

"Entre em acordo depressa com seu adversário que pretende levá-lo ao tribunal. Faça isso enquanto ainda estiver com ele a caminho, pois, caso contrário, ele poderá entregá-lo ao juiz, e o juiz ao guarda, e você poderá ser jogado na prisão.
Eu lhe garanto que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo".
Mateus 5:25-26
"Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo?
Quando algum de vocês estiver indo com seu adversário para o magistrado, faça tudo para se reconciliar com ele no caminho; para que ele não o arraste ao juiz, o juiz o entregue ao oficial de justiça, e o oficial de justiça o jogue na prisão.
Eu lhe digo que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo".
Lucas 12:57-59

3.3. A oração pelos mortos
Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens;
pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.
1 Timóteo 2:1-2
Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo,
Hebreus 9:27

Conclusão

Plano de aula expositiva (em PDF)- Editora Betel

202 comentários:

  1. Uma coletanea interessante, um tanto quanto confusa e, possivelmente, mal direcionada.
    É um estudo, uma lição, um proposta de aprofundamento ? (lamento: mas parece-me equivocada e à margem de qualquer proposta assim). Vale a discussão !

    Permita-me passar uma impressão. Da forma que se encontra postada, corre-se o risco de se criar uma confusão.
    Veja bem, o fato de extrair-se textos biblicos de forma isolada, em contextos diferentes, culmina-se na criação de um pretexto para justificar as suas próprias razões.

    De qualquer forma, como tudo sempre é aproveitável, maravilhe-se e persevere nos estudos bíblicos, na alegria do Senhor Jesus e com a abertura de coração. Pedindo sempre para que infunde em todo o nosso ser a alegria de termos a Jesus como nosso único intermediador e salvador.

    Como diria São Francisco de Assis: "pregai o evangelho em todos os lugares e se necessário utilize palavras".
    Tenham uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Assumindo o jeito de viver do Mestre Divino, oremos com São Patrício:
    Cristo comigo,
    Cristo à minha frente,
    Cristo atrás de mim,
    Cristo em mim,
    Cristo à minha direita,
    Cristo à minha esquerda,
    Cristo ao me deitar,
    Cristo ao me sentar,
    Cristo ao me levantar,
    Cristo no coração de todos os que pensarem em mim,
    Cristo na boca de todos que falarem em mim,
    Cristo em todos os olhos que me virem,
    Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem.

    ResponderExcluir
  3. Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com um ato de fé:
    Mestre, caminho entre o Pai e nós, tudo vos ofereço e de vós tudo espero.
    Jesus, caminho da santidade, tornai-me vosso fiel seguidor.
    Jesus caminho, tornai-me perfeito como o Pai que está nos céus.
    Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.
    Jesus vida, não permitais que eu me separe de vós.
    Jesus Vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.
    Jesus verdade, que eu seja luz para o mundo.
    Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante das pessoas.
    Jesus vida, fazei que minha presença contagie
    a todos com o vosso amor e a vossa alegria.

    ResponderExcluir
  4. Sou discípulo/a de Jesus Cristo? Estou decidido/a, no ritmo de vida que levo a:
    1º Renunciar a mim mesmo;
    2º Tomar a minha cruz ou
    3º Seguir Jesus?
    Seguir Jesus é aceitar o sacrifício. tomar sua cruz e estar pronto a sofrer e morrer como Jesus. Isto é conversão, assim definida pelos Bispos da América Latina: “A Conversão: É a resposta inicial de quem escutou o Senhor com admiração, crê nele pela ação do Espírito, decide-se ser seu amigo e ir após Ele, mudando sua forma de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida. No Batismo e no sacramento da reconciliação se atualiza para nós a redenção de Cristo” (DAp 178,b).
    Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
    Mestre:
    a tua vida me traça o caminho;
    a tua doutrina
    confirma e ilumina os meus passos;
    a tua graça me sustenta e me acompanha
    no caminho do céu.
    Tu és perfeito Mestre:
    dás exemplo, me ensinas
    e me animas no teu seguimento.
    Tenham todos um maravilhoso e abençoado final de semana!
    A Paz de Cristo, irmãos!

    ResponderExcluir
  5. - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
    Hoje rezamos:
    Jesus Mestre, que dissestes:
    "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
    Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione).
    Amados irmãos, tenham uma maravilhosa semana!
    Essa é a Semana da Família. Oremos por todas as famílias!

    ResponderExcluir
  6. Espírito Santo
    que procede do Pai e do Filho,
    tu estás em nós, falas em nós,
    rezas em nós, ages em nós.
    Te pedimos: ajuda-nos a fazer espaço às tuas palavras,
    à tua oração, para que possamos conhecer
    o mistério da vontade de Deus na história.
    Acende em nós aquele mesmo fogo
    que ardia no coração de Jesus,
    quando ele falava do reino de Deus.
    Somente tu, Espírito Santo, podes acendê-lo
    e a ti, portanto, apresentamos a nossa fragilidade,
    a nossa pobreza, o nosso coração apagado,
    para que tu o reacendas com o calor da santidade da vida,
    do amor fraterno e da potência do Reino.
    Amém.

    ResponderExcluir
  7. Às vezes, erramos. Os outros também erram. Ninguém está isento de errar, pecar. Jesus ensina como tratar a pessoa que errou na comunidade. O primeiro passo é falar com a própria pessoa, dialogando, ouvindo suas explicações e clareando as causas do erro. Se a pessoa não admite seu erro, o segundo passo: dialogar sobre o fato tendo como testemunhas uma ou duas pessoas. E se a pessoa, ainda assim, recusar a se converter, Jesus sugere o terceiro passo: contar tudo à comunidade. Mas, se ela não ouvir também à Igreja, que seja tratada como um pagão, ou seja, esta pessoa não é cristã, não vive como cristã, não tem porque estar no meio da comunidade. E Jesus fala, por outro lado, da maravilha que é estar juntos, em comunidade, e juntos orar. Ele garante que está no meio deles: "onde dois ou três estão juntos em meu nome, eu estou ali com eles”
    Em Aparecida, os bispos afirmaram:
    “Faz-se, pois, necessário propor aos fiéis a Palavra de Deus como dom do Pai para o encontro com Jesus Cristo vivo, caminho de “autêntica conversão e de renovada comunhão e solidariedade” (DAp 248).
    É assim que assumo a Palavra de Deus? É minha referência que me motiva à conversão, me impulsiona à comunhão e solidariedade?

    ResponderExcluir
  8. Mostrai-me, Senhor, vossos caminhos,
    e fazei-me conhecer a vossa estrada!
    Vossa verdade me oriente e me conduza,
    porque sois o Deus da minha salvação.
    Recordai, Senhor Deus,
    vossa ternura e vossa compaixão que são eternas.
    De mim lembrai-vos, porque
    sois misericórdia e sois bondade sem limites, ó Senhor!

    Lemos com calma e atentamente, na Bíblia: Mt 18,21-19,1.
    O perdão só é possível a quem ama. Deus ama a cada pessoa com seu amor infinito. Ama, com capacidade de perdoar, quem se sente amado por Deus. À pergunta de Pedro: "Senhor, quantas vezes devo perdoar o meu irmão que peca contra mim? Sete vezes? " Jesus disse que não só sete vezes, mas setenta vezes sete. Ou seja, na comunidade dos seguidores de Jesus não existe limite para o perdão. "Setenta vezes sete" quer dizer, sempre! A história que Jesus conta em seguida é para lembrar que também nós precisamos de perdão, também nós somos perdoados, por isso, devemos perdoar sempre.
    O Evangelho de hoje me questiona profundamente, sobretudo se tenho dificuldade de perdoar. Devo me lembrar de que o perdão mede a minha capacidade de amar.
    São Paulo fala sobre o amor cristão, em 1Cor 13, 4-7.Diz ele:
    "Quem ama é paciente e bondoso.
    Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso.
    Quem ama não é grosseiro nem egoísta;
    Não fica irritado, nem guarda mágoas.
    Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Que ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência. "
    "O sacramento da reconciliação é o lugar onde o pecador experimenta de maneira singular o encontro com Jesus Cristo, que se compadece de nós e nos dá o dom de seu perdão misericordioso, faz-nos sentir que o amor é mais forte que o pecado cometido, nos liberta de tudo o que nos impede de permanecer em seu amor, e nos devolve a alegria e o entusiasmo de anunciá-lo aos demais com o coração aberto e generoso."( DAp 254)

    ResponderExcluir
  9. Não se pode pôr limite à disposição de perdoar.


    O evangelho de hoje é o último trecho do discurso sobre a Igreja. À pergunta de Pedro, porta-voz do grupo dos discípulos, sobre quantas vezes se devia perdoar o irmão reincidente no seu pecado, Jesus responde com a parábola do devedor implacável ou sem compaixão. Pedro certamente pensa ser generoso ao indicar a cifra sete como número de vezes para perdoar alguém. Mas, corrigindo Pedro, Jesus diz “setenta vezes sete”. Isso significa que não se pode pôr limite à disposição de perdoar. As cifras “sete” e “setenta vezes sete” evocam Gn 4,24. À cadeia de vingança e violência, Jesus opõe a fraternidade disposta a perdoar sem limite. A razão do por que não se deve colocar limite ao perdão é dada na parábola do devedor sem compaixão. O sentido de toda a parábola se encontra na boca do próprio monarca (vv. 32-33): o devedor de uma soma incalculável devia perdoar seu semelhante, que lhe devia uma quantia irrisória, porque ele mesmo tinha sido beneficiado pela generosidade do rei. De certo modo, o servo sem compaixão fere seu senhor, pois a sua atitude impiedosa em relação ao seu semelhante demonstra a sua total incompreensão em relação à graça que ele mesmo recebeu. A lição é clara: é necessário perdoar de coração o irmão, como Deus perdoa generosamente a cada um.

    Carlos Alberto Contieri, sj

    ResponderExcluir
  10. Os gestos de Jesus que são fundamentais para uma vida cristã. Os bispos, em Aparecida, recordaram:
    "O fato de sermos amados por Deus enche-nos de alegria. O amor humano encontra sua plenitude quando participa do amor divino, do amor de Jesus que se entrega solidariamente por nós em seu amor pleno até o fim (cf. Jo 13,1; 15,9). O amor conjugal é a doação recíproca entre um homem e uma mulher, os esposos: é fiel e exclusivo até a morte e fecundo, aberto à vida e à educação dos filhos, assemelhando-se ao amor fecundo da Santíssima Trindade. O amor conjugal é assumido no Sacramento do Matrimônio para significar a união de Cristo com sua Igreja. Por isso, na graça de Jesus Cristo ele encontra sua purificação, alimento e plenitude ( Ef 5,23-33)." (DAp 117).
    Rezo, a Oração da Paz pedindo esta paz para as famílias.
    Senhor,
    Fazei-me um instrumento de vossa paz.
    Onde houver ódio, que eu leve o amor;
    Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
    Onde houver discórdia, que eu leve a união;
    Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
    Onde houver erro, que eu leve a verdade;
    Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
    Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
    Onde houver trevas, que eu leve a luz.
    Ó Mestre,
    Fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado;
    Compreender, que ser compreendido;
    Amar, que ser amado,
    Pois é dando que recebe,
    É perdoando que se é perdoado,
    E é morrendo que se vive para a vida eterna.

    Amados irmãos em Cristo Jesus, tenham todos um maravilhoso e abençoado final de semana!

    ResponderExcluir
  11. Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
    Trindade Santíssima - Pai, Filho, Espírito Santo - presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser, eu vos adoro, amo e agradeço.

    Qualquer que seja minha vocação: leigo, religioso, religiosa, sacerdote, devo estar dentro do Projeto de Deus. Digo, no dia-a-dia, "sim" ao plano de Deus para mim? Ou, ignoro este projeto? Especificamente para os religiosos, os bispos da América Latina disseram: "a vida consagrada é chamada a ser uma vida discipular, apaixonada por Jesus-caminho ao Pai misericordioso, e por isso, de caráter profundamente místico e comunitário. É chamada a ser uma vida missionária, apaixonada pelo anúncio de Jesus-verdade do Pai, por isso mesmo, radicalmente profética, capaz de mostrar a luz de Cristo às sombras do mundo atual e os caminhos de uma vida nova" (DAp 220).

    Uma abençoada e maravilhosa semana a todos os irmãos em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir
  12. Hoje rezo ao Espírito, com todos os que estão na web: Espírito santificador, a ti consagro a minha vontade:
    Ajuda-me a dizer sim ao Projeto de Deus para a minha vida.

    Para Deus tudo é possível. - Mt 19,23-30

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Vou verificar se não tenho também eu, alguns ídolos que me atrapalham para,
    desde já, viver em clima do Reino de Jesus.
    Apego-me a alguma coisa da qual posso abrir mão, dificuldade em dividir o que tenho, partilhar coisas, mas também a bondade, o amor, a paciência, o carinho, as alegrias e até as dores com as pessoas de minha família, de meu círculo de amigos e colegas de trabalho ou escola.
    Os bispos na Conferência de Aparecida, disseram: "devemos dar a partir da alegria de nossa fé". E falam, até da "outra margem". " Nosso desejo é que esta V Conferência seja um estímulo para que muitos discípulos de nossas Igrejas vão e evangelizem na "outra margem". A fé se fortalece quando é transmitida e é preciso que entremos em nosso continente em uma nova primavera da missão ad gentes. Somos Igrejas pobres, mas "devemos dar a partir de nossa pobreza e a partir da alegria de nossa fé" e isto sem colocar sobre alguns poucos enviados o compromisso que é de toda a comunidade cristã. Nossa capacidade de compartilhar nossos dons espirituais, humanos e materiais com outras Igrejas, confirmará a autenticidade de nossa nova abertura missionária. (...) (DAp 379).

    Oração pelas Vocações
    Jesus, Mestre divino,
    que chamastes os Apóstolos a vos seguirem,
    continuai a passar pelos nossos caminhos, pelas nossas famílias,
    pelas nossas escolas e continuai a repetir o convite a muitos de nossos jovens.
    Dai coragem às pessoas convidadas.
    Dai força para que vos sejam fiéis como apóstolos leigos,
    como diáconos, padres e bispos,
    como religiosos e religiosas,
    para o bem do Povo de Deus
    e de toda a humanidade.
    Amém.
    Papa Paulo VI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns podem até pensar ser 'curioso' um Cristão da Igreja Católica Apostólica Romana não identificar entre esses ídolos as imagnes dos santos.
      O fato é que os Cristãos da ICAR nunca idolatraram as imagens, apenas as tem como referência daquelas pessoas que souberam e entenderam o que é ser cristão.
      Foram e são aqueles que mais se aproximaram dos exemplos deixados por Jesus. Ainda que pecadores (e talvez com pecados viz tal qual os do rei David), mas como para Deus tudo é possível, permitiu tocar seus corações e re-estabeleceram suas vidas em Cristo Jesus.
      São, portanto, modelos de cristãos e devem seguidos. Suas imagens (basicamente fotos em 3D), nos trazem à lembrança de que podemos também nós alcançarmos a alegria e a graça de adorarmos somente a Deus, em agradecimento eterno por nos ter dado Jesus como único salvador e o Espirito Santo para nos instruir e consolar.

      Amados e queridos irmão em Cristo, tenham um maravilhoso dia.

      Excluir
  13. Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os internautas:
    Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim.
    Ensina-me a fazer espaço à tua palavra, à tua oração, à tua ação em mim para que eu possa conhecer o mistério da vontade do Pai. Amém.

    Parábola dos trabalhadores. - Mt 20,1-16a

    O que o texto diz para mim, hoje? Não devo "cobrar" de Deus pelo que fiz em favor dos irmãos. Também não devo me contentar com o que já fiz. Devo desejar sempre que Deus realize em mim o seu Projeto. Na Conferência de Aparecida, os bispos disseram: "Quando cresce no cristão a consciência de pertencer a Cristo, em razão da gratuidade e alegria que produz, cresce também o ímpeto de comunicar a todos o dom desse encontro. A missão não se limita a um programa ou projeto, mas é compartilhar a experiência do acontecimento do encontro com Cristo, testemunhá-lo e anunciá-lo de pessoa a pessoa, de comunidade a comunidade e da Igreja a todos os confins do mundo (cf. At 1,8)".(DAp 145).

    Amados irmãos em Cristo Jesus, Deus abençõe a todos e tenham um ótimo dia.

    ResponderExcluir
  14. Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos que buscam encontrar-se com Deus na web:
    Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.Amém.
    Jesus, Mestre,
    que eu pense com a tua inteligência,
    com a tua sabedoria.
    Que eu ame com o teu coração.
    Que eu veja com os teus olhos.
    Que eu fale com a tua língua.
    Que eu ouça com os teus ouvidos.
    Que as minhas mãos sejam as tuas.
    Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
    Que eu reze com as tuas orações.
    Que eu celebre como tu te imolaste.
    Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

    A festa de casamento - Mt 22,1-14

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mt 22,1-14, e observo a parábola contada por Jesus sobre a festa de casamento.
    De novo Jesus usou parábolas para falar ao povo. Ele disse:
    Esta parábola contada por Jesus me ensina diversas coisas.
    1º É um privilégio ser convidado para a festa do Reino, para a Aliança com Deus.
    2º Os empregados são os apóstolos, os profetas, os discípulos e missionários.
    3º Os que rejeitam o convite são os que preferem o ter, os bens materiais.
    4º Os que estão pelas estradas e ruas, e são convidados, são os mendigos, pobres, os que estão à margem, fora do convívio, “tanto bons como maus”.
    5º A roupa de festa exigida simboliza a conduta de acordo com o chamado, ou seja, fé e abertura de coração para a justiça. Cabe recordar que justiça é amor de Deus para todos.
    6º A exclusão, expressa nas palavras “joguem fora, na escuridão. Ali ele vai chorar...” fala da conseqüência de quem renuncia à intimidade com Deus.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Os bispos em, Aparecida, disseram: “Por assim dizer, Deus Pai sai de si, para nos chamar a participar de sua vida e de sua glória. Mediante Israel, povo que fez seu, Deus nos revela seu projeto de vida. Cada vez que Israel procurou e necessitou de seu Deus, sobretudo nas desgraças nacionais, teve uma singular experiência de comunhão com Ele, que o fazia partícipe de sua verdade, sua vida e sua santidade. Por isso, não demorou em testemunhar que seu Deus – diferentemente dos ídolos – é o “Deus vivo” (Dt 5,26) que o liberta dos opressores (cf. Ex 3,7-10), que perdoa incansavelmente (cf. Ecl 34,6; Eclo 2,11) e que restitui a salvação perdida quando o povo, envolvido “nas redes da morte” (Sl 116,3), dirige-se a Ele suplicante (Cf. Is 38,16).” (DAp 129).
    Deus continua nos fazendo convite para minha participação na sua vida. Como respondo?

    Se ouvires a voz do vento
    Chamando sem cessar
    Se ouvires a voz do tempo
    Mandando esperar.
    A decisão é tua
    São muitos os convidados
    Quase ninguém tem tempo
    Se ouvires a voz de Deus
    Chamando sem cessar
    Se ouvires a voz do mundo
    Querendo te enganar
    O trigo já se perdeu
    Cresceu, ninguém colheu
    E o mundo passando fome
    De paz, de pão e de Deus.

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. -
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A iniciativa do convite é de Deus.


      Os destinatários dessa parábola são os chefes dos sacerdotes e os fariseus (cf. 21,45). A imagem utilizada na parábola é a da festa de casamento de um membro da família real, o filho. Como era costume, a festa de casamento durava vários dias. Não obstante a insistência de chamar os convidados para festa, por três vezes a parábola comenta que eles não deram importância ao convite e se recusaram a ir. Certamente, a mensagem da parábola é o apelo que Deus faz aos judeus por meio de Jesus, de entrarem no Reino dos Céus, isto é, de viverem os valores do Reino revelados no ensinamento do Filho único de Deus. Os judeus rejeitam o convite. Daí a oportunidade de afirmar a universalidade da salvação a todos, maus e bons, e aos pagãos. A iniciativa do convite é de Deus. Por isso, participar do seu Reino não é mérito de ninguém, mas graça oferecida a todos. A parábola é a imagem da rejeição de Jesus por parte de Israel e, ao mesmo tempo, a abertura da salvação a todas as pessoas e povos.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Excluir
  15. Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos os internautas,
    ao Espírito Santo:
    Espírito Santo,
    Amor do Pai e do Filho,
    inspirai-me sempre
    o que devo pensar,
    o que devo dizer,
    o que hei de calar,
    o que hei de escrever
    o que hei de fazer,
    como o hei de fazer,
    para a vossa glória,
    para o bem das pessoas
    e a minha própria santificação. Amém

    Leio com toda atenção, na Bíblia, o texto do Evangelho: Lc 1,26-38.

    Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, Deus enviou o anjo Gabriel a uma cidade da Galileia chamada Nazaré. O anjo levava uma mensagem para uma virgem que tinha casamento contratado com um homem chamado José, descendente do rei Davi. Ela se chamava Maria. O anjo veio e disse:
    - Que a paz esteja com você, Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está com você.
    Porém Maria, quando ouviu o que o anjo disse, ficou sem saber o que pensar. E, admirada, ficou pensando no que ele queria dizer. Então o anjo continuou:
    - Não tenha medo, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará.
    Então Maria disse para o anjo:
    - Isso não é possível, pois eu sou virgem!
    O anjo respondeu:
    - O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. Fique sabendo que a sua parenta Isabel está grávida, mesmo sendo tão idosa. Diziam que ela não podia ter filhos, no entanto agora ela já está no sexto mês de gravidez. Porque para Deus nada é impossível.
    Maria respondeu:
    - Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!
    E o anjo foi embora.
    O lugar onde acontece este fato é uma pequena aldeia da Galileia: Nazaré. A pessoa a quem Deus envia seu mensageiro é uma jovem como as outras de seu tempo: Maria. Fica preocupada e pede explicações. Por isso, fica sabendo que o que lhe acontecerá é obra do Espírito Santo e que o Menino do qual será Mãe é o próprio Filho de Deus. Sabendo que a Deus nada é impossível, com fé, faz seu ato de disponibilidade ao Projeto de Deus: “Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!” Aprendo com Maria a buscar perceber os sinais de Deus, a dialogar com Deus, a ouvi-lo, a discernir a vontade de Deus e a dizer “sim”.

    - O que a Palavra diz para mim?

    Como acolho os “anúncios” de Deus na minha vida? Muitas vezes o anúncio é para uma mudança de vida, outras é o imprevisto que me faz trocar meus projetos, outras vezes um problema de saúde, no trabalho, em família. Respondo com fé e disponibilidade?
    O anúncio de Nazaré continua hoje, de muitas formas e através de muitas pessoas. Os bispos nos ajudam nesta reflexão: “A Virgem de Nazaré teve uma missão única na história da salvação, concebendo, educando e acompanhando seu filho até seu sacrifício definitivo. Desde a cruz Jesus Cristo confiou a seus discípulos, representados por João, o dom da maternidade de Maria, que nasce diretamente da hora pascal de Cristo: “E desse momento em diante, o discípulo a recebeu em sua casa” (Jo 19,27). Perseverando junto aos apóstolos à espera do Espírito (cf. At 1,13-14), ela cooperou com o nascimento da Igreja missionária, imprimindo-lhe um selo mariano que a identifica profundamente. Como mãe de tantos, fortalece os vínculos fraternos entre todos, estimula a reconciliação e o perdão e ajuda os discípulos de Jesus Cristo a experimentarem como uma família, a família de Deus. Em Maria, encontramo-nos com Cristo, com o Pai e com o Espírito Santo, assim como com os irmãos.”( DAp 267).

    O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
  16. Preparo-me para a Leitura, rezando com todos os internautas:
    Jesus Mestre, que dissestes:
    "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", ficai conosco, aqui reunidos, pela grande rede da internet, para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto: Mt 23,13-22 e observo pessoas, palavras de Jesus aos fariseus.
    Jesus diz uma série de “ais” aos fariseus. Têm um tom de censura, de lamento, de pesar. O primeiro tem uma ligação ou referência ao próximo. Jesus fala do juramento. Uma coisa é jurar pelo altar e outra pelo Templo. É preciso distinguir. E Jesus fala também de uma coisa terrível: manipular as consciências, impor obrigações aos outros. Mais grave ainda: não observar o que se impõe aos outros. Assim faziam muitos fariseus. Apoderavam-se da “chave da consciência religiosa”.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições? O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo?
    Os bispos da América Latina disseram em Aparecida: “Para não cair na armadilha de nos fechar em nós mesmos, devemos nos formar como discípulos missionários sem fronteiras, dispostos a ir “á outra margem”, àquela na qual Cristo não é ainda reconhecido como Deus e Senhor, e a Igreja não está presente”. (DAp 376)

    Tenham todos uma abençoada e maravilhosa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Crítica de Jesus à hipocrisia.
      O capítulo 23, na sua quase totalidade, representa o cume da polêmica de Jesus com as autoridades religiosas do seu tempo e, ao mesmo tempo, expressão do conflito entre a comunidade cristã e as autoridades religiosas do tempo do cristianismo primitivo. Com a crítica aos escribas e fariseus, Jesus ensina seus discípulos. A questão central da crítica é a hipocrisia. Os “ai” repetidos ao longo de todo o texto são expressão de indignação e de condenação da atitude hipócrita dos escribas e fariseus. O que eles interpretam e obrigam os outros a praticar da Lei de Moisés, eles mesmos não o praticam. A hipocrisia é disfarce, representação. Eles enfatizam de tal modo as proibições da Lei no que diz respeito ao modo de proceder que ocultam aos outros a ação de Deus na história. Com isso, apresentam Deus como um juiz severo que cobra o cumprimento dos preceitos da Lei e desestimulam os demais a entrar no Reino dos Céus. Por causa da hipocrisia deles, eles mesmos não entram no Reino. O que eles promovem é uma campanha proselitista em benefício próprio, isto é, não visam à conversão dos pagãos ao Deus único e verdadeiro, mas às suas próprias concepções. São guias cegos porque não reconhecem que o caminho que conduz a Deus é Jesus (cf. Jo 14,6).

      Excluir
  17. Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os internautas:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém
    Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
    Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho. Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

    Jesus condena a hipocrisia - Mt 23,23-26

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto: Mt 23,23-26, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
    Neste texto estão os "ais" - ao todo, sete "ais" - de Jesus aos mestres da Lei e aos fariseus. Esta forma de dizer significa condenação a qualquer dominação da consciência, com a própria incoerência de vida. Jesus os chama de "guias cegos" que pretendem guiar os outros. Observam coisas mínimas e não enxergam as principais. Por isso, se usa, hoje, o termo "farisaísmo" para quem só aparenta e não vive o que prega. Jesus diz ainda que estes não obedecem ao mandamentos mais importantes da Lei - o amor a Deus e ao próximo - a justiça, a misericórdia e a honestidade. E conclui com a expressão "fariseu cego", lave primeiro o copo por dentro.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    É difícil, mas também eu devo me questionar.
    O que significa para mim, para o mundo de hoje, ser fariseu? Quem é o fariseu, hoje? Quem são os "guias cegos"? Jesus pede justiça, misericórdia e honestidade. Tenho facilidade de julgar as outras pessoas e esqueço-me de ser uma pessoa justa? Gosto de ser tratado/a com misericórdia e não sou uma pessoa misericordiosa? E sou honesta nas minhas relações? Os bispos na Conferência de aparecida disseram: "A Igreja é chamada a repensar profundamente e a relançar com fidelidade e audácia sua missão nas novas circunstâncias latino-americanas e mundiais. Ela não pode fechar-se frente àqueles que só vêem confusão, perigos e ameaças ou àqueles que pretendem cobrir a variedade e complexidade das situações com uma capa de ideologias gastas ou de agressões irresponsáveis."(DAp 11).

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Meu novo olhar é para dentro de mim, verifico se sou coerente com a minha fé, nos meus relacionamentos com Deus e com o próximo.

    Deus abençõe a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lei é dom de Deus a seu povo.
      “Hipócrita” é palavra utilizada para o ator de teatro que atua numa peça. Através da crítica à hipocrisia dos escribas e fariseus, que dizem mas não fazem, Jesus adverte os seus discípulos de não imitá-los. A Lei é dom de Deus a seu povo. Ela é dada por Deus para proteger a vida e a liberdade, de tal modo que o povo não volte a cair em nenhum tipo de escravidão. Nesse sentido, é inadmissível um modo de praticar a Lei que prescinda da misericórdia e do amor. Paradoxalmente, o que os escribas e fariseus exigem da prática da Lei escraviza, tira a liberdade e a capacidade de discernir. O legalismo, que é apego à letra da Lei, cega e fecha o coração para a necessidade dos semelhantes. Nas controvérsias galileanas de Marcos (2,1–3,6) percebe-se que os adversários de Jesus são dominados pela “esclerocardia”, pela dureza de coração. Para o fiel não pode existir a alternativa de fazer o bem ou fazer o mal, salvar uma vida ou perdê-la. Isso porque, como dissemos, a Lei visa proteger a vida, o que obriga o fiel ao bem e à defesa da vida. O interior (= coração) é mais importante que o exterior e a aparência. Importa a pureza do coração.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Excluir
  18. Preparo-me para a Leitura Orante, juntamente com todos os que navegam na web, rezando:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
    Espírito Santo,tu que habitas, pela fé, nos nossos corações, abre-nos à Palavra! Seja a nossa inteligência e a nossa vontade, terreno bom, onde tu possas trabalhar com liberdade, de modo que a nossa vida seja sinal da tua caridade.
    Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto Mt 23,27-32, e observo pessoas as palavras fortes de Jesus aos hipócritas.
    Jesus continua falando aos mestres da Lei e aos fariseus, lamentando sua hipocrisia. E os compara a túmulos pintados de branco. Por fora, bonitos. Por dentro, cheios de podridão. Túmulos bonitos, monumentos para os profetas que foram mortos por eles mesmos. Jesus aponta a contradição que demonstram entre o que são e aparentam ser. Falsos. Boas pessoas, aparentemente bonitas, mas cheios de podridão por dentro.

    O que o texto me leva a dizer a Deus?

    Rezo com Jesus: Pai nosso...e com o Salmista, o Salmo 51:
    Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.
    Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares. Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.
    Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados,
    e apaga todas as minhas iniquidades.

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
    Meu novo olhar é de purificação, eliminando tudo que em mim possa ser duplicidade, subterfúgio, hipocrisia.
    Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

    "O Senhor te abençoe e te guarde.O Senhor faça brilhar sobre ti sua face, e se compadeça de ti.
    O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz" (Nm 6, 24-26).
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apelo à coerência.
      De certo modo, a crítica de Jesus aos escribas e fariseus exprime o desejo de Jesus de convertê-los do seu hermetismo que conduz à intolerância, ao mesmo tempo em que visa prevenir os discípulos contra a hipocrisia e apelar à coerência que deve caracterizar a vida cristã. O que está em foco no evangelho de hoje é a oposição entre exterior e interior. A prática religiosa dos escribas e fariseus está a serviço da vaidade pessoal. No entanto, a aparência de justiça não impede Deus de penetrar no coração e na verdade de cada pessoa. Deus, que perscruta o mais profundo da existência humana, não se deixa levar ou enganar pela aparência. Daí o apelo de Jesus dirigido aos discípulos de não cederem à tentação da imagem ou da aparência com o intuito de se fazer reconhecer (6,1). Deus vê no segredo, onde os olhos não alcançam (cf. 6,4.6.18). Nos vv. 29-32, Jesus lamenta a hipocrisia dos que pensam ser justos, pois eles instrumentalizam os profetas em benefício próprio. Não compreendem que o rigor legalista com que eles impõem aos outros fardos pesados os faz coniventes com a morte dos profetas. Não é a observância da Lei que Jesus ataca, mas a sua deformação.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração:
      Pai, torna-me de tal modo transparente que meu íntimo possa ser revelado por meus gestos e atitudes. Livra-me de ser como um sepulcro caiado!

      Excluir
  19. Ficai preparados! - Mt 24,42-51
    “Vigiai, portanto, pois não sabeis em que dia virá o vosso Senhor. Ficai certos: se o dono de casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que sua casa fosse arrombada. Por isso, também vós, ficai preparados! Pois na hora em que menos pensais, virá o Filho do Homem. Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? Feliz o empregado, cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar. Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. Mas, se o empregado mau pensar: 'Meu senhor está demorando', e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes.”

    É preciso vigiar.

    O evangelho deste dia é um trecho do discurso escatológico (Mt 24–25). É à luz do que é definitivo que a vida do fiel cristão deve ser vivida, iluminada e sustentada na esperança. A linguagem utilizada nesse tipo de discurso é a apocalíptica, cujo tom dramático, se não for bem compreendido, resulta até assustador. No entanto, sua finalidade é revelar o mistério da salvação de Deus e motivar um comportamento coerente com a fé professada. Ante a imprevisibilidade e o caráter decisivo da vinda do Filho do Homem, é preciso vigiar, não dormir, pois assim como o ladrão entra inesperadamente na casa de alguém para roubá-la, assim virá o Senhor, quando menos se espera (1Ts 5,2; 2Pd 3,10; Ap 3,3; 16,15). Dito de outra maneira, é preciso estar sempre preparado. A parábola dos versículos 45 a 51 explicita como deve ser essa preparação; apresenta dois casos típicos de cristãos: o primeiro (vv. 45-47) é aquele que, sabendo do caráter inesperado da vinda do seu Senhor, permanece fiel ao que deve fazer; o segundo (vv. 48-51), sobre o qual a parábola insiste, é aquele que na ausência de seu senhor, e iludido quanto ao tempo de sua volta, se deixa levar por uma vida fácil e perde o senso da responsabilidade e de sua condição de servo. O que ameaça o cristão é esquecer-se de sua condição de servo, irmão dos outros servos do mesmo Senhor. (Carlos Alberto Contieri, sj )

    Deus abençõe a todos no dia de hoje.

    ResponderExcluir
  20. Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos que circulam pela web:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Creio, meu Deus, que estou diante de Ti.
    Que me vês e escutas as minhas orações. Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro. Tu me deste tudo: eu te agradeço.
    Foste tão ofendido por mim:eu te peço perdão de todo o coração. Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças
    que sabes serem necessárias para mim.

    O que diz o texto do dia? Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 6,17-29.

    Como aconteceu com Jesus, aconteceu com João Batista. Teve que se defrontar com os poderosos e testemunhar a verdade até com a própria vida. Que cena cruel, horrível, trazer a cabeça de João numa bandeja! Como se fosse um troféu de vitória. Vitória da paixão, do poder, da mentira, do egoísmo, do incesto, da vingança, dos baixos instintos! Repugnante! A vida humana servida durante um banquete, numa bandeja! É a ostentação do mal! No entanto, como Jesus, João Batista não se afastou do projeto de Deus. Só se submeteu a Deus e a ninguém mais. Foi verdadeiramente livre!
    O que o texto diz para mim, hoje?

    Sou capaz de dar testemunho? Sou coerente com a minha fé? A minha verdade é a verdade de Deus? Tenho e me submeto a outras “verdades”? Deixo-me vencer pelos maus instintos, pela covardia, pela mentira, pelo mal? Os bispos na Conferência de Aparecida lembraram: “Identificar-se com Jesus Cristo é também compartilhar seu destino: “Onde eu estiver, aí estará também o meu servo” (Jo 12,26). O cristão vive o mesmo destino do Senhor, inclusive até a cruz: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, carregue a sua cruz e me siga” (Mc 8,34). Estimula-nos o testemunho de tantos missionários e mártires de ontem e de hoje em nossos povos que têm chegado a compartilhar a cruz de Cristo até a entrega de sua vida. ”(DAp 140)

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

    Sinto-me discípulo/a de Jesus. Meu olhar deste dia será iluminado pela presença de Jesus Cristo,e pelo esforço de testemunhá-lo no meio em que estou.

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    Amados irmãos tenham todos um maravilhos final de semana!
    A Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentários

      A não ser na paixão (Lc 23,8-12), não há nenhuma notícia de que Herodes tenha se encontrado com Jesus. O relato da morte de João Batista vem depois da notícia do martírio de Jesus (v. 16). João, precursor do Messias, é o mártir da moral. Foi preso e decapitado por denunciar uma união ilegal entre Herodes e Herodíades. Herodes, Lucas se encarregou de caracterizá-lo como “malfeitor” (Lc 3,19-20); Herodíades parece ser mulher dominada por paixões e um forte espírito de vingança. É ela que exige a morte de João, aproveitando-se de uma atitude primária e intempestiva de Herodes, motivada pelo encanto e desvario em relação à filha de Herodíades. A amante de Herodes quer eliminar a voz que denuncia o seu mal. O poder de Herodes contrasta com o poder de Jesus: o de Herodes exclui e mata; o de Jesus faz viver e suscita o gosto pela vida, pois é o poder do amor. Parece que o sofrimento e a prisão injusta de João e a sua morte prefiguram a paixão e morte de Jesus Cristo. João e Jesus, tidos como profetas, tiveram a sorte dos profetas (Mt 13,57; 14,5).

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Excluir
    2. Oração
      Pai, que as contrariedades da vida jamais me intimidem e impeçam de seguir adiante, cumprindo minha missão de evangelizador.

      Excluir
  21. Jesus anuncia a Boa-Nova aos pobres. - Lc 4,16-30

    Preparo-me para a Leitura Orante, em sintonia com todos os que circulam pela web, rezando uma canção do Padre Zezinho.
    "Palavras que não passam foi teu coração que me ensinou Palavras que não passam no teu coração coloquei o meu
    Minha religião vem te ouvir teu coração foi teu coração que me ensinou a fazer da vida uma esperança só."

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto: Lc 4,16-30, e observo pessoas, palavras, relações, o lugar onde acontece o fato.
    Jesus chegou à sinagoga de Nazaré, depois de sua prova no deserto, segundo a narração de Lucas. A cena comunica a síntese e o modelo da pregação de Jesus. De início, as pessoas ficam surpresas com o anúncio e a declaração de Jesus como Messias. “Todos começaram a elogiá-lo”. Em seguida, veio a dúvida: “Não é ele o filho de José?” Segue-se a rejeição: “todos na sinagoga ficaram com muita raiva”. E, acabam por tentar um homicídio: “arrastaram Jesus para fora da cidade e o levaram até o alto do monte onde a cidade estava construída, para o jogar dali abaixo”. O texto conclui dizendo que “ele passou pelo meio da multidão e foi embora”. Em tão pouco tempo, o povo manifesta diferentes reações. Acolhe, reprova, condena, tenta eliminar!

    O que diz o texto do dia?
    Observo pessoas, palavras, relações, o lugar onde acontece o fato.
    Jesus chegou à sinagoga de Nazaré, depois de sua prova no deserto, segundo a narração de Lucas. A cena comunica a síntese e o modelo da pregação de Jesus. De início, as pessoas ficam surpresas com o anúncio e a declaração de Jesus como Messias. “Todos começaram a elogiá-lo”. Em seguida, veio a dúvida: “Não é ele o filho de José?” Segue-se a rejeição: “todos na sinagoga ficaram com muita raiva”. E, acabam por tentar um homicídio: “arrastaram Jesus para fora da cidade e o levaram até o alto do monte onde a cidade estava construída, para o jogar dali abaixo”. O texto conclui dizendo que “ele passou pelo meio da multidão e foi embora”. Em tão pouco tempo, o povo manifesta diferentes reações. Acolhe, reprova, condena, tenta eliminar!

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Nossos pastores nos ajudam a trazer para nossa vida a Palavra que refletimos. Disseram em Aparecida: “Por isso, nós, como discípulos e missionários de Jesus, queremos e devemos proclamar o Evangelho, que é o próprio Cristo. Anunciamos a nossos povos que Deus nos ama, que sua existência não é uma ameaça para o homem, que Ele está perto com o poder salvador e libertador de seu Reino, que Ele nos acompanha na tribulação, que alenta incessantemente nossa esperança em meio a todas as provas. Os cristãos somos portadores de boas novas para a humanidade, não profetas de desventuras.” (DAp 30).

    O que o texto me leva a dizer a Deus?

    Nós te adoramos como Sabedoria do Pai, Verbo encarnado, Luz do mundo. Nós cremos que foste escolhido e cumpriste a missão de levar boas notícias aos pobres, de anunciar a liberdade aos presos, de dar vista aos cegos, libertar os que estão sendo oprimidos e anunciar que chegou o tempo da salvação. Pedimos-te perdão por todos os que te rejeitaram e ainda hoje te rejeitam. Nós te acolhemos para que nos dês sabedoria em nossas palavras, em nosso trabalho, em nossa família,
    em nossos relacionamentos. Só tu tens Palavras de vida!
    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    Tenham todos uma santa e abençoada semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Jesus, Deus cumpre sua promessa.


      O discurso de Jesus na sinagoga de Nazaré, no início do seu ministério público, pode ser caracterizado como um discurso programático. Ao mesmo tempo, ele oferece critérios para, ao longo da narração evangélica, reconhecer Jesus como verdadeiro profeta, homem poderoso em gestos e palavras. De certa forma, esse episódio se encontra prefigurado no cântico de Simeão e no diálogo do ancião com Maria (Lc 2,29-35). Toda a cena de Nazaré está concentrada na interpretação que Jesus faz da leitura de um trecho do livro do profeta Isaías. O advérbio “hoje” indica que o tempo da promessa e da espera acabou; inaugura-se na história da humanidade, onde se manifesta a salvação de Deus, uma nova etapa: em Jesus, Deus cumpre sua promessa. Trata-se, então, do hoje da salvação. Os conterrâneos de Jesus passam da admiração à rejeição. A evocação dos fatos da vida de Elias e Eliseu estabelece um paralelo entre Nazaré e Israel. A incredulidade de Israel tem uma história longínqua. Nazaré é, para o nosso relato, protótipo da rejeição de Jesus por parte de Israel. Jesus é profeta não somente porque ele se sabe enviado, mas porque, como os profetas, é rejeitado.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Excluir
  22. Olá queridos irmãos em Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, bom dia.

    Na leitura do Evangelho de temos: O Santo de Deus! - Lc 4,31-37

    Jesus desceu para Cafarnaum, cidade da Galileia, e lá os ensinava, aos sábados. Eles ficavam maravilhados com os seus ensinamentos, pois sua palavra tinha autoridade. Na sinagoga estava um homem que tinha um espírito impuro, e ele gritou em alta voz: “Que queres de nós, Jesus de Nazaré? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: o Santo de Deus!” Jesus o repreendeu: “Cala-te, sai dele!” O demônio então lançou o homem no chão e saiu dele, sem lhe fazer mal algum. Todos ficaram espantados e comentavam: “Que palavra é essa? Ele dá ordens aos espíritos impuros, com autoridade e poder, e eles saem”. E sua fama se espalhava por todos os lugares da redondeza.

    A palavra de Jesus faz sentido e dá sentido a tudo.

    Cafarnaum é uma cidade às margens do Mar da Galileia, lugar onde fica a casa de Simão Pedro e de seu irmão André; lugar, ao que tudo indica, que Jesus estabeleceu sua morada. O episódio na sinagoga de Nazaré havia antecipado os acontecimentos de Cafarnaum, o que dava ao discurso um caráter programático. No seu ensinamento, Jesus desperta a admiração de quem o ouve, pois a sua palavra tem autoridade, isto é, coerência, faz sentido e dá sentido a tudo. O seu ensinamento causa admiração porque sua palavra é sentida como um sopro que comunica o Espírito Santo. A presença de Jesus e o seu ensinamento comunicam a graça de Deus, ao mesmo tempo que revelam os males do coração humano. Definições filosóficas, aqui, não nos ajudam a compreender a realidade do mal. O mal é o que faz mal; é algo do ser humano que resiste e se opõe ao desígnio salvífico de Deus e desfigura o homem criado à imagem e semelhança de Deus. O texto é uma proclamação de fé na palavra de Jesus que vence o mal. Essa palavra eficaz, ao entrar no coração do ser humano, expulsa o mal.

    Carlos Alberto Contieri, sj

    Oração:
    Pai, faze-me forte para enfrentar e vencer as forças malignas que cruzam meu caminho, tentando afastar-me de ti.
    Como Jesus, quero abalar o poder do mal deste mundo.

    Tenham um ótimo dia.


    ResponderExcluir
  23. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
    A nós todos, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo. - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo! Preparo-me para a Leitura, rezando com todos os orantes do Evangelho: Vem, Espírito Santo! Faze de nós um só coração e uma só alma, a fim de que o mundo creia em Jesus, Filho de Deus.Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus.
    Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus.Vem, Espírito Santo!
    Maria está aqui conosco, ela nos reúne e invoca por nós o dom do Amor e o fogo do Espírito. Vem, Espírito Santo! Amém!

    O que diz o texto do dia? Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 4,38-44, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
    Bonito o encontro de Jesus com a sogra de Pedro que estava com febre alta. Observe a atitude: "ele parou ao lado da cama dela e deu uma ordem à febre. A febre saiu da mulher no mesmo instante". Interessante é que Jesus não fala com a sogra, mas fala com autoridade à febre. A mulher imediatamente fica curada, e tão bem, que se põe a servir os hóspedes. Os doentes e a multidão procuravam encontrar Jesus e Ele anunciava a boa notícia do Reino a todos e por toda parte. O próprio Jesus diz noutra passagem: "Peçam e vocês acharão. Procurem e vocês acharão. Batam, e a porta será aberta para vocês" (Mt 7,7). Falando da Igreja neste momento histórico de grandes desafios, os bispos em Aparecida, disseram: "Os esforços pastorais orientados para o encontro com Jesus Cristo vivo deram e continuam dando frutos" (DAp 99).
    O que o texto diz para mim, hoje?

    Qual palavra mais me toca o coração?
    O que o texto me diz no momento? Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições?
    Meus esforços para viver bem, estar bem, são orientados pelo encontro com Cristo vivo?
    Ou, considero-me capaz e suficiente para enfrentar os desafios, dispensando a ação de Deus na minha vida?
    O que o texto me leva a dizer a Deus? Rezo com o bem-aventurado Alberione:

    Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai. Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai. Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho. Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
    Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Farei atos de fé, na certeza de que o Senhor pode me libertar de meus males, mesmo aqueles que tenho dificuldade para vencer.

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Todo o âmbito da existência humana é lugar da visita salvífica de Deus.


      Jesus está em contínuo deslocamento; é um Messias itinerante. Não há onde ele não vá: está presente tanto na vida pública (sinagoga) como na vida privada (casa de Simão e André). Todo o âmbito da existência humana é lugar da visita salvífica de Deus. A febre que ameaça a vida da sogra de Pedro era considerada a antessala da morte, um mal que definha os ossos. A cura se dá como se Jesus expulsasse um demônio. Isso porque, para a mentalidade da época, a enfermidade era considerada possessão demoníaca. O mal que “definha os ossos” impedia a sogra de Pedro de celebrar o descanso sabático. À palavra de Jesus, a febre a deixou e ela se levantou. O verbo utilizado para “levantar” é o mesmo utilizado para dizer da ressurreição. Jesus irrompe como o Senhor da vida que pela sua palavra comunica um sopro que expulsa o mal e faz viver. Há de se supor que Jesus vai para um lugar deserto para rezar. A sua oração é apostólica, pois nela ele se mantém fiel a vontade do Pai. Fruto de sua oração é a decisão de ir a outros lugares. O Senhor não é prisioneiro de nenhum grupo nem de nenhum lugar. A salvação de Deus da qual ele é portador destina-se a toda a humanidade.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Excluir
  24. Saudação
    - A nós todos que nos encontramos na web, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
    no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando com São João Paulo II: Vinde Espírito Santo / e dai-nos o Dom da Sabedoria / para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho / e ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai. / Dai-nos o Entendimento / uma compreensão mais profunda da verdade / a fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção. / Dai-nos o Dom do Conselho / que ilumina a nossa vida / e orientai a nossa ação segundo vossa Divina Providência. / Dai-nos o Dom da Fortaleza / e sustentai-nos no meio de tantas dificuldades / com vossa coragem para que possamos anunciar o Evangelho. / Dai-nos o Dom da Ciência / para distinguir o Único necessário / das coisas meramente importantes. / Dai-nos Piedade / para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco. / e, finalmente,
    dai-nos vosso santo Temor / para que, conscientes de nossas fragilidades, / reconhecermos a força da vossa graça. /
    Vinde Espírito Santo /e dai-nos um novo coração. Amém.

    O que diz o texto do dia?

    Leio atentamente o texto: Lc 5,1-11, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
    A partir de Lucas 5, o Mestre alarga seu campo de ação e para isto forma um grupo de colaboradores. Neste texto de hoje, temos a narração do primeiro chamado, diante da multidão que “se apertava em volta dele” para ouvir a Palavra de Deus. Jesus subiu no barco de Simão e dali, sentado, ensinava à multidão. No final, manda que Simão leve o barco para águas mais profundas e lá, ele e os companheiros joguem as redes. Simão explica que eles trabalharam a noite toda e nada pescaram. Mas, farão isto porque Jesus lhes pede. E assim fizeram. Como resultado, encheram dois barcos com tanto peixe que quase afundaram. A abundância da pesca pode simbolizar a expansão da Igreja. Simão Pedro experimenta, de um lado, seu fracasso, e de outro, o grande êxito por acreditar na Palavra de Jesus. Pescar é símbolo da missão. A presença e atuação de Jesus despertou em Simão o sentimento de pecador. Caiu aos pés dele e disse: “Sou um homem pecador!” Por isso, sente que Jesus, o Santo, deve se afastar dele. O Mestre faz-lhe, então, o chamado para ser “pescador de gente”. O Evangelho termina com os apóstolos deixando tudo e seguindo Jesus.

    O que o texto diz para mim, hoje? Quais outros textos este me recorda? Qual palavra mais me toca o coração? Jesus entra na barca de Pedro. Entra também na minha "barca". Qual é ela?

    O Mestre vai ampliando o seu círculo de colaboradores. Em Lc 6,12-16, lemos a convocação dos doze apóstolos. No capítulo 10, escolhe 72 discípulos para, de cidade em cidade, anunciarem o Reino de Deus. A Igreja continua convidando, convocando, enviando discípulos e missionários, “lançando as redes em águas mais profundas”.
    Disseram os bispos, em Aparecida:
    "Nestes últimos tempos, Ele nos tem falado por meio de Jesus seu Filho (Hb 1,1ss), com quem chega a plenitude dos tempos (cf. Gl 4,4). Deus, que é Santo e nos ama, nos chama por meio de Jesus a ser santos (cf. Ef 1,4-5)." (DAp 130).

    Como me encontro nesta missão? Tenho a missão de ser santo ou santa, qualquer que seja minha vocação: leiga, religiosa ou para o ministério sacerdotal. Como vivo este chamado?

    O que o texto me leva a dizer a Deus?
    Rezo:
    Jesus Mestre,agradeço-vos pelas luzes que me destes nesta Leitura Orante. Perdoai-me, pelos limites que me impediram de fazê-la melhor.Ofereço-vos a resolução que tomei e que espero viver, com a vossa graça. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Sentindo a presença de Deus na minha "barca".
      Vou demonstrar pela vida que estou buscando o caminho da santidade, agindo sempre "em nome de Jesus".

      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. O chamado a serem "pescadores de homens".
      O evangelho de hoje é o relato de vocação dos primeiros discípulos de Jesus. Inspira-se em Mc 1,16-20 e é muito próximo do relato joanino (Jo 21). A pesca, no mar da Galileia, da qual sobreviviam Pedro, André, Tiago e João, foi a ocasião, para eles, do encontro com o Senhor que transformou radicalmente suas vidas. À diferença de Marcos, em Lucas, os episódios anteriores ao narrado hoje criam um marco psicológico que faz com que o chamado e a resposta não sejam tão surpreendentes. O chamado é precedido do ensinamento de Jesus às multidões e de uma palavra eficaz de Jesus a Simão que transformou a fadiga da noite em que nada pescaram na alegria de uma manhã abundante de peixes. No relato lucano, todos são chamados juntos, no lago, mediante um apelo dirigido exclusivamente a Simão Pedro (v. 10). Simão Pedro, e através dele os outros discípulos, é chamado para ser “pescador de homens”. Tendo presente a pesca abundante, essa expressão aponta para o êxito futuro da missão da Igreja na conquista de pessoas para o Reino de Deus.

      Carlos Alberto Contieri,sj

      Excluir
    3. Oração
      Pai, confirma minha vocação de pescador de pessoas humanas, e conduze-me para águas mais profundas onde se encontram os que mais carecem de meu amor.

      Excluir
  25. Vinho novo deve ser posto em odres novos.
    Saudação:
    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, invocando o Espírito Santo. Oração ao Espírito Santo ( papa Paulo VI):

    Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da santa Igreja! Amem.

    O que diz o texto do dia?

    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 5,33-39, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    Neste texto, a abordagem dos fariseus a Jesus é sobre a questão do jejum praticado por eles e pelos seguidores de João. Jesus responde com três imagens: a da festa de casamento, a do remendo e do vinho novo. Falando do noivo, ele se refere ao Messias. O casamento é tempo de festa, de alegria e amor partilhados. Não se jejua durante uma festa de casamento. A roupa e o vinho também se relacionam com a festa. E não combinam com jejum. O Messias não vem para pôr remendos em roupa velha, nem vinho novo em odres velhos. O jejum agradável a Deus é um coração novo. É o jejum de tudo que contra o amor: o ódio, a violência, o não perdão, o revide, a vingança, a prepotência e arrogância. O vinho novo alimenta uma vida nova de relacionamentos fraternos de justiça e de paz.

    O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?

    Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo.O que o texto me diz no momento?
    Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições?
    Pratico o jejum da conversão, ou seja, tenho um coração novo?

    A Conferência de Aparecida nos recorda: “No exercício de nossa liberdade, às vezes recusamos essa vida nova (cf. Jo 5,40) ou não perseveramos no caminho (cf. Hb 3,12-14). Com o pecado, optamos por um caminho de morte. Por isso, o anúncio de Jesus sempre convoca à conversão, que nos faz participar do triunfo do Ressuscitado e inicia um caminho de transformação.” (DAp 351).

    O que o texto me leva a dizer a Deus?

    Rezo:Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai.
    Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento,
    porque és o único caminho para o Pai. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É em relação a Cristo que o jejum deve ou não ser praticado.


      A questão sobre o jejum constitui um dos pontos de controvérsia entre Jesus, de um lado, e os escribas e fariseus, de outro. São eles que põem a questão a Jesus (v. 30), já surpresos pelo fato de Jesus comer e beber com os publicanos e pecadores (vv. 29-32). Dos fariseus é sabido que jejuavam duas vezes por semana (Lc 18,12). Mas do grupo de seguidores de João Batista não temos nenhuma informação no que diz respeito à prática do jejum. O certo é que a pergunta dos escribas e fariseus mostra que eles pretendiam estender a todos a sua prática ascética, através da qual, talvez, quisessem mostrar a sua justiça. Jesus não desqualifica essa prática, atestada já no Antigo Testamento (2Sm 12,21; 1Rs 21,27), mas alerta para o risco de hipocrisia (cf. Mt 6,16-18). No entanto, no tempo do Messias impõe-se repensar a prática e a sua referência. No tempo messiânico o jejum adquire um sentido cristológico: é em relação a Cristo que o jejum deve ou não ser praticado. O jejum deve ser praticado quando da morte de Jesus, o esposo do povo de Deus (v. 35). As duas parábolas que concluem a controvérsia apontam para a incompatibilidade entre o novo trazido por Jesus e a rigidez e fechamento de visão, representadas, sobretudo, pelos fariseus.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração:
      Pai, abre meu coração para acolher a novidade trazida por Jesus, sem querer deturpá-la com meus esquemas mesquinhos e contaminá-la com o egoísmo e o pecado.

      Excluir
  26. Tira primeiro a trave do teu olho. - Lc 6,39-42

    A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Jesus Mestre, que dissestes: "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles",
    ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra.
    Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?

    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 6,39-42, e observo o que Jesus Mestre diz sobre o julgamento.
    E Jesus fez estas comparações:
    - Um cego não pode guiar outro cego. Se fizer isso, os dois cairão num buraco. Nenhum aluno é mais importante do que o seu professor. Porém, quando tiver terminado os estudos, o aluno ficará igual ao seu professor.

    - Por que é que você vê o cisco que está no olho do seu irmão e não repara na trave de madeira que está no seu próprio olho? Como é que você pode dizer ao seu irmão: "Me deixe tirar esse cisco do seu olho", se você não repara na trave que está no seu próprio olho? Hipócrita! Tire primeiro a trave que está no seu olho e então poderá ver bem para tirar o cisco que está no olho do seu irmão.

    Jesus usa neste texto uma pequena parábola: um cego guiando a outro cego. Os dois cairão no buraco. Diz que nenhum aluno é como seu professor, ou, nenhum discípulo é como seu mestre. Diz que só quando terminar seus estudos, ficará como seu professor ou mestre. Podemos entender que são cegos os que não vêem com os olhos do Mestre: Jesus.

    O texto também fala do julgamento. A severidade do nosso julgamento para com o próximo – ver o cisco que está no seu olho - mostra que desconhecemos o nosso próprio limite, a nossa fragilidade e a nossa condição de pecadores diante de Deus, a nossa “trave”, bem maior do que o “cisco” do irmão. Isto, nas palavras de Jesus é hipocrisia.

    ResponderExcluir
  27. O que o texto me leva a dizer a Deus?

    Rezo com o bem-aventurado Alberione:
    Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai. Derrama sobre nós, a abundância
    do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai.
    Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho.

    Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

    Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir todo julgamento. Não enxergo nada se não vejo com os olhos do Mestre. Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia. Esta Palavra vai fazendo parte da minha vida, da minha mente, como a chuva que cai e produz seus efeitos (Is 55,10-11).

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
  28. Autocrítica e misericórdia.
    Nós não temos acesso ao contexto histórico original em que Jesus contou cada uma das parábolas. Em nosso caso, é o contexto literário que deve ser levado em consideração. Em razão disso, a parábola que nos é proposta para hoje deve ser compreendida à luz das exigências precedentes que formam o conteúdo do sermão da planície. O “guia cego” é o discípulo que não aceita a sua condição de servo e não se submete ao ensinamento do seu Mestre; por isso, não vê os seus semelhantes com o olhar de misericórdia de Jesus. É, ainda, aquele que resiste à identificação com o Senhor (v. 40; Mt 10,24-25). O texto reflete um problema interno à comunidade dos discípulos, mas que podemos estender a todos os âmbitos da vida humana: a crítica aos outros desprovida de autocrítica e de verdadeira misericórdia. A parábola da palha e da trave (vv. 41-42) apela para a necessidade de autocrítica e de misericórdia. A trave não permite enxergar bem, ela distorce e diminui a visão, e até mesmo a impede. Um comportamento desses cria uma situação ainda pior. Certamente a preocupação que o evangelho traduz é a tensão interna à comunidade cristã entre os cristãos comuns e aqueles que se sentem mais iluminados e pretendem instruir os outros na vida espiritual e na ética cristã. Para poder ajudar alguém é preciso humildade e consciência dos próprios limites.

    Carlos Alberto Contieri, sj

    ResponderExcluir
  29. Amados irmãos em Jesus Cristo, nosso único Senhor e Salvador, muito bom dia.
    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Mestre, que dissestes:
    "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", ficai conosco,aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos,
    para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes
    de santidade e missão.

    Hoje é dia de prestar homenagens a Nossa Senhora das Dores. Maria ao Pé da Cruz.
    Maria modelo de mãe, que cuidou, protegeu, educou e acompanhou seu único filho, Jesus, em toda a sua jornada.
    Jamais ficou longe Dele, mesmo nos momentos mais dolorosos, até a sua crucificação.

    Entendemos melhor nossas ações nos atuais dias quando estudamos as escrituras. Compreendemos como Maria se torna mãe da Igreja e dos Apóstolos, desde a sua fundação, pelo próprio Cristo Jesus.

    Acompanhemos:

    Nossa Senhora das Dores - Jo 19,25-27 ou Lc 2,33-35

    Perto da cruz de Jesus estavam a sua mãe, e a irmã dela, e Maria, a esposa de Clopas, e também Maria Madalena. Quando Jesus viu a sua mãe e perto dela o discípulo que ele amava, disse a ela:
    - Este é o seu filho.
    Em seguida disse a ele:
    - Esta é a sua mãe.
    E esse discípulo levou a mãe de Jesus para morar dali em diante na casa dele.

    O que diz o texto do dia?

    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 19,25-27, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
    As mulheres e um discípulo assistem a crucifixão de Jesus. O Mestre não está só. Ali, ao pé da cruz, inicia-se a "comunidade dos crentes". Este aspecto é claro quando Jesus confia o discípulo à mãe e a mãe ao discípulo. Maria é indicada como mãe. Não com um nome, mas com uma função. Também o discípulo não é chamado pelo nome, mas como "discípulo que ele amava". Também uma função representativa. Maria e o discípulo têm, embora de modo diferente, relação com a Igreja. A mãe de Jesus torna-se Mãe do discípulo e de todos os discípulos. Desta forma pode-se concluir que a Mãe de Jesus, ao pé da cruz, tornou-se Mãe da Igreja. Assim também, o último ato de Jesus na cruz foi fundar a Igreja.

    ResponderExcluir
  30. O que o texto me leva a dizer a Deus? Canto com o Padre Zezinho, scj,

    Mater Dolorosa

    Tu que, ao sangue do teu Filho mistura tuas lágrimas.
    Tu, que sem perder teu brilho sufoca tuas mágoas.
    Tu que tens teu Filho morto nos teus braços de mulher
    Ora pelas mães! Ora pelas mães!
    Pelas mães dos assassinos
    Pelas mães dos que morreram
    Todas elas vestem luto
    Pois morreram com o filho
    Ora pelas mães que estão sem paz
    Pois nelas a violência dói bem mais
    Ora pelas mães que estão sem paz
    Pois nelas a violência dói bem mais.

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre.

    Vou demonstrar pela vida que vivo como Igreja da qual Maria é a Mãe. Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia.

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    Tneham todos uma excelente e abençoada semana.
    Paz e Bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cristo Jesus é a luz que ilumina todos os povos.

      Trecho dos relatos da infância, o nosso texto de hoje é parte de uma unidade literária mais ampla do que os poucos versículos que nos são oferecidos para a liturgia da palavra da festa de Nossa Senhora das Dores; devoção que remete o fiel à paixão e morte de Jesus. O episódio narrado pelo evangelho de hoje se situa no Templo de Jerusalém, no contexto da apresentação do menino Jesus ao Senhor. Quem toma a palavra neste breve relato é o velho Simeão, símbolo do Antigo Testamento, que, depois de um longo período de espera, vê a promessa de Deus se realizar. Essa nos parece ser a intenção do evangelista ao fazer com que Maria e José, tendo Jesus nos braços, se encontrem com Simeão e, depois, com a profetiza Ana, cujo nome é o mesmo da mãe de Samuel (1Sm 1,19-20). Se a cada noite a Igreja canta o nunc dimitis, é para proclamar diariamente a realidade da salvação oferecida indistintamente a toda a humanidade. O Cristo Jesus é a luz que ilumina todos os povos. As palavras de Simeão a Maria são a antecipação narrativa da paixão e morte de Jesus.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração:
      Pai, a prática do amor e da justiça revele tua ação no íntimo do meu coração, transformando-me em instrumento de tua misericórdia, que eleva a humanidade decaída.

      Excluir
  31. Preparo-me para a Leitura Orante, rezando a bênção bíblica:
    A bênção do Deus de Sara, Abraão e Agar,
    a bênção do Filho, nascido de Maria,
    a bênção do Espírito Santo de amor,
    que cuida com carinho,
    qual mãe cuida da gente,
    esteja sobre todos nós. Amém!
    Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
    - O que a Palavra diz?

    Leio de forma pausada e atenta a Palavra em Lc 7,11-17.

    O "toque" que faz viver - Lc 7,11-17
    Em seguida, Jesus foi a uma cidade chamada Naim. Os seus discípulos e uma grande multidão iam com ele. Quando chegou à porta da cidade, coincidiu que levavam um morto para enterrar, um filho único, cuja mãe era viúva. Ao vê-la, o Senhor encheu-se de compaixão por ela e disse: “Não chores!” Aproximando-se, tocou no caixão, e os que o carregavam pararam. Ele ordenou: “Jovem, eu te digo, levanta-te!” O que estava morto sentou-se e começou a falar. E Jesus o entregou à sua mãe. Todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus, dizendo: 'Um grande profeta apareceu entre nós
    e Deus veio visitar o seu povo.' Esta notícia se espalhou por toda a Judeia e pela redondeza inteira.

    O toque da mão de Jesus é um toque de vida. Acrescente-se a este gesto, a sua Palavra!
    O toque de Jesus curou cegos, fez paralíticos andar, curou a febre da sogra de Pedro, abraçou e abençoou crianças, deu segurança a Pedro que se afundava no mar, multiplicou pães e peixes, expulsou demônios, levantou pecadores, curou a mulher hemorroíssa, ressuscitou a menina...e hoje pode me levantar de qualquer situação que queira me derrubar e me abençoar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - O que a Palavra diz para mim?

      Posso me perguntar tantas coisas. Jesus, pela sua Palavra e pela Eucaristia é Deus conosco, "todos os dias", como garante ele próprio?( Cf Mt 28,20).
      Como acolho este "toque", mais que isso: esta vinda de Jesus a mim pela comunhão?
      Creio que ele pode ressuscitar aquilo que está fraco e até, de certa forma, morto em mim?
      Os Bispos na V Conferência, afirmaram: "Nossos povos não querem andar pelas sombras da morte. Têm sede de vida e de felicidade em Cristo. Buscam-no como fonte de vida. Desejam essa vida nova em Deus, para a qual o discípulo do Senhor nasce pelo batismo e renasce pelo sacramento da reconciliação. Procuram essa vida que se fortalece, quando é confirmada pelo Espírito de Jesus e quando o discípulo renova sua aliança de amor em Cristo, com o Pai e com os irmãos, em cada celebração eucarística. Acolhendo a Palavra de vida eterna e alimentados pelo Pão descido do céu, quer viver a plenitude do amor e conduzir todos ao encontro com Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida." (DAp 350).

      - O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

      Rezo com o Salmista:
      Senhor, tu me mostras o caminho que leva à vida.
      A tua presença me enche de alegria e
      Me traz felicidade para sempre. (Sl 16,11).

      Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?

      Hoje, nos momentos bons e também nos mais complicados terei esta certeza: Deus está aqui.
      O Senhor dirige a minha vida! Meu futuro está nas suas mãos. (Sl 16,5)
      Palavra para lembrar: "Jesus tocou".

      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Jesus se revela como o Senhor da vida.

      Temos repetido várias vezes que Jesus é um Messias itinerante, passa pelas casas, vai de povoado em povoado, de uma região para a outra anunciando a Boa-Nova do Reino de Deus e curando muitas pessoas de seus males (Mc 1,35-39).
      Naim é um pequeno vilarejo situado entre Cafarnaum e Samaria. Para lá Jesus vai acompanhado dos seus discípulos e numerosa multidão. Às portas da cidade, Jesus e o grupo que o acompanha se encontra com outro grupo que está saindo da cidade. Difícil não traçar um paralelo entre os dois grupos, que caminham em direções opostas: um está entrando na cidade e o outro, saindo; um segue Jesus, homem poderoso em palavras e gestos, o outro segue o féretro de um menino morto; um entusiasmado e atraído pela pessoa de Jesus, o outro, profundamente comovido e entristecido pela perda do menino, filho único de uma mãe viúva.
      Ao encontrarem-se na porta da cidade, Jesus é tomado de compaixão pela mãe do menino morto.
      Não é do menino que Jesus se compadece, mas da mãe que sofre a perda do seu filho único.
      Jesus se revela como o Senhor da vida. Mas o retorno à vida não é o objetivo da iniciativa de Jesus, e sim a consolação da mãe que chora.
      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, torna-me sensível ao sofrimento e à dor de cada pessoa que encontro no meu caminho. Que a minha compaixão se demonstre com gestos concretos.

      Paz e Bem, irmãos.

      Excluir
  32. Reúno-me a todas as pessoas que se encontram em torno da Palavra na internet:
    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai,a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando ao Espírito Santo:

    Vinde, Espírito Santo!
    Enchei os corações dos vossos fiéis e
    acendei neles o fogo do vosso amor.
    Enviai o vosso Espírito, e tudo será criado,
    e renovareis a face da terra.
    Oremos:
    Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis
    com a luz do Espírito Santo,
    fazei que apreciemos retamente todas as coisas
    segundo o mesmo Espírito
    e gozemos sempre da sua consolação.
    Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

    Leio atentamente na Bíblia o texto: Lc 7,31-35, e observo as palavras de Jesus.

    Com quem, vou comparar esta geração? - Lc 7,31-35
    “Com quem, então, vou comparar as pessoas desta geração? Com quem são parecidas? São parecidas com crianças sentadas nas praças, que gritam umas para as outras: ‘Tocamos flauta para vós e não dançastes! Entoamos cantos de luto e não chorastes!’ Veio João Batista, que não come, nem bebe vinho, e dizeis: ‘Tem um demônio!’ Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizeis: ‘É um comilão e beberrão, amigo de publicanos e de pecadores!’ Ora, a sabedoria é reconhecida por todos os seus filhos.”

    Jesus usa uma comparação interessante. Compara as pessoas de má vontade a crianças caprichosas que nunca estão satisfeitas e querem todas as demais pessoas à sua volta, “dançando” e “chorando” conforme elas comandam. Ninguém as agrada. Diz Jesus que a João que jejuava estas pessoas o chamam de possesso. A Ele, que é amigo dos pecadores, e veio para salvá-los, chamam-no de comilão e beberrão. Difícil contentar a quem apenas quer condenar, criticar, distorcer. Sobretudo a quem não admite alguém superior ou igual a si. Para esses, é difícil aceitar Jesus. É difícil aceitar o precursor. É o que Jesus quer dizer, quase em tom de lamento e indignação.

    ResponderExcluir
  33. O que o texto me diz no momento?

    Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições?

    Os bispos, em Aparecida, falaram de mudança de época, contradições:
    "Vivemos uma mudança de época, e seu nível mais profundo é o cultural. Dissolve-se a concepção integral do ser humano, sua relação com o mundo e com Deus; "aqui está precisamente o grande erro das tendências dominantes do último século... Quem exclui Deus de seu horizonte, falsifica o conceito da realidade e só pode terminar em caminhos equivocados e com receitas destrutivas. Surge hoje, com grande força, uma supervalorização da subjetividade individual. Independentemente de sua forma, a liberdade e a dignidade da pessoa são reconhecidas. O individualismo enfraquece os vínculos comunitários e propõe uma radical transformação do tempo e do espaço, dando papel primordial à imaginação. Os fenômenos sociais, econômicos e tecnológicos estão na base da profunda vivência do tempo, o qual se concebe fixado no próprio presente, trazendo concepções de inconsistência e instabilidade. Deixa-se de lado a preocupação pelo bem comum para dar lugar à realização imediata dos desejos dos indivíduos, à criação de novos e muitas vezes arbitrários direitos individuais, aos problemas da sexualidade, da família, das enfermidades e da morte." (DAp 44).

    O que o texto me leva a dizer a Deus?

    Rezo com o bem-aventurado Alberione:
    Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai. Derrama sobre nós, a abundância
    do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai.
    Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho.
    Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração.
    Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

    Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
    Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus,
    que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Escolho uma frase ou palavra para memorizar.
    Vou repeti-la durante o dia. Esta Palavra vai, aos poucos, fazendo parte da minha vida.
    "Aceito a sabedoria de Deus."

    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falta discernimento.

      O trecho anterior ao evangelho da liturgia de hoje é o episódio em que João Batista, da prisão, envia seus discípulos a Jesus para perguntar se, de fato, ele era o Messias prometido. Jesus responde a João citando o profeta Isaías (Lc 7,18-23). A pergunta de João mostra a sua dificuldade de discernir e compreender os sinais que revelam a identidade profunda de Jesus. A resposta de Jesus citando Isaías é suficiente para que João compreenda que, efetivamente, o “hoje” da salvação se realiza na pessoa de Jesus, no seu ensinamento e nos seus gestos. Toda a atividade do Batista visava à conversão das pessoas em vista da chegada do Messias. O movimento de João Batista ganhou muitos adeptos, mas também sofreu muita resistência (cf. Lc 7,29-30). No movimento de aceitação/rejeição de João Batista é prefigurada a aceitação/rejeição de Jesus. Trata-se, aqui, de aceitar ou rejeitar o desígnio salvífico de Deus.

      A incredulidade dos chefes do povo é criticada. Ela ilustra a rejeição da missão e da mensagem de Jesus por parte das autoridades religiosas. Falta a eles o discernimento para, em meio às vicissitudes do tempo, conhecerem a graça de Deus manifestada na pessoa de Jesus Cristo.

      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, purifica-me de toda forma de orgulho que me leva a desprezar meu semelhante e a julgar-me superior a ele. Como Jesus, desejo estar próximo de quem se afastou de ti.

      Excluir
  34. Saudação:
    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Espírito Santo, Deus de amor, concede-me: a inteligência que te conheça; a angústia que te procure;
    a sabedoria que te encontre; a vida quete agrade; a perseverança que enfim te possua. Amém.
    Santo Tomás de Aquino

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 4,38-44, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    Jesus aceitou o convite do fariseu e foi fazer jantar na casa dele. Aproveita a ocasião para ensinar.Os comensais estão reclinados em almofadas. Embora a sala estivesse aberta, não era comum que uma mulher de “má fama” entrasse.
    A mulher soube que Jesus estava ali e não se importou com o que pudesse dizer. Entrou com um frasco de perfume. O que ela fez foi tão afetuoso, tão penitencial , reconhecido e tão amoroso! Mas, para aquelas pessoas que tinham o costume de julgar, ,foi tão escandaloso. A mulher soltou os cabelos. Lavou os pés de Jesus com suas lágrimas, enxugou-os com os cabelos, os beijava e derramou sobre eles o perfume. Jesus a deixa se expressar, sem rejeitá-la ou colocar resistência. O anfitrião se escandalizou e pensou: “Se ele fosse um profeta saberia quem é esta mulher pecadora que o está tocando...” Jesus vê o pensamento de Simão e responde a ele contando-lhe a parábola dos dois homens que tinham a dívida. Aquele a quem mais foi perdoado de sua dívida vai estimar mais o homem. Pelos gestos da mulher, Jesus diz que ela teve um grande amor e por isso os seus “muitos pecados já foram perdoados”. Amar pode equivaler a agradecer, conforme a origem da palavra. Para a mulher ele diz: “A sua fé salvou você!”
    O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?
    Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo. O que o texto me diz no momento?
    Se Jesus viesse jantar em sua casa, em qual posição você estaria: na de Simão? Dos outros convidados? Ou da mulher?
    Na Conferência de Aparecida, os bispos falaram da dignidade humana: "
    "Bendizemos a Deus pela dignidade da pessoa humana, criada à sua imagem e semelhança. Ele nos criou livres e nos fez sujeitos de direitos e deveres em meio à criação. Agradecemos a ele ter-nos associado ao aperfeiçoamento do mundo, dando-nos inteligência e capacidade para amar; e lhe agradecemos a dignidade, que recebemos também como tarefa que devemos proteger, cultivar e promover. Bendizemos a Deus pelo dom da fé que nos permite viver em aliança com ele até o momento de compartilhar a vida eterna. Bendizemos a Deus por nos fazer suas filhas e filhos em Cristo, por nos haver redimido com o preço de seu sangue e pelo relacionamento permanente que estabelece conosco, que é fonte de nossa dignidade absoluta, inegociável e inviolável. Se o pecado deteriorou a imagem de Deus no homem e feriu sua condição, a boa nova, que é Cristo, o redimiu e o restabeleceu na graça (cf. Rm 5,12-21)." (DAp 104).

    Minha vida reflete o que o texto diz? Em quê? O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?

      Rezo com o bem-aventurado Alberione:
      Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai.
      Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai. Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho. Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos,
      guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir todo julgamento que não é conforme Jesus Mestre. Vou demonstrar pela vida que o amor de Deus se revela no amor ao próximo. Vou lembrar, durante o dia: "A fé salva!"

      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Uma profissão de fé sem palavras.

      Jesus não se recusa ir à casa de quem quer que seja. Vai à casa até mesmo daqueles que lhe fazem oposição. É a terceira vez que é convidado e aceita ir à casa de um fariseu (5,29-32; 19,1-10).
      Estando à mesa na casa de Simão, o fariseu, uma pecadora da cidade entra na casa e faz como que os gestos típicos da lei de hospitalidade.
      A objeção de Simão informa o leitor que não se pode se deixar tocar por uma pecadora. Para responder à objeção do fariseu, Jesus conta uma parábola seguida imediatamente de uma pergunta a Simão. A parábola ressalta a gratuidade do credor: é ele quem perdoa, não importa qual o tamanho da dívida.

      Deus perdoou a mulher por sua fé em Jesus. Os gestos da mulher não exprimem simplesmente arrependimento, mas profunda fé naquele que a pode salvar. É uma profissão de fé sem palavras. Aqui, os gestos são muito mais eloquentes.

      Em Jesus ela encontra acolhida, pode experimentar a misericórdia de Deus e ver descortinar a possibilidade de uma vida nova. Não é em razão de sua fé que ela foi perdoada, mas a fé em Jesus é necessária para acolher o dom do perdão.

      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, faze-me nutrir um amor tão entranhado a Jesus a ponto de não ter vergonha de manifestá-lo em nenhuma circunstância, mesmo correndo o risco de ser mal-compreendido.

      Excluir
  35. Mulheres acompanham Jesus. - Lc 8,1-3
    Depois disso, Jesus percorria cidades e povoados proclamando e anunciando a Boa-Nova do Reino de Deus. Os Doze iam com ele, e também algumas mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças: Maria, chamada Madalena, de quem saíram sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana, e muitas outras mulheres, que os ajudavam com seus bens.

    Saudação
    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
    a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
    no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Ó Espírito Santo, amor do Pai e do Filho! Inspirai-me sempre aquilo que devo pensar, aquilo que devo dizer, como eu devo dizê-lo, aquilo que devo calar, aquilo que devo escrever, como eu devo agir, aquilo que devo fazer, para procurar a vossa glória, o bem das almas e minha própria santificação. Ó Jesus, toda a minha confiança está em Vós. Ó Maria, templo do Espírito Santo, ensinai-nos a sermos fiéis Aquele que habita em nosso coração. (Cardeal Verdier)

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto Lc 8,1-3, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    No grupo de seguidores de Jesus estavam também algumas mulheres, contra o costume dos rabinos da época.
    Madalena, agradecida pela libertação recebida de Jesus, outras simpatizantes que prestavam auxílio. A tradição conservou seus nomes: Joana, Susana e, muitas outras que com seus recursos ajudavam Jesus e seus discípulos.
    Não eram pessoas pobres e é admirável terem colocado a si mesmas e seus recursos a serviço do Reino. Demonstra também a superação do preconceito e da condição de inferioridade das mulheres. Eram discípulas e missionárias de Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?
      Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo. O que o texto me diz no momento? Falam da dignidade humana da mulher, os bispos da América Latina e Caribe: "A antropologia cristã ressalta a igual identidade entre homem e mulher em razão de terem sido criados a imagem e semelhança de Deus. O mistério da Trindade nos convida a viver uma comunidade de iguais na diferença. Em uma época marcada pelo machismo, a prática de Jesus foi decisiva para significar a dignidade da mulher e de seu valor indiscutível: falou com elas (cf Jo 4,27), teve singular misericórdia com as pecadoras (cf. Lc 7,36-50; Jo 8,11), curou-as (cf. Mc 5,25-34), reivindicou sua dignidade (cf Jo 8,1-11), escolheu-as como primeiras testemunhas de sua ressurreição (cf. Mt 28,9-10) e incorporou-as ao grupo de pessoas que lhe eram mais próximas (cf. Lc 8,1-3). A figura de Maria, discípula por excelência entre discípulos, é fundamental na recuperação da identidade da mulher e de seu valor na Igreja. O canto do Magnificat mostra Maria como mulher capaz de se comprometer com sua realidade e de ter uma voz profética diante dela." (DAp 451).
      Sou uma pessoa preconceituosa em relação à presença da mulher na Igreja?
      Minha vida reflete a atitude de Jesus em relação à presença das mulheres na evangelização?

      O que o texto me leva a dizer a Deus? Rezo com o canto do Padre Zezinho, scj:

      MULHER IGREJA
      1- Eu te vejo tão jovem, tão cheia de vida tão mulher como as outras mulheres da terra
      Mas em ti qualquer coisa desperta atenção: Deste a Deus o teu coração ( bis)

      Igual Maria, igual a Marta, igual a Clara, igual Tereza;
      Igual Tereza, igual Clara, Igual Maria Mãe de Jesus!

      2- Eu te vejo ta frágil, tão forte de graça, Tão mulher como as outras mulheres da terra;
      Mas o mundo te olha sem compreender, Deste a Deus teu corpo e teu ser. (bis)

      3- Eu não sei quem tu és, nem recordo o teu nome, És mulher, és irmã, és amor, és Igreja.
      E se em ti qualquer coisa desperta atenção, seja Deus em teu coração (bis)

      4- Eu queria pedir neste canto que eu canto pra lembra que tu és feminino da Igreja.
      Por favor não te canses de tal decisão: Fique em Deus o teu coração. (bis)
      (CD Quietude, Pe. Zezinho,scj)

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
      Vou eliminar do meu modo de pensar e agir o preconceito e o sentimento de inferioridade em relação à mulher. Vou demonstrar pela vida que o amor de Deus se revela no amor ao próximo. Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. As mulheres participam ativamente da vida eclesial.

      Já tivemos a oportunidade de observar que o grupo dos discípulos é muito mais amplo que o grupo dos Doze (Lc 6,13). O trecho do evangelho de hoje é um sumário da atividade de Jesus. À diferença dos rabinos que não aceitavam as mulheres como discípulas, no grupo dos Doze que acompanhavam Jesus, Lucas observa que havia mulheres. Isso é absolutamente novo e surpreendente. São mulheres, ao que se pode deduzir do texto, com uma história pessoal dramática e que foram libertadas pelo Senhor de seus males (v. 2); algumas dentre elas, pode-se supor, simpatizantes do “movimento do Galileu”. Mas o número delas é muito maior do que a pequena lista apresentada no texto (cf. Lc 23,53-56). Supomos que as que são expressamente mencionadas ocupavam um lugar de liderança na comunidade primitiva. Os nomes de duas dentre elas, Maria Madalena e Joana, nós os encontramos mencionados no relato da ressurreição do Senhor (Lc 24,9-11). O nosso texto pretende instruir a comunidade cristã de que as mulheres participam ativamente com os seus dons da vida eclesial.

      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, reveste-me do amor e da fidelidade necessárias para ser servidor do Reino. Que eu demonstre meu reconhecimento a ti, colocando minha vida a serviço do meu próximo.


      Tenham todos um abençoado final de semana!
      Thank You God is Friday
      Domingo - Dia do Senhor

      Excluir
  36. Olá bom dia amados irmãos em Cristo Jesus.

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos os que se encontram em volta da Palavra neste instante e, aqui neste espaço, pessoas do mundo inteiro, do Brasil, do Canadá, da Índia, do Japão, de Portugal, da Rússia, da Noruega, da Itália, dos Estados Unidos, da África, das Filipinas, e de muitos outros lugares. Fazemos, em torno da Palavra, nossa grande Luz, a unidade, como pedia Jesus que fizéssemos:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
    Peçamos a luz do Espírito Santo

    Amado Deus, tu que enviaste o Espírito Santo aos discípulos, dando-lhes coragem para levar a mensagem de Cristo a todos os lugares, iluminando vidas, criando a primeira comunidade cristã, nós te pedimos: concede constantemente o vigor
    e o poder desse Espírito, para que possamos ser luz e anunciar a tua vontade. Ilumina nosso coração e nossa mente para reconhecermos tua Palavra orientadora em meio a tantas vozes e espíritos que nos iludem. Isto nós pedimos por Jesus Cristo, teu Filho amado, que contigo e com o Espírito Santo vive e reina eternamente. Amém.

    Onde colocamos a luz? - Lc 8,16-18
    “Ninguém acende uma lâmpada para escondê-la debaixo de uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ela é posta no candelabro, a fim de que os que entram vejam a claridade. Ora, nada há de escondido que não venha a ser descoberto. Nada há de secreto que não venha a ser conhecido e se tornar público. Olhai, portanto, a maneira como ouvis! Pois a quem tem será dado, e a quem não tem, até aquilo que julga ter lhe será tirado!”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que a Palavra diz?

      Leio atentamente o texto da Palavra do dia: Lc 8,16-18.
      Faço um instante de silêncio e recordo o que li. Neste texto aparecem os verbos: "acender", "ver", "colocar". São relacionados à lamparina. A Palavra de Deus, é uma lamparina que, antes de iluminar o caminho por onde vamos, ilumina-nos por dentro, ilumina a nossa consciência para que possamos conhecer, discernir a vontade de Deus. Nossa missão na Igreja é de ser luz.

      O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

      Em sintonia com o coração de Jesus, rezo, com a canção do Padre Zezinho, scj:
      Jesus é luz, brilhante luz do céu.
      Jesus é paz, inquieta e doce paz de Deus.
      Jesus é Deus. Quem vê a vida iluminado pela luz que é Jesus,
      não anda em trevas, tropeça menos, também se torna luz.
      Por isso eu pus a minha luz na luz imensa de Jesus.
      Por isso eu pus a minha paz na paz imensa de Jesus,
      e depois disso eu já não temerei, não temerei
      não temerei a escuridão, a escuridão. Jesus é minha luz.
      (Pe. Zezinho, CD Canções que a fé escreveu)

      Qual o novo olhar que a Palavra despertou em mim?

      Cristo diz: "Eu sou a luz do mundo"( Jo 8,12) e "Vocês são a luz do mundo". (Mt 5,14). Passarei o dia vendo com a luz de Deus, as pessoas, a família, o trabalho, os estudos, todas situações, o mundo, e sobretudo as pessoas com as quais me relaciono mais de perto. Palavra que me fará recordar: "Vocês são a luz do mundo"

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. O Reino de Deus é uma luz que brilha e atrai outros.

      A Palavra de Deus, afirma o salmista, é uma lâmpada que ilumina os passos, isto é, o modo de proceder na vida (Sl 118,105). A lâmpada é acesa para iluminar toda a casa, a fim de que o interior da casa esteja iluminado e os que entram possam se localizar. A lâmpada é acesa por Jesus através do seu ensinamento e ela ilumina não somente os fiéis cristãos, mas todos os que se aproximam dele de coração sincero. Dito com outras palavras, o Reino de Deus, escondido e revelado no ensinamento de Jesus, é uma luz no coração do discípulo, luz que brilha e atrai outros. Isso é exemplificado pelo provérbio do v. 17: tudo o que o discípulo aprende de Jesus, em particular (v. 9), deve se manifestar para que outros também possam ser iluminados. A palavra de Jesus Cristo é uma verdadeira luz, pois ela revela o mistério do Reino de Deus. Em consequência disso, a anúncio cristão é igualmente uma luz que faz conhecer o mistério de Cristo e, por ele, o mistério de Deus. A advertência do v. 18a é um alerta, pois uma escuta autêntica leva a transmitir o que se escutou, a fim de que outros sejam iluminados. Sem essa transmissão, é como se faltasse à lâmpada o combustível que a faz brilhar e iluminar.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, transforma-me em lâmpada do Reino, para que, por meio de meu testemunho de vida, eu possa mostrar teu caminho a muitas pessoas que vagam nas trevas.

      Amdos, tenham todos uma excelente semana.
      Paz e Bem.

      Excluir
  37. Quem é da família de Jesus? - Lc 8,19-21
    Sua mãe e seus irmãos vieram ter com ele, mas não podiam se aproximar, por causa da multidão. Alguém lhe comunicou: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem te ver”. Ele respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são estes: os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”.

    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Jesus, Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto: Lc 8, 19-21, e observo Jesus e sua Mãe.

    Este texto que meditamos apresenta a pessoa de Maria, Mãe de Jesus. Ela e seus parentes queriam falar com ele. E ele diz que são de sua família os que ouvem a Palavra de Deus e a praticam. Numa primeira leitura pode parecer que Jesus é deselegante com sua mãe, mas, num momento de melhor compreensão pode-se perceber que aconteceu o contrário. Ao dizer que são de sua família os que fazem a vontade do Pai, ele incluiu sua Mãe. Ela foi a primeira, na Anunciação, a dizer “sim” ao projeto do Pai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto diz para mim, hoje?
      Sou da família de Jesus?

      Os bispos, na Conferência de Aparecida disseram: " A máxima realização da existência cristã como um viver trinitário de "filhos no Filho" nos é dada na Virgem Maria que, através de sua fé (cf. Lc 1,45) e obediência à vontade de Deus (cf. Lc 1,38), assim como por sua constante meditação da Palavra e das ações de Jesus (cf. Lc 2,19.51), é a discípula mais perfeita do Senhor. Interlocutora do Pai em seu projeto de enviar seu Verbo ao mundo para a salvação humana, com sua fé Maria chega a ser o primeiro membro da comunidade dos crentes em Cristo, e também se faz colaboradora no renascimento espiritual dos discípulos. Sua figura de mulher livre e forte, emerge do Evangelho conscientemente orientada para o verdadeiro seguimento de Cristo. Ela viveu completamente toda a peregrinação da fé como mãe de Cristo e depois dos discípulos, sem estar livre da incompreensão e da busca constante do projeto do Pai.

      Alcançou, dessa forma, o fato de estar ao pé da cruz em comunhão profunda, para entrar plenamente no mistério da Aliança." (DAp 266).

      E eu, digo “sim” à vontade de Deus, mesmo que seja contrária ao meu projeto? Busco descobrir a cada dia qual é a vontade de Deus para mim?

      O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo com a oração do Anjo:
      - O anjo do Senhor anunciou a Maria.
      - E ela concebeu do Espírito Santo.
      - Eis aqui a serva do Senhor.
      - Faça-se em mim conforme a tua Palavra.
      - E o Verbo Divino se fez homem.
      - E habitou entre nós.

      Ave Maria, cheia de graça...

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Meu novo olhar é de busca e acolhimento da vontade de Deus para cada instante do meu dia.
      Palavra para lembrar durante o dia: sou da família de Jesus.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. No centro da vida cristã deve estar a Palavra de Deus.

      A visita da família de Jesus é, para ele, ocasião de ensinar os seus discípulos acerca do específico da comunidade cristã (cf. Lc 6,46-49).

      É Marcos quem, no seu evangelho, informa a razão da visita da família de Jesus: pensavam que estivesse fora de si (Mc 3,21).

      No evangelho de João, são os adversários de Jesus que têm essa opinião a respeito dele (Jo 10,10-20). Aproveitando a ocasião e ignorando a intenção de sua parentela, Jesus ensina que a pertença ao povo que ele reúne não se dá pela descendência do sangue, mas por uma atitude que engaja o discípulo no dinamismo da escuta e da prática da Palavra de Deus (cf. Lc 6,46-47). Mais adiante no relato evangélico, àquela mulher que, admirada pelas palavras de Jesus, gritou: “Felizes as entranhas que geraram e os seios que te amamentaram”, Jesus respondeu: “Felizes são os que ouvem a Palavra de Deus e a praticam” (Lc 11,27-28). A mãe de Jesus passou, na tradição da Igreja, a ser modelo do discípulo porque ela é a mulher que escutou a Palavra de Deus e a praticou (Lc 1,38). No centro da vida cristã deve estar a Palavra de Deus. Em Jesus, Verbo de Deus, a Palavra de Deus adquire todo o seu sentido e é uma fonte de verdadeira vida.
      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, que minha condição de membro da grande família do Reino se expresse no meu modo de proceder. Pela disposição a amar, quero dar provas de ser teu filho.

      Excluir
  38. Jesus convocou e deu autoridade aos doze - Lc 9,1-6
    Jesus convocou os Doze e deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças. Ele os enviou para anunciar o Reino de Deus e curar os enfermos. E disse-lhes: “Não leveis nada pelo caminho: nem cajado, nem sacola, nem pão, nem dinheiro, nem duas túnicas. Na casa onde entrardes, permanecei ali, até partirdes daí. Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés, como protesto contra eles.”. Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa-Nova e fazendo curas por toda parte.

    Saudação:

    - A nós todos, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Oração ao Espírito Santo
    Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim. Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra, à tua oração, à tua ação em mim para que eu possa conhecero mistério da vontade do Pai. Amém.

    Leio o texto do dia em Lc 9,1-6 e observo as recomendações de Jesus.

    Jesus chamou os doze discípulos e lhes deu poder e autoridade para expulsar todos os demônios e curar doenças. Então os enviou para anunciarem o Reino de Deus e curarem os doentes. Ele disse:
    - Nesta viagem não levem nada: nem bengala para se apoiar, nem sacola, nem comida, nem dinheiro, nem mesmo uma túnica a mais. Quando vocês entrarem numa cidade, fiquem na casa em que forem recebidos até irem embora daquele lugar. Mas, se forem mal recebidos, saiam logo daquela cidade. E na saída sacudam o pó das suas sandálias, como sinal de protesto contra aquela gente. Os discípulos então saíram de viagem e andaram por todos os povoados.

    Jesus chamou os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre o mal. Deu-lhes também recomendações referentes ao estilo de vida pessoal e método missionário. Depois, os enviou dois a dois para levar a mensagem de vida por todos os povoados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que a Palavra diz para mim?

      Deus quer precisar de nós como testemunhas da sua graça.

      Fomos feitos para ser comunidade (grupo dos doze) e formar comunidade ( ir às cidades). Isto é ser discípulo missionário, como nos propõe a Igreja na América Latina, na Missão Continental. O amor inspira atitudes e gestos com gosto de doação e disponibilidade. Foi assim com Jesus. Foi assim com os apóstolos. Mais ainda. Disseram os bispos em Aparecida: "Para não cair na armadilha de nos fechar em nós mesmos, devemos nos formar como discípulos missionários sem fronteiras, dispostos a ir "à outra margem", àquela na qual Cristo não é ainda reconhecido como Deus e Senhor, e a Igreja não está presente". (DAp 376).

      Deve ser assim comigo, com você. Amar é estar disposto a nos dedicar a um projeto pessoal para ir ao encontro do outro que precisa de mim.

      - O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
      "É necessário aprender a orar, voltando sempre a aprender esta arte dos lábios do Mestre", disseram os Bispos no Sínodo, em 2008. Jesus Mestre nos ensinou a orar e na sua oração está todo o conteúdo da nossa missão. Rezo, agora, o Pai Nosso, lentamente, observando bem o sentido de cada palavra.

      PAI NOSSO
      Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

      - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?

      Hoje, quero viver como discípulo/a missionário/a de Jesus Mestre, pensando nos meus irmãos que precisam de vida. Nos encontros, e também nos desencontros, se houver, rezarei uma bênção sobre cada pessoa, como o fez são Paulo:
      "Graça e Paz para você! Quando for visitá-lo, levarei comigo muitas bênçãos de Cristo". (Rm 15,29)

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. É o testemunho que torna presentes as palavras e os gestos de Jesus.

      Entre o chamado dos primeiros discípulos junto ao mar da Galileia e dos Doze sobre a montanha, foi percorrido um longo itinerário que, para o leitor do evangelho, é difícil mensurar em termos de tempo. Nesse longo percurso, eles puderam ouvir os ensinamentos de Jesus, experimentar a força e a eficácia de suas palavras e, igualmente, contemplar os atos de poder de Jesus que despertavam nas pessoas beneficiadas por eles a força, o gosto e a fé na vida. Foram testemunhas de que o Senhor vence o mal e liberta o ser humano das amarras do inimigo da natureza humana. Agora, são enviados e, para levarem a termo a missão, recebem o poder e a autoridade do Senhor. Trata-se, aqui, do Espírito Santo, força do alto para o testemunho (At 1,8). É o testemunho que torna presentes as palavras e os gestos de Jesus. Pelo testemunho se prolonga na história a missão de Jesus. As recomendações para a missão orientam para o despojamento e a liberdade diante das coisas, porque a segurança dos Doze deve estar no Senhor que os envia. As instruções que Jesus dá aos Doze para a missão visa fazê-los compreender que a preocupação com seguranças pessoais não pode distraí-los, pois são portadores de uma mensagem que tem incidência decisiva na vida das pessoas.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, tendo recebido a tarefa de continuar a missão de Jesus, ensina-me a imitá-lo tanto no modo de ser e de pregar, quanto na pobreza e na coragem de enfrentar a rejeição.

      Graça e Paz a todos.
      Tenham um santo dia!

      Excluir
  39. Quem será esse homem? - Lc 9,7-9
    O rei Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou confuso, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. Então Herodes disse: “Eu mandei cortar a cabeça de João… Quem será esse homem, sobre quem ouço falar estas coisas?” E procurava ver Jesus.

    Amados irmãos em Cristyo Jesus
    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Jesus Mestre, que dissestes: "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles",
    ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra.
    Sois o Mestre e a Verdade:iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia? Se tenho a Bíblia próxima de mim, localizo o texto e o leio diretamente na Bíblia.
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto Lc 9,7-9 e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    Primeiro, Herodes ouvir falar de Jesus. E se faz a pergunta: Quem será este homem? E, procura “ver" Jesus.
    Herodes não crê no que ouve, por isso quer ver Jesus. Bastaria vê-lo sem ter fé?
    Herodes o verá por ocasião do julgamento de Jesus e, realmente, faltou-lhe a fé. São João descreve no Evangelho que “ Herodes se alegrou muito ao ver Jesus; Fazia tempo que desejava vê-lo fazer algum milagre.
    Fez-lhe muitas perguntas, mas Jesus não lhe respondeu” (Jo 23, 8-9). Diz ainda que Herodes com seus soldados trataram Jesus com muito desprezo.

    O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?

    Herodes queria “ver” Jesus e o viu, mas não teve fé, não acreditou. Não basta ver. É preciso crer! Quantas pessoas vêem obras de arte sobre Jesus Cristo, vêem espetáculos, lêem obras de grandes autores e, até se comovem, mas não mudam de vida, e não testemunham sua fé.
    A fé vivida é fundamental. Sobretudo na realidade em que vivemos. Como dizem os bispos no documento de Aparecida: "Diante de uma vida sem sentido, Jesus nos revela a vida íntima de Deus em seu mistério mais elevado, a comunhão trinitária.
    É tal o amor de Deus, que faz do homem, peregrino neste mundo, sua morada: “Viremos a ele e viveremos nele” (Jo 14,23). Diante do desespero de um mundo sem Deus, que só vê na morte o final definitivo da existência, Jesus nos oferece a ressurreição e a vida eterna na qual deus será tudo em todos (cf. 1 Cor 15,28).
    Diante da idolatria dos bens terrenos, Jesus apresenta a vida em Deus como valor supremo: “de que vale alguém ganhar o mundo e perder a sua vida?” (Mc 8,36) (Evangelii Nuntiandi 8). (DAp 109).

    O que isso me diz no momento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus? E rezo:
      Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai.
      Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo!
      Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai.
      Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho. Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

      (Vida e Missão)
      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Vou demonstrar pela vida que creio em Jesus Cristo e vivo esta fé. Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. A identidade de Jesus.

      Toda a primeira parte do evangelho de Lucas (4,14–9,50) é perpassada pela pergunta sobre a identidade de Jesus. Nessa parte do evangelho, a contar do discurso inaugural e programático na sinagoga de Nazaré, a resposta é que Jesus é um verdadeiro profeta (7,16.39).
      Herodes, tido como malfeitor pelo próprio evangelista (3,19-20), se pergunta quem é Jesus. Ele nunca se encontrou com Jesus, o que acontecerá somente durante a paixão, mas a fama de Jesus se espalhava por todas as regiões e as opiniões a respeito dele eram as mais variadas.
      A visão de Herodes é exterior, pois simplesmente ouvia falar de tudo o que Jesus fazia (v. 7), e suas considerações estão presas ao passado. O seu interesse de ver Jesus não passa de curiosidade.
      Mais adiante, no relato da paixão, o evangelista observa que Herodes ficou muito contente de ver Jesus, pois esperava presenciar algum milagre realizado por ele (Lc 23,8).
      Diante de um homem com tal pretensão e maldade, Jesus não pronunciou nenhuma palavra sequer.
      A incredulidade fecha o coração do homem ao mistério de Deus. Para Herodes, a identidade de Jesus permanecerá um enigma, pois para conhecê-la é preciso ter fé, uma vez que tal conhecimento só é possível por revelação de Deus.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, diversamente dos inimigos de Jesus, quero conhecer a identidade e a missão de teu Filho, pois é por ele que me guiarei para ser fiel a ti.

      Tenham um ótimo dia.
      Graá e Paz!

      Excluir
  40. Quem dizeis que eu sou? - Lc 9,18-22
    Jesus estava orando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: 'Quem diz o povo que eu sou?' Eles responderam: 'Uns dizem que és João Batista;
    outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou.' Mas Jesus perguntou: 'E vós, quem dizeis que eu sou?' Pedro respondeu: 'O Cristo de Deus.' Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém. E acrescentou: 'O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia.'

    A todos nós, reunidos pela web, a paz de Deus, nosso Pai,a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Jesus, Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.
    Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 9,18-22, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    Quando Jesus pergunta sobre sua identidade, devido à convivência com Ele, os discípulos já têm uma ideia formada. Ouviram tanta coisa, viram muitas outras, sentiram a presença do Mestre, conviveram com ele, pode-se dizer: “fizeram a experiência de Deus” . Não há mais dúvida. Pedro fala em nome de todos com sua forte expressão de fé: “És o Messias!” A partir disso, Jesus se faz mais íntimo: fala de seu futuro sofrimento, de sua morte e ressurreição.

    O que o texto diz para mim, hoje?

    A fé em Jesus Cristo que vivo é para ser comunicada. Como dizem os bispos da América Latina:
    “Desejamos que a alegria que recebemos no encontro com Jesus Cristo, a quem reconhecemos como o Filho de Deus encarnado e redentor, chegue a todos os homens e mulheres feridos pelas adversidades; desejamos que a alegria da boa nova do Reino de Deus, de Jesus Cristo vencedor do pecado e da morte, chegue a todos quantos jazem à beira do caminho, pedindo esmola e compaixão (cf. Lc 10,29-37; 18,25-43).” (DAp 32).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo:
      Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai. Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai. Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho. Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus e eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Vou demonstrar pela vida a fé que recebi no Batismo e que vivo como pessoa cristã.

      Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Oração de Jesus
      Um dos traços característicos do terceiro evangelho é a frequência com que se fala da oração de Jesus. A dupla pergunta feita aos discípulos surge da oração e é o resultado da consciência que Jesus tem de não estar sendo compreendido.
      A resposta dos discípulos confirma que as multidões não só não têm clareza acerca da identidade de Jesus, como não conseguem ultrapassar o limite do imediatamente visto.
      A opinião das multidões prende Jesus ao passado de Israel. A segunda pergunta engaja os discípulos numa resposta existencial.
      Como porta-voz do grupo dos Doze, Pedro responde: o Messias prometido e esperado, em quem habita o Espírito Santo.
      À profissão de fé de Pedro, Jesus anuncia a sua paixão, morte e ressurreição. Esse anúncio exige dos discípulos se distanciarem da opinião das multidões a respeito de sua identidade e de uma falsa ideia do Messias.
      Esse anúncio tem, igualmente, uma incidência prática na vida dos discípulos: como seguidores de Jesus, eles devem superar toda tentação de poder mundano, pois o poder do Cristo é o amor e o serviço gratuito e generoso, que torna alguém capaz de entregar a própria vida para realizar a vontade de Deus
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, só tu podes revelar-me a identidade de teu Filho Jesus. Que eu a conheça de forma verdadeira para poder conformar com ela a minha vida.

      Queridos irmãos, tenham um abençoado e santo final de semana!

      Excluir
  41. Encontro de Jesus com Natanael - Jo 1,47-51
    Jesus viu Natanael que vinha ao seu encontro e declarou a respeito dele: “Este é um verdadeiro israelita, no qual não há falsidade!” Natanael disse-lhe: “De onde me conheces?” Jesus respondeu: “Antes que Filipe te chamasse, quando estavas debaixo da figueira, eu te vi”. Natanael exclamou: “Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!” Jesus lhe respondeu: “Estás crendo só porque falei que te vi debaixo da figueira? Verás coisas maiores que estas”. E disse-lhe ainda: “Em verdade, em verdade, vos digo: vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem!”

    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
    - A nós todos, na rede da web, a paz de Deus, nosso Pai,a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,no amor e na comunhão do Espírito Santo.

    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Oração ao Espírito Santo

    Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho,
    tu estás em mim,
    falas em mim,
    rezas em mim,
    ages em mim.
    Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra,
    à tua oração,
    à tua ação em mim
    para que eu possa conhecer
    o mistério da vontade do Pai. Amém.

    O que diz o texto do dia?

    Leio, na Bíblia, atentamente o texto: Jo 1,47-51, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
    Jesus vê Natanael chegar e diz que ele é um “homem realmente sincero, um verdadeiro israelita”. Jesus responde-lhe, e também para todo o grupo, com uma revelação. É ele, o Cristo, um verdadeiro caminho que une a terra ao céu, o mediador, o Caminho para a Verdade e a Vida. Natanael o chamou de Mestre, Filho de Deus. Jesus se confessa “filho do homem” (= homem verdadeiro). Esta última afirmação é dirigida ao grupo inteiro: “Eu afirmo a vocês”. A referência à figueira é clara para Natanael. Para nós é ainda enigmática. Uns a interpretam como imagem de Israel. Outros a entendem como vida tranquila e quotidiana. A tradição identificou Natanael com Bartolomeu.

    O que o texto diz para mim, hoje? O que o texto me diz no momento?
    Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições? Em que me pareço com Natanael? Os bispos, em Aparecida, disseram:

    “A vocação ao discipulado missionário é con-vocação à comunhão em sua Igreja. Não há discipulado sem comunhão. Diante da tentação, muito presente na cultura atual de ser cristãos sem Igreja e das novas buscas espirituais individualistas, afirmamos que a fé em Jesus Cristo nos chegou através da comunidade eclesial e ela “nos dá uma família, a família universal de Deus na Igreja Católica. A fé nos liberta do isolamento do eu, porque nos conduz à comunhão” Isto significa que uma dimensão constitutiva do acontecimento cristão é o fato de pertencer a uma comunidade concreta na qual podemos viver uma experiência permanente de discipulado e de comunhão com os sucessores dos Apóstolos e com o Papa.” (DAp 156).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo:
      Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai. Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo! Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento,
      porque és o único caminho para o Pai. Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho. Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração. Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.
      (bem-aventurado Alberione)

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Meu Caminho é Jesus. Vou tornar minha vida conforme o seu Projeto. Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Jesus conhece o coração do ser humano.

      Segundo o evangelho de João, em quatro dias é constituído o grupo inicial dos discípulos. O encontro de Jesus com Natanael situa-se no quarto dia, que pode ser assim descrito: encontro de Jesus com Filipe, encontro de Filipe com Natanael e de Natanael com Jesus.
      Na corrente de testemunhas do quarto evangelho, é Filipe quem conduz Natanael a Jesus. O nome próprio “Natanael” significa dado por Deus ou dom de Deus.
      Jesus conhece o coração do ser humano, por isso vai ver em Natanael o verdadeiro Israel que reconhece, não obstante uma primeira resistência, o dom que, em Jesus, Deus fez a toda a humanidade.
      A menção da figueira é enigmática para o leitor do evangelho. Seja qual for o seu sentido, a resposta de Jesus à pergunta de Natanael suscitou a fé desse israelita sem falsidade (v. 49).
      No entanto, Jesus faz Natanael se voltar para o futuro: o céu se abre para Jesus, pois é o Pai quem dá testemunho dele. Mas Jesus abrirá o céu aos seus discípulos, uma vez que é ele quem revela a verdade de Deus (cf. Jo 14,6-10).
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, leva-me a conhecer, cada vez mais profundamente, a identidade de teu Filho Jesus, e a fazer-me discípulo dele, de modo a compartilhar sua missão.

      Excluir
  42. Não quiseram receber Jesus - Lc 9,51-56
    Quando ia se completando o tempo para ser elevado ao céu, Jesus tomou a firme decisão de partir para Jerusalém. Enviou então mensageiros à sua frente, que se puseram a caminho e entraram num povoado de samaritanos, para lhe preparar hospedagem. Mas os samaritanos não o queriam receber, porque mostrava estar indo para Jerusalém. Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu, para que os destrua?” Ele, porém, voltou-se e os repreendeu. E partiram para outro povoado.

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os que circulam pela web:

    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
    Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim. Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra, à tua oração, à tua ação em mim para que eu possa conhecer o mistério da vontade do Pai. Amém.

    O que a Palavra diz?

    Volto o meu olhar para Deus, através da Palavra.Olho para Jesus, se possível, num crucifixo. Escuto o que Ele me diz: \"Aprendei de mim\"(Mt 11,29). Com a disposição de aprender do Mestre.

    Em um momento de silêncio interior, recordo o que li.
    O texto diz que Esta viagem começa com certa solenidade, mandando alguém à frente para preparar, com certeza, alojamento, espaço para encontro com as pessoas.
    No entanto, ao passar por um povoado da Samaria, Jesus não foi acolhido, não quiseram recebê-lo. Esta rejeição estava fundamentada em antigas mágoas dos samaritanos contra os judeus. Isto despertou revolta em Tiago e João que queriam logo acabar com aquela gente. Jesus os repreendeu e seguiu para outro povoado.
    O Mestre ensina que é preciso dar tempo para a conversão. Saber esperar o momento da abertura, do perdão, da reconciliação, do encontro.

    O que a Palavra diz para mim?

    Sob a luz da verdade que acolhi, respondo aos apelos e convites de Jesus Mestre. Atualizo e medito a Palavra, ligando-a à minha vida.
    E posso me perguntar: a impaciência dos apóstolos não é minha também, muitas vezes?

    Os bispos, em Aparecida, falaram também de de propostas para conduzir as pessoas ao encontro de Jesus: \"A iniciação cristã, que inclui o querigma, é a maneira prática de colocar alguém em contato com Jesus Cristo e iniciá-lo no discipulado.(...)Sentimos a urgência de desenvolver em nossas comunidades um processo de iniciação na vida cristã que comece pelo querigma que guiado pela Palavra de Deus, que conduza a um encontro pessoal, cada vez maior, com Jesus Cristo, perfeito Deus e perfeito homem, experimentado como plenitude da humanidade e que leve à conversão, ao seguimento em uma comunidade eclesial e a um amadurecimento de fé na prática dos sacramentos, do serviço e da missão.\" (DAp 288 e 289).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querigma = Primeiro Anuncio / Proclamação

      O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

      Meu coração já está em sintonia com o coração de Jesus. Vivo este momento em silêncio.
      E oro:
      Senhor Jesus, eu creio que estou na tua presença e te adoro profundamente. Ilumina a minha inteligência e fortifica a minha vontade, de modo que a minha vida seja, aos poucos, transformada pelo encontro contigo. Liberta-me de tantas coisas que me oprimem, ensina-me a evitar a dispersão em muitos interesses superficiais; ajuda-me na busca contínua da tua vontade.
      Espírito Santo, cria em mim um coração novo, capaz de amar todas as pessoas. Que a minha oração seja sustentada pela intercessão de Maria, Mãe da Igreja e modelo de disponibilidade à voz de Deus.
      Amém

      Qual o novo olhar que a Palavra despertou em mim?

      São Paulo diz: \" (Gl 2,20). E Cristo diz: \"Eu sou a luz do mundo\"( Jo 8,12) e \"Vocês são a luz do mundo\" (Mt 5,14).

      Passarei o dia a olhar todas as pessoas, rezando com o apóstolo Paulo:
      \"Ao visitá-las, levo para vocês muitas bênçãos de Cristo\". (Rm 15,29).

      Bênção
      O Senhor o abençoe e guarde!
      O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
      O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!’ (Nm 6,24-27).

      Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Subida pára Jerusalém

      O versículo 51 inaugura a seção central do evangelho segundo Lucas, denominada “subida para Jerusalém”.
      Trata-se de um versículo importante, pois ele dá o sentido dessa última subida de Jesus para Jerusalém.

      Para isso, é preciso manter a tradução literal do versículo: “… endureceu a sua face para caminhar para Jerusalém”.
      No Novo Testamento, essa expressão é própria a Lucas. Mas no Antigo Testamento a encontramos em vários textos (Is 50,7; Jr 3,12; 21,20; Ez 6,2; 13,17; 20,46; 21,2).
      Em todas essas passagens ela tem um sentido de julgamento. Muito provavelmente, é do texto grego de Ezequiel que Lucas tira a expressão do versículo 51.

      Em Ez 21,2-7, a expressão se refere a Jerusalém. Assim como Ezequiel sofreu e disse uma palavra de julgamento contra Jerusalém e seus santuários, do mesmo modo Jesus sobe para Jerusalém para julgá-la.
      Ao se aproximar da cidade, vendo-a ao longe, Jesus chorou por ela: “Ah! Se neste dia também tu reconhecesses aquele que conduz à paz!” (Lc 19,41-44).

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, livra-me de ser levado por impulso e pelas paixões ao me deparar com quem se recusa a acolher a mensagem do Reino. Que a minha mansidão possa conquistá-lo para ti.

      Excluir
  43. lgumas pessoas que queriam seguir Jesus - Lc 9,57-62
    Enquanto estavam a caminho, alguém disse a Jesus: “Eu te seguirei aonde quer que tu vás”. Jesus respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros do céu têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”. Então disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Permite-me primeiro ir enterrar meu pai”. Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai e anuncia o Reino de Deus”. Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos de minha casa”. Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado e olha para trás, não está apto para o Reino de Deus”.

    Saudamos a todas as pessoas próximas a nós, com um aperto de mão - gesto de paz e acolhimento -, e aos que circulam pela web dizemos:

    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparamo-nos para a Leitura, rezando:
    Jesus Mestre, que dissestes:
    "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
    Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão.(Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?

    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 9,57-62, e observo as pessoas que queriam seguir Jesus.
    Neste texto, três tipos de pessoas ilustram o começo do seguimento de Jesus. São personagens anônimos. O primeiro e o terceiro tomam a iniciativa, sem serem chamados. O segundo é Jesus quem o chama. Nos três casos, a exigência é o desprendimento de outros vínculos, a disposição a enfrentar o desconforto. Tudo relacionado ao desejo de seguir o Senhor. Na última fala neste trecho, Jesus afirma que quem começa a arar a terra e olha para trás não serve para o Reino. Ele quis dizer que não se pode seguir Jesus e olhar noutra direção.

    O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?

    No Documento de Aparecida, os bispos disseram: “O amadurecimento no seguimento de Cristo e a paixão por anunciá-lo requerem que a Igreja local se renove constantemente em sua vida e ardor missionário. Só assim pode ser, para todos os batizados, casa e escola de comunhão, de participação e solidariedade. Em sua realidade social concreta, o discípulo tem a experiência do encontro com Jesus Cristo vivo, amadurece sua vocação cristã, descobre a riqueza e a graça de ser missionário e anuncia a palavra com alegria.” (DAp 167).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?

      Rezo com a canção do Padre Zezinho, scj:
      EU TE SEGUIREI
      Eu te seguirei,
      Onde quer que vás.
      Onde está teu povo,
      Lá também estás
      As aves do céu tem seu ninho,
      Os peixes tem onde morar
      Leões e raposas também
      Mas o Filho do Homem não tem
      Onde morar.
      Mas lá onde está o teu povo,
      É lá onde queres ficar.
      E eu quero estar com meu povo,
      Lá também há de ser meu lugar
      Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra? Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.

      Vou seguir Jesus Mestre e seu Projeto na realidade em que estou.
      Escolho uma frase ou palavra para memorizar.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Ninguém pode impor ao Senhor condições para segui-lo.

      No início da subida para Jerusalém, apresentam-se três casos que, dado o anonimato das pessoas, devem ser tidos como típicos. No primeiro e no terceiro casos, são as pessoas que tomam a iniciativa de seguir Jesus; no segundo caso, é Jesus quem o chama. Nos três casos há o desejo sincero de seguir Jesus. No entanto, é preciso que todos saibam as condições para se tornarem discípulos e se têm força e ânimo para fazê-lo. Àquele que se apresenta desejoso de segui-lo, Jesus adverte que a vocação do discípulo é itinerante, exige desapego e renúncia do conforto dos bens terrenos.

      Aos outros dois, Jesus observa que não pode haver nada que anteceda ou possa retardar o seguimento; a disponibilidade não pode estar subordinada a apegos afetivos nem aos bens. Ninguém é excluído do seguimento de Jesus.

      No entanto, ninguém pode impor ao Senhor condições para segui-lo. O que é dito em separado a cada um deles que se dispõem a seguir Jesus vale, no seu conjunto, para todos. O que é dito aos discípulos como exigência do seguimento, nós o vemos realizado na vida mesma de Jesus.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração -
      Pai, torna-me apto para o serviço do teu Reino, dando-me as virtudes necessárias para não me desviar do caminho traçado por ti, mesmo devendo pagar um alto preço por isso.

      Excluir
  44. Quem é o maior?... - Mt 18,1-5.10

    Naquela hora, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” Jesus disse: “Em verdade vos digo, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus. E quem recebe em meu nome uma criança como esta,é a mim que recebe. Não desprezeis um só destes pequenos! Eu vos digo que os seus anjos, no céu, contemplam sem cessar a face do meu Pai que está nos céus”.

    Inicio a Leitura Orante, rezando com todos que navegam na web:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém
    Senhor, nós te agradecemos por este dia. Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas Entrar com tua luz. Queremos que tu Senhor, definas os contornos de Nossos caminhos, As cores de nossas palavras e gestos, A dimensão de nossos projetos, O calor de nossos relacionamentos e o Rumo de nossa vida. Podes entrar, Senhor em nossas famílias.
    Precisamos do ar puro de tua verdade.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na minha Bíblia, o texto: Mt 18,1-5.10.

    Os que decidem seguir Jesus encontram alguns problemas. O primeiro é a competição. Está na pergunta feita a Jesus: "Quem é o mais importante no Reino do Céu?" E a resposta é dada por Jesus através de um exemplo: chama uma criança e a coloca na frente de todos. Naquele tempo, a criança não era considerada. Era símbolo dos pobres, fracos e humildes, pessoas sem pretensões. Jesus diz que se não mudarem de vida e não ficarem como as crianças, simples, sem pretensões, nunca entrarão no Reino do céu.

    O que o texto diz para mim, hoje?

    Hoje se fala e se oferecem cursos, treinamentos, para a pessoa crescer em auto-estima, se tornar importante, mais bonita, mais jovem, fazer sucesso, ser a melhor em tudo. Vivemos numa sociedade em que vemos a cada instante pessoas querendo ter mais, aparecer mais, ser o melhor e maior, e até, ignoram as necessidades dos demais. Como disseram os bispos em Aparecida, vivemos numa sociedade em que prevalece a "lógica da vida como espetáculo": " As novas gerações são as mais afetadas por esta cultura do consumo em suas aspirações pessoais profundas. Crescem na lógica do individualismo pragmático e narcisista, que desperta nelas mundos imaginários especiais de liberdade e igualdade. Afirmam o presente porque o passado perdeu relevância diante de tantas exclusões sociais, políticas e econômicas. Para eles o futuro é incerto. Assim mesmo, participam da lógica da vida como espetáculo, considerando o corpo como ponto de referência de sua realidade presente. Têm um novo vício pelas sensações e crescem em uma grande maioria sem referência aos valores e instâncias religiosas." (DAp 51).

    A proposta de valores, de humildade e de pequenez de Jesus contradiz tudo isto. Ele fala de um Reino de iguais. Nosso coração deve estar aberto para o irmão. Como disse Jesus, é preciso mudar de vida. Se quisermos entrar no Reino do Céu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com a oração dos irmãos, ensinada por Jesus.
      Pai nosso que estais nos céus, Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso Reino. Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai as nossas ofensas Assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido E não nos deixeis cair em tentação,
      Mas livrai-nos do mal. Amém.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou cultivar meu olhar de fé reconhecendo as demais pessoas como irmãs,como aconselham os Bispos em Aparecida: "A Igreja é comunhão no amor. Esta é sua essência através da qual é chamada a ser reconhecida como seguidora de Cristo e servidora da humanidade. O novo mandamento é o que une os discípulos entre si, reconhecendo-se como irmãos e irmãs, obedientes ao mesmo Mestre, membros unidos à mesma Cabeça e, por isso, chamados a cuidarem uns dos outros (1 Cor 13; Cl 3,12-14)" (DAp 161).

      Bênção
      O Senhor o abençoe e guarde!
      O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
      O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!' (Nm 6,24-27).
      Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. O serviço é um traço característico do discípulo e da comunidade cristã.

      O discurso sobre a Igreja (Mt 18) é composto de uma série de instruções que Jesus dá aos seus discípulos sobre a vida comunitária. A pergunta dos discípulos a Jesus revela as disputas internas à comunidade cristã.
      A resposta de Jesus poderia ser compreendida nesses termos: o maior é o menor, aquele que serve (cf. Mc 9,35).
      O serviço é um traço característico do discípulo e da comunidade cristã. Mas para que seja um modo de vida, é preciso conversão, mudança radical de mentalidade.

      A “criança”, aqui, é símbolo do próprio Cristo que se fez servo de todos e que, sendo de condição divina, assumiu plenamente a nossa humanidade (Fl 2,6-7a).
      Os “pequenos” são os que se sentem desprezados (v. 10) e tentados a abandonar a fé. Nos versículos 12 a 14, eles são identificados com as ovelhas.
      Por eles é exigida da comunidade cristã uma atenção especial para que ninguém se perca (cf. Jo 17,12), a exemplo do pastor que incansavelmente vai atrás da ovelha que se perdeu até encontrá-la (Lc 15,4-7).
      Na vida cristã, a ideologia do “cada um por si” não pode ocupar espaço nem mover nenhuma decisão. Na Igreja, cada membro é importante e deve ser tratado com o mesmo cuidado com que o próprio Deus cuida de cada um de nós.

      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.

      Excluir
  45. As cidades que não creram. - Lc 10,13-16

    “Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Se em Tiro e Sidônia se tivessem realizado os milagres feitos no meio de vós, há muito tempo teriam demonstrado arrependimento, vestindo-se de saco e sentando-se sobre a cinza. Pois bem: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia terão uma sentença menos dura do que vós. E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Até o inferno serás rebaixada! Quem vos escuta, a mim escuta; e quem vos despreza, a mim despreza; ora, quem me despreza, despreza Aquele que me enviou.”

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos os usuários da web, invocando a rede de comunicação mais perfeita:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

    Creio, meu Deus, que estou diante de Ti. Que me vês e escutas as minhas orações. Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro. Tu me deste tudo: eu te agradeço. Foste tão ofendido por mim: eu te peço perdão de todo o coração. Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças que sabes serem necessárias para mim.

    O que diz o texto do dia?
    Na minha Bíblia, leio atentamente o texto: Lc 10,13-16.

    Jesus fala, neste texto, a três cidades da Galileia onde havia feito muitos milagres: Corazim, Betsaida e Cafarnaum. E fala no tom de recriminação: "Ai de você!" Isto porque são cidades que se fecharam à mensagem. Estas três cidades haviam recebido atenções especiais de Jesus. Ele chegou a morar em Cafarnaum (Mt 4,13). Lá ele curou o criado do centurião (Mt 8,5-13), libertou o endemoninhado (Mc 1,21-28). Em Betsaida curou um cego (Mc 8,22-26), e, ali, alimentou cinco mil homens com cinco pães e dois peixes (Lc 9,10-17). Com estes e outros tantos sinais, sobretudo com sua presença de amor, a resistência à graça de Deus é gravíssima.

    O que a Palavra diz para mim?

    Atualizo a Palavra, ligando-a à minha vida. Também sou uma pessoa ingrata? Depois de receber a vida e com ela tantos bens de Deus, ainda resisto? Como disseram os bispos, em Aparecida, às vezes recusamos a vida nova: "No exercício de nossa liberdade, às vezes recusamos essa vida nova (cf. Jo 5,40) ou não perseveramos no caminho (cf. Hb 3,12-14). Com o pecado, optamos por um caminho de morte. Por isso, o anúncio de Jesus sempre convoca à conversão, que nos faz participar do triunfo do Ressuscitado e inicia um caminho de transformação."(DAp 351).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

      Em silêncio, dou minha resposta de adesão ao Senhor que me oferece uma vida nova. E rezo:
      Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.
      Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida, tende piedade de nós.

      Qual o novo olhar que a Palavra despertou em mim?

      Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado, assumo uma vida nova, acolhendo os anúncios de Verdade, Caminho e Vida que o Senhor me faz a cada dia.

      Bênção
      O Senhor o abençoe e guarde!
      O Senhor lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
      O Senhor lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!' (Nm 6,24-27).
      Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Rejeição ao plano de amor do Pai.

      O evangelho de hoje é a sequência das instruções dadas por Jesus aos setenta e dois discípulos que ele envia em missão (10,1-12). Trata-se de uma lamentação sobre as cidades próximas ao mar da Galileia. Como temos insistido, tais cidades, mais do que outras, foram palco privilegiado do ensinamento e dos “atos de poder” de Jesus. Mas apesar de tudo, não se converteram. Em razão disso, elas são comparadas por Jesus às cidades pagãs de Tiro e Sidônia, símbolos da infâmia e da exploração dos mais frágeis (cf. Is 23,1-11; Ez 26–28). Jesus não faz um juízo condenatório de tais cidades (cf. Jo 3,17); sua crítica firme visa à conversão da sua população. Rejeitando os discípulos enviados por Jesus em missão, elas rejeitam o próprio Senhor, uma vez que a mensagem de Jesus e o seu “poder” estão naqueles que ele envia (cf. v. 16). E como há uma comunhão profunda entre o Pai e o Filho (Jo 14,8-11), quem rejeita Jesus, rejeita também o Pai, que enviou o seu Filho ao mundo (v. 16; Jo 13,20), e rejeita o seu plano de amor.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, move-me à conversão e à penitência diante do testemunho de Jesus, de modo que eu não incorra em castigo por minha incapacidade de reconhecer o apelo da salvação.

      Amados irmãos em Jesus Cristo.
      Tenham todos uma abençoado e maravilhoso final de semana.

      Domingo é dia do Senhor.
      Louvemos e adoremos e santifiquemos aquele nos ensina o caminho a seguir, na sua plena verdade, e ilumina os nossos passos para a vida eterna.

      Excluir
  46. Quem é meu próximo? - Lc 10,25-37

    Um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: "Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna? "Jesus lhe disse: "O que está escrito na Lei? Como lês?" Ele então respondeu: "Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo! "Jesus lhe disse: "Tu respondeste corretamente.Faze isso e viverás."Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: "E quem é o meu próximo?" Jesus respondeu: "Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes.Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no,e foram-se embora deixando-o quase morto. Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita:chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: "Toma conta dele! Quando eu voltar,vou pagar o que tiveres gasto a mais." E Jesus perguntou:"Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?" Ele respondeu: "Aquele que usou de misericórdia para com ele". Então Jesus lhe disse: "Vai e faze a mesma coisa."

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os internautas:
    Oração ao Espírito Santo

    Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da santa Igreja!
    Um coração grande, desejoso de tornar-se semelhante ao Coração do Senhor Jesus! Um coração grande e forte para amar todos, para servir a todos, para sofrer por todos! Um coração grande e forte para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda desilusão, toda ofensa! Um coração grande e forte, constante até o sacrifício, se for necessário!
    Um coração cuja felicidade é palpitar com o Coração de Cristo e cumprir, humildemente a vontade do pai. Amém.
    Papa Paulo VI

    O que diz o texto do dia?
    Leio na Bíblia, atentamente, o texto Lc 10,25-37.

    Na parábola de Jesus, nem o sacerdote, nem o levita deram atenção e cuidados ao homem quase morto. Quem parou, teve compaixão, chegou perto, limpou-lhe os ferimentos e cuidou dele levando-o consigo para a pensão, foi o samaritano. O samaritano era discriminado pelos judeus e até detestado por eles. Na parábola de Jesus é justamente um samaritano que vive o verdadeiro amor ao próximo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me diz? Sinto-me também convocado a repetir o gesto do samaritano? Onde? Com que pessoas? Recordo muitas outras pessoas que repetiram este gesto, recomendado por Jesus: madre Teresa de Calcutá, Dom Luciano Mendes de Almeida, Irmã Dorothy, Francisco de Assis, ...

      Os bispos em Aparecida disseram: "A Igreja, como "comunidade de amor" é chamada a refletir a glória do amor de Deus que, é comunhão, e assim atrair as pessoas e os povos para Cristo. No exercício da unidade desejada por Jesus, os homens e mulheres de nosso tempo se sentem convocados e recorrem à formosa aventura da fé. "Que também eles vivam unidos a nós para que o mundo creia" (Jo 17,21). A Igreja cresce, não por proselitismo mas "por 'atração': como Cristo 'atrai tudo a si' com a força de seu amor" (Bento VXI, em Aparecida).A Igreja "atrai" quando vive em comunhão, pois os discípulos de Jesus serão reconhecidos se amarem uns aos outros como Ele nos amou (cf. Rm 12,4-13; Jo 13,34). (DAp 159).

      O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo o Hino ao Amor,na canção do Padre Zezinho.
      Se eu desvendasse os mistérios do universo,
      mas não tivesse amor;
      se o dom das línguas eu tivesse em prosa e verso,
      mas não tivesse amor,
      seria um sino barulhento e falador!
      Se eu conhecesse umas quinhentas profecias,
      mas não tivesse amor;
      se eu conhecesse todas as teologias,
      mas não tivesse amor;
      teria tudo, menos Deus a meu favor!
      Amor é graça, amor é força amor é luz,
      não é vaidoso, não derruba não seduz,
      não sente inveja, nem orgulho nem rancor,
      sabe perder mas não se sente perdedor.
      Amor aplaude mas educa o vencedor
      Amor perdoa mas educa o pecador,
      não atrapalha não bloqueia:
      faz andar, espera e crê, porque o amor sabe esperar.
      Vem do passado, mas não é ultrapassado.
      Tem seus limites o saber e a religião,
      mas o amor aí não acaba nunca não (2x).
      Agora vemos por imagens ou sinais,
      mas o amor, aí, o amor é muito mais (2x).
      mas o amor, aí, o amor é bom demais!
      Há mil verdades do outro lado da janela,
      mas o amor é a maior de todas elas!...

      CD Canções que o amor escreveu - Paulinas COMEP

      Excluir
    2. Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Meu novo olhar é iluminado pelo testemunho do Samaritano e pelas palavras dos Bispos em Aparecida:
      "Bento XVI nos recorda que: "o discípulo, fundamentado assim na rocha da Palavra de Deus, sente-se motivado a levar a Boa Nova da salvação a seus irmãos. Discipulado e missão são como os dois lados de uma mesma moeda: quando o discípulo está enamorado de Cristo, não pode deixar de anunciar ao mundo que só Ele salva (cf. At 4,12). Na realidade, o discípulo sabe que sem Cristo não há luz, não há esperança, não há amor, não há futuro". Esta é a tarefa essencial da evangelização, que inclui a opção preferencial pelos pobres, a promoção humana integral e a autêntica libertação cristã." (DAp, 146).

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    3. Amor e misericórdia.

      Nossa perícope pode ser dividida em duas partes: a questão sobre a vida eterna (vv. 25-28) e a questão sobre o próximo (vv. 29-37). Tomado no seu conjunto, o nosso texto é uma discussão tipicamente haláquica, isto é, uma discussão sobre o modo de proceder em conformidade com a Lei de Moisés. Em nosso caso, uma discussão de como proceder quando dois mandamentos estão em conflito: o mandamento do amor ao próximo e o preceito sobre a pureza. À pergunta do legista sobre o que fazer para herdar a vida eterna, Jesus responde com outra pergunta, exigindo o engajamento do seu interlocutor na interpretação da Lei (v. 26). Na sua resposta o legista une dois mandamentos fundamentais da lei: amor a Deus (Dt 6,4-9) e amor ao próximo (Lv 19,18). O amor é o caminho para herdar a vida eterna. À segunda pergunta do doutor da lei, Jesus responde com a parábola do bom samaritano. No caso de conflito entre dois mandamentos, o amor e a misericórdia têm absoluta precedência. Ajudando o que estava à beira do caminho quase morto, o samaritano obedece e cumpre o mandamento. Sua compaixão não é uma alternativa ao legalismo. Ao contrário, ela é o que o mandamento do amor ao próximo exige dele.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, dá-me um coração cheio de misericórdia, como o de teu Filho Jesus, pois só assim terei certeza de estar em comunhão contigo, a caminho da vida eterna.

      Tenham todos uma santa e abençoada semana!
      Paz e Bem!

      Excluir
  47. Darás a luz a um Filho, a quem porás o nome de Jesus. - Lc 1,26-38

    Quando Isabel estava no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da virgem era Maria O anjo entrou onde ela estava e disse: "Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!" Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação.O anjo, então, disse-lhe:"Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim". Maria perguntou ao anjo: "Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?" O anjo respondeu: "O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível". Maria, então, disse: "Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!" E o anjo retirou-se.

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos os internautas, ao Espírito Santo:
    Espírito Santo,
    Amor do Pai e do Filho,
    inspirai-me sempre
    o que devo pensar,
    o que devo dizer,
    o que hei de calar,
    o que hei de escrever
    o que hei de fazer,
    como o hei de fazer,
    para a vossa glória,
    para o bem das pessoas
    e a minha própria santificação. Amém

    - O que a Palavra diz?
    Leio com toda atenção o texto do Evangelho na minha Bíblia: Lc 1,26-38.

    O lugar onde acontece este fato é uma pequena aldeia da Galileia: Nazaré. A pessoa a quem Deus envia seu mensageiro é uma jovem como as outras de seu tempo: Maria. Fica preocupada e pede explicações. Por isso, fica sabendo que o que lhe acontecerá é obra do Espírito Santo e que o Menino do qual será Mãe é o próprio Filho de Deus. Sabendo que a Deus nada é impossível, com fé, faz seu ato de disponibilidade ao Projeto de Deus: “Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!” Aprendo com Maria a buscar perceber os sinais de Deus, a dialogar com Deus, a ouvi-lo, a discernir a vontade de Deus e a dizer “sim”.

    - O que a Palavra diz para mim?

    Como acolho os “anúncios” de Deus na minha vida? Muitas vezes o anúncio é para uma mudança de vida, outras é o imprevisto que me faz trocar meus projetos, outras vezes um problema de saúde, no trabalho, em família. Respondo com fé e disponibilidade?

    O anúncio de Nazaré continua hoje, de muitas formas e através de muitas pessoas. Os bispos nos ajudam nesta reflexão: “A Virgem de Nazaré teve uma missão única na história da salvação, concebendo, educando e acompanhando seu filho até seu sacrifício definitivo. Desde a cruz Jesus Cristo confiou a seus discípulos, representados por João, o dom da maternidade de Maria, que nasce diretamente da hora pascal de Cristo: “E desse momento em diante, o discípulo a recebeu em sua casa” (Jo 19,27). Perseverando junto aos apóstolos à espera do Espírito (cf. At 1,13-14), ela cooperou com o nascimento da Igreja missionária, imprimindo-lhe um selo mariano que a identifica profundamente. Como mãe de tantos, fortalece os vínculos fraternos entre todos, estimula a reconciliação e o perdão e ajuda os discípulos de Jesus Cristo a experimentarem como uma família, a família de Deus. Em Maria, encontramo-nos com Cristo, com o Pai e com o Espírito Santo, assim como com os irmãos.”( DAp 267)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

      Agora, canto com o Padre Zezinho a canção que é uma oração a Maria
      Maria de Nazaré
      Maria de Nazaré, Maria me cativou
      Fez mais forte a minha fé
      E por filho me adotou
      As vezes eu paro e fico a pensar
      E sem perceber, me vejo a rezar
      E meu coração se põe a cantar
      Pra Vigem de Nazaré
      Menina que Deus amou e escolheu
      Pra mãe de Jesus, o Filho de Deus
      Maria que o povo inteiro elegeu
      Senhora e Mãe do Céu

      Ave Maria, Ave Maria, Ave Maria, Mãe de Jesus!

      Maria que eu quero bem, Maria do puro amor
      Igual a você, ninguém
      Mãe pura do meu Senhor
      Em cada mulher que a terra criou
      Um traço de Deus Maria deixou
      Um sonho de Mãe Maria plantou
      Pro mundo encontrar a paz
      Maria que fez o Cristo falar
      Maria que fez Jesus caminhar
      Maria que só viveu pra seu Deus
      Maria do povo meu

      - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?

      O Papa Francisco diz: "Como uma verdadeira mãe, caminha conosco, luta conosco e aproxima-nos incessantemente do amor de Deus". (EG 145)

      Quero hoje, com a ajuda de Maria, perceber melhor os anúncios de Deus e com fé e disponibilidade vou dar minha resposta.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. João o precursor e jesus o Messias.

      Os relatos da infância, no evangelho de Lucas, estão construídos utilizando-se do paralelismo entre João Batista e Jesus. A finalidade é mostrar que Jesus é maior que João Batista: João é o precursor, Jesus o Messias. Um dos elementos desse paralelismo, presente no texto de hoje, é a relação entre o anúncio do nascimento de Jesus com o sexto mês da gravidez de Isabel. É Deus quem toma a iniciativa na encarnação do seu Filho (v. 35). No entanto, a iniciativa de Deus conta com a adesão livre de Maria. Maria é apresentada como aquela que recebeu o favor de Deus (v. 28), isto é, aquela que foi especialmente favorecida por Deus. Em que consiste esse favor de Deus a Maria? Na sua eleição para ser, segundo a carne, a mãe do Filho unigênito de Deus. Se a idade avançada de Isabel e Zacarias e a esterilidade de Isabel foram superadas na concepção de João, a virgindade de Maria não será impedimento para a ação do Espírito Santo na concepção de Jesus. Na sua resposta ao mensageiro de Deus, Maria se apresenta como “serva do Senhor”. Nesse sentido, ele se identifica com Ana, mãe de Samuel (1Sm 1,11). É como serva que ela se submete ao desígnio salvífico de Deus.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, plenifica-me com tua graça, como fizeste com Maria, de forma que eu possa ser fiel como ela ao teu desígnio de salvação para a humanidade.

      Excluir
  48. Jesus ensina a orar - Lc 11,1-4

    Um dia, Jesus estava orando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou a seus discípulos”. Ele respondeu: “Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja teu nome; venha o teu Reino; dá-nos, a cada dia, o pão cotidiano, e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todo aquele que nos deve; e não nos introduzas em tentação”.

    Preparo-me para a Leitura Orante invocando, com todos os irmãos internautas, o Espírito Santo:

    Vem Santo Espírito, amor do Pai.
    Toca a minha mente, a minha vontade, o meu coração.
    Abre-me à coragem da verdade.
    Dá-me a força para deixar-me tocar e renovar profundamente por Jesus, Palavra do Pai.
    Amém.

    - O que a Palavra diz?
    Leio atentamente, na Bíblia, Lc 11,1-4.

    Neste texto Jesus nos ensina a orar, respondendo à solicitação dos discípulos. Propõe uma oração breve. Mais breve que a de Mateus (Mt 6,9-15). Esta oração do Pai Nosso traduz a experiência do povo, suas provações no deserto, o maná de cada dia, a vontade de Deus, o seu reinado. Apresenta cinco pedidos ao invés de sete. Indica a atitude que devemos assumir ao orar: não ficar repetindo fórmulas, muito menos de forma longa. E ainda, ter atitude de confiança no Pai que já sabe tudo de que necessitamos. A invocação \"Pai\" ilumina o restante:
    - que seja respeitado o nome de Deus que é Pai;
    - que venha o Reino de Deus isto é, que Deus seja quem orienta e rege a história;
    - pede o alimento de cada dia; se é o pão quotidiano refere-se à nossa vida aqui; se é o pão de amanhã, refere-se à vida eterna.
    - Perdoa os nossos pecados, pois nós também perdoamos todos os que nos ofendem.
    - E não deixes que sejamos tentados.
    O perdão não depende apenas de nosso querer. É dom de Deus que ele nos oferece e que devemos acolher.
    Thomas Merton diz que, assim como somos, rezamos. E diz mais: “O homem que não reza, é alguém que tentou fugir de si mesmo, porque fugiu de Deus”.

    - O que a Palavra diz para mim?

    Às vezes, apenas “dizemos orações”com os lábios.
    Nosso coração, nossos sentimentos e pensamentos estão distantes.
    Jesus nos ensina, de maneira muito simples, a orar:
    1º Assumir a atitude de filhos e irmãos: Pai nosso.
    2º Reconhecer o nome de Deus como “santo”.
    3º Pedir que o Reino de Deus se instaure entre nós.
    4º Dispor-nos a fazer a vontade de Deus.
    5º Fazer os pedidos para o dia-a-dia: o pão, o perdão, a libertação de toda tentação e mal.
    Os bispos, na V Conferência, em Aparecida, disseram: “Nos diferentes momentos da luta cotidiana, muitos recorrem a lgum pequeno sinal do amor de Deus: um crucifixo, um rosário, uma vela que se acende para acompanhar um filho em sua enfermidade, um Pai Nosso recitado entre lágrimas, um olhar entranhável a uma imagem querida de Maria, um sorriso dirigido ao Céu em meio a uma simples alegria.” (DAp 261).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
      Rezo agora com muita consciência e fé a Oração de Jesus: o Pai Nosso.
      Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o vosso nome,
      venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade,
      assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje;
      perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido,
      e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

      - Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?

      Meu novo olhar para o dia de hoje vem carregado de uma certeza:tenho um Pai e uma multidão de irmãos. E, ao rezar o Pai nosso com Jesus recordo o que diz o papa Francisco:
      \"Unidos a Jesus, procuramos o que Ele procura, amamos o que Ele ama. Em última instância, o que procuramos é a glória do Pai, vivemos e agimos «para que seja prestado louvor à glória da sua graça» (Ef 1, 6). (EG 287).

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. A oração do Pai-nosso.

      Inúmeras vezes Lucas menciona o fato de que Jesus estava em oração (3,21; 5,16; 6,12; 9,29; 22,39-46). O modo como Jesus vive e cultiva sua relação com o Pai através da oração desperta nos discípulos o desejo de terem uma oração que os identifique com seus discípulos. A versão do Pai-Nosso apresentada por Lucas é mais breve que a de Mateus (6,9-13). Não se trata de multiplicar palavras, pois Deus conhece a cada um profundamente (cf. Sl 138). A oração é o espaço aberto a Deus em que a palavra cede lugar ao silêncio e à escuta; é o espaço para colocar a vida e a missão nas mãos de Deus e se deixar iluminar e conduzir por ele. A atitude de escuta deve caracterizar a oração do discípulo (cf. 10,38-42). A oração do Pai-Nosso, que repetimos várias vezes ao longo de um mesmo dia, é o que todo cristão deve ter presente no relacionamento com Deus. Ela exprime, fundamentalmente, o relacionamento filial entre o ser humano e Deus. É em razão dessa relação que a oração contém súplicas por questões essenciais da existência humana: pão e perdão e, como, infelizmente, o mal está presente no mundo, é preciso pedir insistentemente para não se cair no poder da tentação.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, inspira-me a rezar como convém, de forma que a minha oração se expresse em gestos de solidariedade e de reconciliação, sinais inequívocos de minha comunhão contigo.

      Excluir
  49. Como rezar e pedir - Lc 11,5-13

    E Jesus acrescentou: “Imaginai que um de vós tem um amigo e, à meia-noite, o procura, dizendo: ‘Amigo, empresta-me três pães, pois um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’. E se o outro responder lá de dentro: 'Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães'; eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário. Pedi e vos será dado; procurai e encontrareis; batei e a porta vos será aberta. Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá. Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!"

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
    Trindade Santíssima
    - Pai, Filho, Espírito Santo -
    presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
    Eu vos adoro, amo e agradeço.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto Lc 11,5-13, e observo as recomendações de Jesus.

    Jesus quer dizer que Deus, o Pai, não se faz surdo aos nossos pedidos. Não é, porém, para o deixar em paz, como pode parecer, num primeiro momento, no exemplo que Jesus dá. Apresenta três afirmações neste trecho do Evangelho de Lucas:
    - Oração e pedidos pelas nossas necessidades.
    - Perseverança na oração: “insistência”.
    - Confiança na bondade de Deus: “se vocês sabem dar coisas boas a seus filhos, quanto mais o Pai”.
    Fica claro neste texto o que Jesus fala sobre a necessidade da oração. E uma certeza: o Pai dará o Espírito Santo aos que a ele o pedirem.


    O que o texto diz para mim, hoje?

    O texto me faz recordar o que disseram os bispos em Aparecida: “A oração pessoal e comunitária é o lugar onde o discípulo, alimentado pela Palavra e pela Eucaristia, cultiva uma relação de profunda amizade com Jesus Cristo e procura assumir a vontade do Pai. A oração diária é um sinal do primado da graça no caminho do discípulo missionário. Por isso, “é necessário aprender a orar, voltando sempre a aprender esta arte dos lábios do Mestre” (DAp 255).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?

      Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com o Bem-aventurado Alberione:
      Jesus, Mestre: que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria. Que eu ame com o teu coração.
      Que eu veja com os teus olhos. Que eu fale com a tua língua. Que eu ouça com os teus ouvidos. Que as minhas mãos sejam as tuas. Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas. Que eu reze com as tuas orações. Que eu celebre como tu te imolaste. Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Meu novo olhar é impregnado pelo espírito de oração, recomendado por Jesus. Como diz o papa Francisco: "Sem momentos prolongados de adoração, de encontro orante com a Palavra, de diálogo sincero com o Senhor, as tarefas facilmente se esvaziam de significado, quebrantamo-nos com o cansaço e as dificuldades, e o ardor apaga-se. A Igreja não pode dispensar o pulmão da oração, e alegra-me imenso que se multipliquem, em todas as instituições eclesiais, os grupos de oração, de intercessão, de leitura orante da Palavra, as adorações perpétuas da Eucaristia." (EG 262)

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Perseverar na súplica.

      A parábola, fora do seu contexto, se oferece às mais variadas interpretações. A parábola está estritamente ligada ao tema do específico da oração cristã. Ela exemplifica a oração que Jesus ensinou aos seus discípulos. Tomada no seu conjunto, a parábola exorta à necessidade de perseverar na súplica por aquilo que é essencial para a vida cristã e humana. Em primeiro lugar, a parábola revela algo de Deus: Deus é muito mais generoso e disponível do que um amigo que socorre o outro ou um pai de família que supre as necessidades dos seus filhos. A perseverança na súplica, requerida do discípulo, é importante, pois somente Deus pode dar aos seus filhos o que realmente precisam. Tudo o que é bom, é dom de Deus. A súplica, no entanto, exige a confiança de ser atendido (vv. 9-10). Mas cabe observar que na súplica a Deus confessamos nossa miséria, isto é, não podemos nos dar o que suplicamos, nem sabemos se o que pedimos é o que Deus quer, efetivamente, nos dar. É preciso abertura para receber não somente o que pedimos, mas o que Deus tem a nos dar. No entanto, na oração do cristão há uma súplica que se impõe como característica de sua relação filial com Deus e à qual podemos ter a certeza de sermos atendidos: a súplica pelo Espírito Santo.

      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, que a minha oração seja plena de confiança em ti, pois sei que queres dar-me o que tens de melhor, o Espírito Santo.

      Excluir
  50. Pediram a Jesus um sinal - Lc 11,15-26

    Alguns, porém, disseram: “É pelo poder de Beelzebu, o chefe dos demônios, que ele expulsa os demônios”. Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. Mas, conhecendo seus pensamentos, ele disse-lhes: “Todo reino dividido internamente será destruído; cairá uma casa sobre a outra. Ora, se até Satanás está dividido internamente, como poderá manter-se o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa. Quando o espírito mau sai de um homem, fica vagando em lugares desertos, à procura de repouso; não o encontrando, ele diz: 'Vou voltar para minha casa de onde saí'. Quando ele chega, encontra a casa varrida e arrumada. Então ele vai, e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele. E, entrando, instalam-se aí.
    No fim, esse homem fica em condição pior do que antes.”

    Preparo-me para a Leitura Orante rezando, com os internautas de todo o mundo:
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
    Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.Espírito Santo, tu que habitas, pela fé, nos nossos corações, abre-nos à Palavra! Seja a nossa inteligência e a nossa vontade, terreno bom, onde tu possas trabalhar com liberdade, de modo que a nossa vida seja sinal da tua caridade. Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na minha Bíblia, o texto: Lc 11,15-26, e observo pessoas, o que pensam e o que esperam de Jesus.

    Um exorcismo e a expulsão de um demônio que era mudo causou admiração na multidão. Esta admiração era frequente frente aos milagres, mas não significava ainda, atitude de fé. Alguns até atribuem o exorcismo a um pacto com Belzebu! São os que têm restrições fundamentadas em dois aspectos: a dificuldade em compreender a origem e o poder de Jesus e a necessidade de um sinal. Conhecendo seus pensamentos, Jesus fala da destruição da família e do país dividido. Diz ainda que quem não é a seu favor é contra ele e quem não o ajuda a reunir e ajuntar, está espalhando. Da pregação de Jesus, entendemos também que nos uniremos quando nos amamos e dividiremos quando nos apegamos a nós mesmos e não nos preocupamos com o próximo.

    O que o texto diz para mim, hoje?

    Sinto que promovo a comunhão na minha família, no meu trabalho, na Igreja? Ou, tenho a tentação de contradizer, dividir, criticar, colocar obstáculos? Sou a favor de Jesus Cristo presente na comunidade ou “não ajudo a ajuntar”? Em forma de oração, os bispos, na V Conferência, pediram:
    “Guiados por Maria, fixamos os olhos em Jesus Cristo, autor e consumador da fé e dizemos a Ele com o Sucessor de Pedro:
    “Fica conosco, pois cai a tarde e o dia já se declina” (Lc 24,29).
    Fica conosco, Senhor, acompanha-nos ainda que nem sempre tenhamos sabido reconhecer-te.

    Fica conosco, porque ao redor de nós as mais densas sombras vão se fazendo, e Tu és a Luz; em nossos corações se insinua a falta de esperança, e tu os faz arder com a certeza da Páscoa. Estamos cansados do caminho, mas tu nos confortas na fração do pão para anunciar a nossos irmãos que na verdade tu tens ressuscitado e que nos tem dado a missão de ser testemunhas de tua ressurreição.

    Fica conosco, Senhor, quando ao redor de nossa fé católica surgem as névoas da dúvida, do cansaço ou da dificuldade: tu, que és a própria Verdade como revelador do Pai, ilumina nossas mentes com tua Palavra; ajuda-nos a sentir a beleza de crer em ti." (DAp 554).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?

      Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com a Igreja:
      "Fica, Senhor, em nossas famílias, ilumina-as em suas dúvidas, sustenta-as em suas dificuldades, consola-as em seus sofrimentos e no cansaço de cada dia, quando ao redor delas se acumulam sombras que ameaçam sua unidade e sua natureza.

      Tu que és a Vida, fica em nossos lares, para que continuem sendo ninhos onde nasça a vida humana abundante e generosamente, onde se acolha, se ame, se respeite a vida desde a sua concepção até seu término natural.

      Fica, Senhor, com aqueles que em nossas sociedade são os mais vulneráveis; fica com os pobres e humildes, com os indígenas e afro-americanos, que nem sempre encontram espaços e apoio para expressar a riqueza de sua cultura e a sabedoria de sua identidade.

      Fica, Senhor, com nossas crianças e com nossos jovens, que são a esperança e a riqueza de nosso Continente, protege-os de tantas armadilhas que atentam contra sua inocência e contra suas legítimas esperanças. Oh bom Pastor, fica com nossos anciãos e com nossos enfermos!

      Fortalece a todos em sua fé para que sejam teus discípulos e missionários!”( DAp 554).


      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Meu novo olhar é de comunhão, de promoção da união de todos que encontro e por onde passo.
      O papa Francisco lembra: "Em cada momento da história, estão presentes a fraqueza humana, a busca doentia de si mesmo, a comodidade egoísta e, enfim, a concupiscência que nos ameaça a todos. Isto está sempre presente, sob uma roupagem ou outra; deriva mais da limitação humana que das circunstâncias... aprendamos com os Santos que nos precederam e enfrentaram as dificuldades próprias do seu tempo. Com esta finalidade, proponho-vos que nos detenhamos a recuperar algumas motivações que nos ajudem a imitá-los nos nossos dias." (EG 262).

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. O mal distorce e perverte a linguagem do ser humano.

      É a cura de um mudo, interpretada como exorcismo, que desperta admiração das multidões (v. 14) e a acusação que lemos no texto de hoje. A mudez, como outras enfermidades, era considerada, para a mentalidade da época, possessão demoníaca. De fato, o mal impede de falar, de falar bem, de bem falar. O mal distorce e perverte a linguagem do ser humano. Ao invés de servir de comunhão, ela pode dividir as pessoas. A palavra foi dada por Deus ao homem para que pudesse falar ao seu Criador. Expulsando o demônio que impedia aquele anônimo de falar, Jesus o faz renascer para a palavra. Na segunda parte da obra lucana, os Atos dos Apóstolos, o Espírito Santo dado por Deus é quem solta a língua dos discípulos e faz falar as maravilhas de Deus (At 2,1-11). O leitor do evangelho, que já passou pelo relato do Batismo de Jesus e pelo discurso inaugural na sinagoga de Nazaré, sabe que Jesus é habitado pelo Espírito Santo e que ele o transmite em tudo o que ensina e faz. Dizer, como pretendem os que acusam Jesus, que ele expulsa os demônios por Beelzebu é falta de discernimento, é confundir o Espírito Santo com Beelzebu. Aí reside, de fato, o mal.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, afasta de meu coração todos os preconceitos que me impedem de acolher Jesus Cristo como teu enviado para trazer ao mundo a salvação e a libertação.


      Amados irmãos em Jesus Cristo.
      Tenham todos um santo e abençoado final de semana!

      Paz e Bem!

      Excluir
  51. Jesus na casa de um fariseu - Lc 11,37-41

    Enquanto Jesus estava falando, um fariseu o convidou para jantar em sua casa. Jesus foi e pôs-se à mesa. O fariseu ficou admirado ao ver que ele não tinha feito a lavação ritual antes da refeição. O Senhor disse-lhe: “Vós, fariseus, limpais por fora o copo e a travessa, mas o vosso interior está cheio de roubos e maldades. Insensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? Antes, dai esmola do que vós possuís e tudo ficará puro para vós ”.

    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
    a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
    no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Jesus Mestre, que dissestes:
    "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra. Sois o Mestre e a Verdade:
    iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão.
    (Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 11,37-41, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    O fariseu movido pelo seu legalismo condena com sua admiração o fato de Jesus não ter se lavado antes de sentar-se à mesa para a refeição. E Jesus, o ajuda a refletir. Não basta estar limpo por fora. É preciso estar limpo por dentro. E fala como se deve fazer que para estar limpo por dentro: “dêem aos pobres o que está dentro dos seus copos e pratos, e assim tudo ficará limpo para vocês”. É preciso partilhar o que se tem com quem tem menos.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo. O que o texto me diz no momento?

    Os bispos na Conferência de Aparecida afirmaram que há quatro eixos fundamentais na Igreja: a experiência religiosa, a vivência comunitária, a formação bíblico-doutrinal e o compromisso missionário de toda a comunidade. "O compromisso missionário de toda a comunidade. Ela sai ao encontro dos afastados, interessa-se por sua situação, a fim de reencantá-los com a Igreja e convidá-los a retornarem para ela." (DAp 226).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Faço minha oração pessoal e depois, rezo com toda Igreja a

      Ó Deus, derramai a vossa bênção sobre a obra da evangelização.
      Acompanhai vossos missionários e despertai em nós maior solidariedade na partilha da nossa fé com todos os povos, construindo o vosso Reino. Isto vos pedimos por Cristo Nosso Senhor.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
      Vou eliminar do meu modo de pensar todo mal juízo e vou agir conforme o Projeto de Jesus Mestre: sair ao encontro de alguém que esteja afastado de Deus.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Crítica à hipocrisia que seduz e engana.

      Não obstante as duras críticas que Jesus faz aos fariseus (Mt 23), havia entre ele e, ao menos, um certo grupo de fariseus, simpatia e apreço. Não é a primeira vez que Jesus é convidado para uma refeição na casa de um fariseu (7,36ss). Nessas ocasiões Jesus aproveita para ensinar. Os fariseus não são, apesar dos rótulos que lhes impõem, pessoas más; eles acreditam viver fielmente sua religião através do apego ao rigorismo da lei e das tradições de seus antepassados. No entanto, a rigidez obsessiva e escrupulosa os cega, inclusive para a finalidade última da Lei de Deus, que é a vida e a liberdade do ser humano. Esse modo de entender e cumprir a Lei os leva a excluir as pessoas, impedindo-os de olhar os outros com misericórdia (cf. Os 6,6). A atitude de Jesus de não lavar as mãos, como prescrito pelo preceito, antes das refeições causa admiração no fariseu que o convidou (v. 38). O fato de estar na casa do fariseu não inibe Jesus de criticar o desvio na compreensão e prática dos mandamentos da Lei de Deus. No evangelho de hoje, a crítica é à hipocrisia que seduz e engana e que, aqui, é entendida como oposição entre interior e exterior. O verdadeiro tesouro que deve ser partilhado é o bem que Deus mesmo colocou no coração do ser humano. A esmola, como dom de si mesma, é muito mais importante que as regras de pureza ritual (cf. Tb 4,8.11; Is 58,3ss; 1Pd 4,8).
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, purifica de todo pecado e egoísmo o mais íntimo de meu ser, pois eles me tornam incapazes de viver em comunhão contigo e com o meu semelhante.

      Excluir
  52. Coerência recomendada por Jesus - Lc 11,42-46
    “Ai de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo.
    Aí de vós, fariseus, porque gostais do lugar de honra nas sinagogas, e de serdes cumprimentados nas praças públicas. Aí de vós, porque sois como túmulos que não se veem, sobre os quais os homens andam sem saber.” Um doutor da Lei tomou a palavra e disse: “Mestre, falando assim, insultas também a nós!” Jesus respondeu: “Ai de vós igualmente, doutores da Lei, porque carregais as pessoas com fardos insuportáveis, e vós mesmos, nem com um só dedo, não tocais nesses fardos!”

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos os internautas, a Oração de Charles de Foucauld::

    Senhor, fala ao meu coração,
    vem com tua ternura,
    com a gentileza dos teus gestos
    que não impõem nada às minhas decisões,
    com atenção aos detalhes,
    como sabes fazer,
    com a divertida ironia
    com que me levas na flauta,
    com a decisão de quem sabe
    dos seus interesses
    mas conhece meu coração e perdoa.
    Chegas silencioso
    porque nunca te percebo,
    revolucionário,
    porque em silêncio
    mudas as cartas e viras o jogo na mesa.
    Vem me fazer companhia
    para que juntos consigamos amá-lo,
    esse nosso Pai,
    com todo o coração,
    com todo o intelecto,
    com toda a vontade.

    Rezar é pensar em Deus, amando-o.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 11,42-46 e observo pessoas, palavras de Jesus aos fariseus.

    Jesus diz uma série de “ais” aos fariseus. Têm um tom de censura, de lamento, de pesar. O primeiro tem uma ligação ou referência ao próximo. Vocês dão a décima parte de todas as verduras para Deus, mas não são justos com os outros e não amam a Deus. Pode ser que, preocupados em observar detalhes, descuidam do essencial. Um dos “ais” se refere às sepulturas. Jesus compara os fariseus a sepulturas que não se vêem, porque não assinaladas com cal, e por isso, pisadas. É uma imagem bastante forte. Refere-se a coisas sem vida, camufladas, escondidas, como por exemplo, a corrupção, a impureza. Um mestre da lei reagiu, dizendo que se sentia ofendido. E Jesus fala também a ele: "vocês põem fardos pesados nas costas dos outros e não os ajudam a carregar.” Coisa terrível é manipular as consciências, impor obrigações aos outros. Mais grave ainda: não observar o que se impõe aos outros. Assim faziam muitos fariseus. Apoderavam-se da “chave da consciência religiosa”.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições?
    O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo?

    Os bispos da América Latina disseram em Aparecida: “Para não cair na armadilha de nos fechar em nós mesmos, devemos nos formar como discípulos missionários sem fronteiras, dispostos a ir “à outra margem”, àquela na qual Cristo não é ainda reconhecido como Deus e Senhor, e a Igreja não está presente”. (DAp 376)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo, com todos os internautas e professores/as:
      Oração da manhã Senhor, nós te agradecemos por este dia. Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas Entrar com tua luz. Queremos que tu Senhor, definas os contornos de Nossos caminhos, As cores de nossas palavras e gestos, A dimensão de nossos projetos, O calor de nossos relacionamentos e o Rumo de nossa vida. Podes entrar, Senhor, em nossas famílias. Precisamos do ar puro de tua verdade.
      Precisamos de tua mão libertadora para abrir Compartimentos fechados. Precisamos de tua beleza para amenizar Nossa dureza. Precisamos de tua paz para nossos conflitos. Precisamos de teu contato para curar feridas. Precisamos, sobretudo, Senhor, de tua presença Para aprendermos a partilhar e abençoar!
      Ir. Patrícia Silva, fsp

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
      Vou demonstrar pela minha vida que o amor de Deus se revela no amor ao próximo.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. O amor é a plenitude da Lei.

      Se em Mateus a crítica aos fariseus é feita diante das multidões e dos discípulos de Jesus (Mt 23,1), em Lucas, ela é feita na casa do fariseu que o convidou para uma refeição. Não deixa de ser impressionante a liberdade com a qual Jesus procede e diz a verdade, sem, contudo, oprimir ou diminuir quem quer que seja. Seu único intuito é levar todos a uma verdadeira e profunda conversão para que se abram ao mistério de Deus revelado em sua pessoa. A crítica de Jesus em relação à atitude dos fariseus e doutores da lei exemplifica o que significa ele ter vindo para levar a lei à sua plenitude (cf. Mt 5,7). O amor é a plenitude da Lei. Quem ama a Deus e ao próximo, cumpre plenamente a Lei (cf. Lc 10,25-37). A crítica que Jesus, no evangelho de Marcos, faz aos fariseus cabe perfeitamente aqui: “Abandonais o mandamento de Deus apegando-vos à tradição dos homens” (Mc 7,8). Jesus afirma a primazia do amor sobre qualquer outro mandamento, pois, como dissemos acima, o amor é a plenitude da Lei; ele é a origem da Lei e é para ele que toda a Lei tende. Por essa razão, a prática da lei não pode, como princípio, visar, em primeiro lugar, o bem de quem a pratica; isso seria hipocrisia.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, coloca-me em sintonia com Jesus para quem a justiça e o amor a ti valem mais que o legalismo dos que são incapazes de descobrir o teu verdadeiro desígnio.

      Excluir
  53. Ai de vocês, fariseus! - Lc 11,47-54

    “Ai de vós, porque construís os túmulos dos profetas; no entanto, foram vossos pais que os mataram. Com isso, vós sois testemunhas e aprovais as obras de vossos pais, pois eles mataram os profetas e vós construís os túmulos. É por isso que a sabedoria de Deus afirmou: 'Eu lhes enviarei profetas e apóstolos, e eles matarão e perseguirão alguns deles, a fim de que se peçam contas a esta geração do sangue de todos os profetas, derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, eu vos digo: serão pedidas contas disso a esta geração. Ai de vós, doutores da Lei, porque ficastes com a chave da ciência: vós mesmos não entrastes, e ainda impedistes os que queriam entrar.” Quando Jesus saiu de lá, os escribas e os fariseus começaram a importuná-lo e a provocá-lo em muitos pontos, armando ciladas para apanhá-lo em suas próprias palavras.

    - A nós, que nos encontramos na internet, a paz de Deus, nosso Pai,
    a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
    no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando ao
    Espírito Santo
    Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho,
    tu estás em mim,
    falas em mim,
    rezas em mim,
    ages em mim.
    Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra,
    à tua oração,
    à tua ação em mim
    para que eu possa conhecer
    o mistério da vontade do Pai. Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 11,47-54, e observo este discurso de Jesus.

    Jesus continua a dizer “ai de vocês!” Lamenta que os fariseus fazem túmulos para os profetas que seus antepassados mataram. Jesus diz ainda que eles manipulam a “sabedoria”, o que pode entender, a compreensão da Escritura. Os letrados se arrogam o monopólio da compreensão das Escrituras. E Jesus é criticado com raiva pelos mestres da Lei e os fariseus por causa desta verdade que ele tem coragem de dizer.

    O que o texto diz para mim, hoje?

    Hoje também há profetas e apóstolos. Como os acolho? Como são acolhidos pela sociedade, pela comunidade?
    Há hoje pessoas que manipulam a verdade? E eu sou coerente com a verdade?

    Os bispos, na Conferência de Aparecida apontaram um caminho para quem busca a verdade: "Neste momento, com incertezas no coração, perguntamo-nos com Tomé: “Como vamos saber o caminho?” (Jo 14,5). Jesus nos responde com uma proposta provocadora: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). Ele é o verdadeiro caminho para o Pai., quem tanto amou ao mundo que deu a seu Filho único, para que todo aquele que nele creia tenha a vida eterna (cf. Jo 3,16). Esta é a vida eterna: “que te conheçam a ti o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo teu enviado” (Jo 17,3). A fé em Jesus como o Filho do Pai é a porta de entrada para a Vida. Como discípulos de Jesus, confessamos nossa fé com as palavras de Pedro: “Tuas palavras dão vida eterna” (Jo 6,68); “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo” (Mt 16,16)." (DAp 101).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?

      Rezo com o Pe. Zezinho, scj, na sua canção 'A Verdade Vos Libertará'

      A Verdade vos libertará, libertará
      A verdade vos libertará, libertará
      Não temais os que matam o corpo
      Não temais os que armam ciladas
      Não temais os que vos caluniam
      Nem aqueles que portam espadas
      Não temais os que tudo deturpam pra não ver a justiça vencer
      Tende medo somente do medo
      De quem mente pra sobreviver
      Tende medo somente do medo
      De quem mente pra sobreviver
      A Verdade vos libertará, libertará
      A verdade vos libertará, libertará
      Não temais os que vos ameaçam
      Com a morte ou com difamação
      Não temais os poderes que passam
      -Eles tremem de armas na mão
      Não temais os que ditam as regras
      Na certeza de nunca perder
      Tende medo somente do medo
      De quem cala ou finge não ver
      Tende medo somente do medo
      De quem cala ou finge não ver
      A Verdade vos libertará. libertará
      A verdade vos libertará, libertará
      Não temais os que gritam nas praças
      Que está tudo perfeito e correto
      Não temais os que afirmam de graça
      Que vós nada trazeis de concreto
      Não temais o papel de profetas
      Que o papel do profeta é falar
      Tende medo somente do medo
      De quem acha melhor não cantar
      Tende medo somente do medo
      De quem acha melhor não cantar
      A Verdade vos libertará, libertará
      A verdade vos libertará, libertará.
      (CD Verdades, COMEP)

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Não me permitirei falsificar a verdade, mascará-la ou diminuí-la.Jamais me fechar. Como diz o papa Francisco: "Quando a vida interior se fecha nos próprios interesses, deixa de haver espaço para os outros, já não entram os pobres, já não se ouve a voz de Deus, já não se goza da doce alegria do seu amor, nem fervilha o entusiasmo de fazer o bem." (EG 2).

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. A pretensão nos impede de escutar Deus.

      Os profetas eram tidos como “homens de Deus”. A dificuldade e a resistência, no interior do próprio povo de Deus, de aceitar e acolher sua mensagem e reconhecer nela a Palavra de Deus têm uma longa e dramática história em Israel. Os profetas, homens portadores da Palavra de Deus, que falavam inspirados por Deus, suscitavam a esperança, quando o povo desanimava, denunciavam os crimes e infidelidades do povo e de seus governantes, quando esses se esqueciam da Aliança, denunciavam os pecados das “nações”, quando essas ameaçavam a existência do povo eleito de Deus. Eles, como é o caso do profeta Jeremias, foram perseguidos por seu próprio povo. Há uma postura diante das Escrituras que faz dos doutores da Lei intérpretes autorizados da Palavra de Deus, coniventes com a morte dos profetas. A pretensão de possuir todo o conhecimento da Escritura, sem precisar aprender mais, os impede de escutar Deus e, na sua autossuficiência, eles fecham, por seu ensinamento, aos outros a possibilidade de acesso à verdade de Deus (v. 52). Mas, se Jesus fala dos profetas do passado, ele aponta, ao mesmo tempo, para o seu próprio destino, pois, como profeta, ele terá a sorte dos profetas.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, que a compreensão de teu sábio plano de salvação para a humanidade me leve a estar atento às palavras de Jesus, o qual me indica o caminho para chegar a ti.

      Excluir
  54. Deus cuida de nós - Lc 12,1-7

    Entretanto, milhares de pessoas se ajuntaram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: “Cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Não há nada de oculto que não venha a ser revelado, e não há nada de escondido que não venha a ser conhecido. Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, nos quartos, será proclamado sobre os telhados. Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno. Sim, eu vos digo, a este temei. Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”.

    Saudação
    - A todos nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Oração da manhã
    Bom dia, Senhor Deus e Pai!
    A ti, nossa gratidão pela vida que desperta,
    pelo calor que cria vida,
    pela luz que abre os nossos olhos.
    Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida,
    pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas.
    Inspira-nos com teu Espírito Santo
    os pensamentos que vamos alimentar,
    as palavras que vamos dizer,
    a comunicação que vamos realizar.
    Abençoa as pessoas que nós encontrarmos,
    os alimentos que vamos tomar.
    Abençoa os passos que nós dermos,
    o trabalho que devemos fazer.
    Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar,
    a esperança que vamos promover,
    a paz que vamos semear,
    a fé que vamos viver,
    o amor que vamos partilhar.
    Ajuda-nos, Senhor,
    a não fugir diante das dificuldades,
    mas a abraçar com amor as pequenas cruzes deste dia.
    Queremos estar contigo, Senhor,
    no inicio, durante e no fim deste dia. Amém.
    Ir. Patricia Silva, fsp

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 12,1-7, e observo milhares de pessoas, os discípulos todos atentos às palavras de Jesus.

    À multidão Jesus recomenda cuidado com o fermento dos fariseus. Falava da falsidade e da hipocrisia deles. Este “fermento” que eles tentavam misturar à massa do povo, era a dissimulação do interior com o exterior, era a inversão de valores, era confundir com centenas de leis mais do que esclarecer. Diante desta dissimulação Jesus recomenda a sinceridade. Diz que as máscaras – o que foi falado na escuridão ou em segredo – serão arrancadas e cairão. Faz ainda um convite a partilhar o bem aprendido. Depois fala os seus “amigos”, provavelmente os discípulos. A estes exorta a confessar publicamente a fé. “Não tenham medo” ou “Não temais” é uma expressão clássica, presente na vocação de muitos chamados no antigo Testamento. Corresponde a esta expressão, a confiança. Única coisa a temer é a própria condenação. Quanto ao mais, confiar. Deus não se esquece sequer de “um fio de cabelo” nosso. É Jesus quem diz!

    ResponderExcluir
  55. O que o texto diz para mim, hoje?
    Quais outros textos, este me recorda?
    Qual palavra mais me toca o coração?
    Entro em diálogo com o texto. Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições?

    Os bispos recordaram em Aparecida que Bento XVI, no início de seu Pontificado, fazendo eco a seu predecessor, o Servo de Deus, João Paulo II, disse: "Não temam! Abram, abram de par em par as portas a Cristo!... quem deixa Cristo entrar a não perde nada, nada – absolutamente nada – do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Só com esta amizade abrem-se as portas da vida. Só com esta amizade abrem-se realmente as grandes potencialidades da condição humana. Só com esta amizade experimentamos o que é belo e o que nos liberta... Não tenham medo de Cristo! Ele não tira nada e nos dá tudo. Quem se dá a Ele, recebe cem por um. Sim, abram, abram de par em par as portas a Cristo e encontrarão a verdadeira vida” (DAp 15).

    O que o texto me leva a dizer a Deus?
    Rezo com toda Igreja a Oração Missionária
    Deus Pai, Criador do céu e da terra, Enviai, por meio do vosso Filho, O Espírito que renova todas as coisas, Para que, no respeito e cuidado com a natureza, Possamos recriar novos céus e nova terra, E a Boa-Nova, que brilhou na Criação,
    Seja conhecida até os confins do universo. Amém.

    Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

    Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir todo "fermento" e viver a minha fé cristã sem medo.


    Bênção
    - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
    - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
    - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
    - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A hipocrisia um mal que corrompe por dentro.

      Depois de sair da casa do fariseu onde deixou os fariseus e os escribas furiosos, Jesus é cercado pela multidão a quem ele ensina, assim como aos seus discípulos. Em primeiro lugar, Jesus previne contra a hipocrisia todos os que o cercam para ouvi-lo. Na parábola do Reino o fermento é utilizado em sentido positivo, para dizer que o Reino de Deus começa a agir na história da humanidade de maneira modesta: um pouco de fermento é capaz de fazer crescer uma grande quantidade de massa. Aqui, ele é usado em sentido negativo para se referir à hipocrisia dos fariseus: a hipocrisia é o “fermento dos fariseus”, isto é, um mal que corrompe por dentro. Nessa série de orientações e exortações, no caminho de Jerusalém, Jesus interpela os seus discípulos à coerência e ao anúncio destemido do que eles, em particular, receberam do Senhor. Para isso, diante das perseguições próprias à realização da missão, é preciso confiança em Jesus. Ele não promete aos discípulos que não sofrerão perseguição e violência, mas que estará sempre presente para encorajá-los e fortalecê-los na fé. Para isso, é necessária liberdade diante da vida e da morte. Enquanto o discípulo não superar o medo da morte, ele não será livre para seguir Jesus.
      Carlos Alberto Contieri, sj


      Oração
      Pai, que eu não me deixe encantar por falsos exemplos de piedade. Estejam meus olhos sempre fitos em Jesus, cujo exemplo devo seguir para ser agradável a ti.

      Tenham todos, amados irmãos, um maravilhoso final de semana na Santa e Abençoada Paz de Deus.

      Excluir
  56. Para que acumular? - Lc 12,13-21

    Alguém do meio da multidão disse a Jesus: "Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo". Ele respondeu: "Homem, quem me encarregou de ser juiz ou árbitro entre vós?" E disse-lhes: "Atenção! Guardai-vos de todo tipo de ganância, pois mesmo que se tenha muitas coisas, a vida não consiste na abundância de bens”. E contou-lhes uma parábola: "A terra de um homem rico deu uma grande colheita. Ele pensava consigo mesmo: "O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita". Então resolveu: "Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores;
    neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. Então poderei dizer a mim mesmo: - Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!" Mas Deus lhe disse: "Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?" Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus."

    - A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

    Preparo-me para a Leitura, rezando com todos que navegam pela internet, com Santo Tomás de Aquino:
    Concede-me, Senhor meu Deus, uma inteligência que te conheça, uma vontade que te busque, uma sabedoria que te encontre, uma vida que te agrade, uma perseverança que te espere com confiança e uma confiança que te possua, enfim. Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto Lc 12,13-21, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    A questão que o homem, no meio da multidão, expõe, leva Jesus a esclarecer que ele não veio para resolver interesses pecuniários ou de dinheiro. Para que acumular? O Mestre mais ensina a dar e partilhar do que a reclamar direitos. E toca a raiz do que vicia as relações humanas: o ter. Um grande profeta de nosso tempo, padre Alfredinho, dizia que “o que divide a comunidade é o dinheiro”. E o Salmo 49, salmo sapiencial sobre a condição do homem, recorda que a riqueza não é um seguro de vida. O rico da história que Jesus conta é um bom exemplo de confiança nas riquezas. No seu monólogo revela que seu horizonte é bastante pequeno: esta vida! A isto responde Deus: “Seu tolo. Esta noite você vai morrer”. Rico para Deus é quem ajuda o próximo, como diz o livro dos Provérbios: “Quem se compadece do próximo empresta a Deus” (Pr 19,17)

    O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?
    Entro em diálogo com o texto. Quais são minhas preocupações?
    Cuido de assegurar a mim e à minha família uma vida digna ou me preocupo demais com o ter, acumular para o futuro. Acaso o ter para mim é como um “seguro de vida”? O meu horizonte termina nesta vida ou a cada dia, vislumbro o Reino que não tem fim?

    Os bispos, em Aparecida, disseram: “Segundo a Doutrina Social da Igreja, “o objeto da economia é a formação da riqueza e seu incremento progressivo, em termos não só quantitativos, mas qualitativos: tudo é moralmente correto se está orientado para o desenvolvimento global e solidário do homem e da sociedade na qual vive e trabalha. O desenvolvimento, na verdade, não pode se reduzir a um mero processo de acumulação de bens e de serviços. Ao contrário, a pura acumulação, ainda que para o bem comum, não é uma condição suficiente para a realização de uma autêntica felicidade humana”. A empresa é chamada a prestar uma contribuição maior na sociedade, assumindo a chamada responsabilidade social-empresarial, a partir dessa perspectiva”. (DAp 69).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo com o povo, nesta semana, a Oração a Santo Antonio de Sant'Anna Galvão

      Deus de amor,
      fonte de todas as luzes,
      que cumulastes de bênçãos
      o vosso Santo Antônio de Sant’Anna Galvão,
      nós vos adoramos e glorificamos,
      e vos agradecemos,
      porque nele fizestes maravilhas.
      Ó Santo Antônio de Sant’Ana Galvão,
      rogai por nós junto a Maria,
      para que obtenhamos do Pai Celeste
      a vida plena no amor da Santíssima Trindade.
      Amém!

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
      Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Disponho-me a dar e partilhar mais do que a reclamar direitos.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. Renúncia do diálogo.

      A missão de Jesus é confundida com a função de um juiz humano. No evangelho de hoje, recorre-se a ele para fugir do desafio do diálogo com o irmão. O verbo “dizer” é repetido várias vezes ao longo da perícope. Na parábola que Jesus conta, a imagem do homem em relação aos seus bens é a de um solitário, de alguém enclausurado no monólogo consigo mesmo, e sem nenhuma menção ao próximo. Trata-se, aqui, da total ausência ou esquecimento do diálogo; esquecimento do diálogo com Deus e do diálogo entre os irmãos sobre a partilha dos bens. A palavra que em vernáculo traduzimos por ganância, em grego exprime o desejo de poder. Mas a riqueza não previne nem impede a morte inesperada. O que se adverte é que a riqueza, a abundância de bens, pode pretender substituir a Deus. Pura ilusão! Ao invés de se colocar à disposição de Deus, a riqueza passa a ser seu objeto de confiança e garantia da vida. Crê-se possuir, mas, de fato, se é dominado por aquilo que se possui. A pergunta de Deus: “para quem ficará o que tu acumulaste?”, pode ser parafraseada da seguinte forma: “Você é por Deus ou contra Deus?”. A resposta a esta pergunta é de cada um. Ninguém pode se dar a vida nem garanti-la pela abundância de bens. Assim como ninguém pode ser verdadeiramente humano no isolamento, na renúncia do diálogo com Deus e com os seus semelhantes.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, preserva-me do apego exagerado às riquezas, as quais me tornam insensível às necessidades do meu próximo. Que eu descubra na partilha um caminho de salvação.

      Tenham todos uma semana extraordinária.
      Paz e Bem!

      Excluir
  57. Estejamos preparados - Lc 12,35-38

    “Ficai de prontidão, com o cinto amarrado e as lâmpadas acesas. Sede como pessoas que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrir a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os servos que o Senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, vos digo: ele mesmo vai arregaçar sua veste, os fará sentar à mesa e passará para servi-los. E caso ele chegue pela meia-noite ou já perto da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!”

    - A todos nós que nos encontramos neste ambiente virtual,
    a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo! Preparo-me para a Leitura, rezando: Oração da manhã

    Bom dia, Senhor Deus e Pai!
    A ti, nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que cria vida, pela luz que abre os nossos olhos. Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar, as palavras que vamos dizer, a comunicação que vamos realizar. Abençoa as pessoas que nós encontrarmos, os alimentos que vamos tomar. Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer. Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover, a paz que vamos semear, a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar. Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades,
    mas a abraçar com amor as pequenas cruzes deste dia. Queremos estar contigo, Senhor, no inicio, durante e no fim deste dia. Amém.
    Ir. Patricia Silva, fsp

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na minha Bíblia, o texto: Lc 12,35-38, e observo o ensinamento de Jesus nesta parábola.

    Jesus Mestre exorta à vigilância, a estar preparados. O israelita se cinge e prende a barra da túnica talar para caminhar, para trabalhar. Estar cingido é estar pronto, disponível. Conservar a lamparina acesa significa que a cena acontece à noite.

    O evangelista Lucas apresenta o patrão como alguém que foi convidado e volta da festa de casamento. E apresenta uma atitude inesperada. Ao retornar, a qualquer hora – meia noite ou depois - o patrão, encontrando os empregados acordados, vai servi-los à mesa. Duas vezes ele diz que os empregados serão “felizes”.Este banquete é figura do banquete do céu.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo. O que o texto me diz no momento?

    O bem-aventurado Alberione dizia que se sentiu “obrigado a se preparar para fazer alguma coisa por Deus e pelas pessoas do novo século”. Sou uma pessoa que sempre tem algo a aprender, uma pessoa que se prepara, atenta, vigilante, no sentido de estar sempre aguardando as manifestações de Deus, suas “chegadas”, sua “presença”, o “banquete” que me serve através de tantas formas: a Palavra, a Eucaristia, uma palavra amiga, um momento de oração e até, de provação?

    Os bispos nos lembram: “O encontro com Cristo, graças à ação invisível do Espírito Santo, realiza-se na fé recebida e vivida na Igreja. Com as palavras do papa Bento XVI repetimos com certeza: “A Igreja é nossa casa! Esta é nossa casa” Na Igreja católica temos tudo o que é bom, tudo o que é motivo de segurança e de consolo! Quem aceita a Cristo: Caminho, Verdade e Vida, em sua totalidade, tem garantida a paz e a felicidade, nesta e na outra vida!” (DAp 14

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Oração ao Espírito Santo
      Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim. Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra, à tua oração, à tua ação em mim para que eu possa conhecer
      o mistério da vontade do Pai. Amém.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou assumir uma atitude de prontidão e atenção às manifestações de Deus.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Apelo à vigilância e à disponibilidade.

      A subida para Jerusalém é metáfora do caminho de Jesus para o Pai. Essa subida é caracterizada por lições que Jesus dá aos seus discípulos; essas lições visam orientar a vida prática dos discípulos. Por isso, têm força normativa para os cristãos de todo tempo. O texto do evangelho apresentado é um apelo à vigilância e à disponibilidade. Tendo presente o “atraso da parusia”, tema próprio a Lucas, é preciso não se deixar levar pela passividade ou pelo laxismo.

      É necessário empenho em realizar e manter viva a missão recebida do Senhor. “Cingir-se” (v. 35) é estar disponível, pronto para ir aonde quer que o Senhor envie. No livro do Êxodo, o ato de cingir-se está ligado à Páscoa (Ex 12,11). Corrobora com a alusão à Páscoa a exigência de manter as lâmpadas acesas, o que permite compreender que a cena acontece à noite. Efetivamente, a vida dos cristãos deve ser reflexo da Páscoa de Jesus Cristo.

      A disponibilidade e a vigilância, mantidas à luz da Palavra de Deus, são exigidas ao discípulo. Em outros termos, o testemunho é o modo próprio de se preparar para a vinda do Senhor que continuamente vem ao encontro do seu povo. Digno de ser observado é o fato de que o patrão, ao voltar, age como um servo (v. 37; cf. Jo 13,13-15).
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, somente em ti quero centrar as minhas opções mais profundas, para não permitir que o egoísmo tome conta do meu coração e me afaste de ti.

      Excluir
  58. Sempre preparados - Lc 12,39-48

    “Ficai certos: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, não deixaria que fosse arrombada sua casa. Vós também ficai preparados! Pois na hora em que menos pensais, virá o Filho do Homem.” Então Pedro disse: “Senhor, é para nós ou para todos que contas esta parábola?” O Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e atento, que o senhor encarregará de dar à criadagem a ração de trigo na hora certa? Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. Porém, se aquele empregado pensar: “Meu patrão está demorando”, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis. Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!

    A nós, que nos encontramos nesta rede virtual, em torno da Palavra, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Vem, Espírito Santo!
    Vem e vence todo medo dentro de nós!
    Coloca entusiasmo em nossa vida, mansidão e serenidade em nosso coração.
    Vem, Espírito Santo!
    Faze de nós um só coração e uma só alma, a fim de que o mundo creia em Jesus, Filho de Deus.
    Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus.
    Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus.
    Vem, Espírito Santo!
    Maria está aqui conosco, ela nos reúne e invoca por nós o dom do Amor e o fogo do Espírito.
    Vem, Espírito Santo! Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 12,39-48, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

    Jesus continua recomendando vigilância e fidelidade. O ladrão costuma vir à noite. A surpresa, normalmente, é seu recurso.Pedro fica em dúvida se a parábola é só para os discípulos ou é para todos. Na verdade, embora a vigilância seja coletiva (da casa), aplica-se a cada pessoa. Na parábola do texto de hoje, Jesus fala do empregado encarregado da casa e dos outros empregados. Poderá ser fiel ou abusar de seu cargo, sendo autoritário com seus dependentes e agindo com permissividade. O desconhecimento das ordens do patrão é atenuante : “será castigado com poucas chicotadas.” O que sabe qual é a vontade do patrão e não se prepara, nem faz o que ele quer, será castigado. Podemos concluir que ele próprio se condena.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Qual palavra mais me toca o coração?

    Entro em diálogo com o texto. Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições? O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo? Os bispos, em Aparecida, falaram da fidelidade a Jesus Mestre e de como o encontrá-lo: "Também o encontramos de um modo especial nos pobres, aflitos e enfermos (cf. Mt 25,37-40), que exigem nosso compromisso e nos dão testemunho de fé, paciência no sofrimento e constante luta para continuar vivendo. Quantas vezes os pobres e os que sofrem realmente nos evangelizam! No reconhecimento desta presença e proximidade e na defesa dos direitos dos excluídos encontra-se a fidelidade da Igreja a Jesus Cristo. O encontro com Jesus Cristo através dos pobres é uma dimensão constitutiva de nossa fé em Jesus Cristo. Da contemplação do rosto sofredor de Cristo neles e do encontro com Ele nos aflitos e marginalizados, cuja imensa dignidade Ele mesmo nos revela, surge nossa opção por eles. A mesma união a Jesus Cristo é a que nos faz amigos dos pobres e solidários com seu destino." (DAp 257).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Ó Deus,
      Pai de todos os povos,
      Vós que nos abraçais
      Com a ternura de uma mãe,
      Ouvi o clamor
      Das multidões do mundo inteiro
      Desejosas de vos conhecer
      E vos amar.
      Ensinai-nos a vos servir,
      E a partilha da fé
      E dos bens,
      Que vós mesmos nos destes.
      Amém.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou assumir uma atitude de prontidão e atenção às manifestações de Deus.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      O Reino de Deus é dom.

      Já temos observado, mas vale insistir: mais do que outros evangelistas, Lucas insiste no tema do “atraso da parusia”. Esse tema está na motivação de várias parábolas de Jesus. A ideia de que a segunda vinda do Senhor seria iminente e a frustração da não realização do que eles pensavam ser essa segunda vinda de Jesus, geraram certo clima de ceticismo, comodismo e laxismo na prática dos valores evangélicos na comunidade cristã primitiva. Certamente, é essa situação que subjaz à insistência sobre a necessidade de vigilância, pois a vinda do Senhor tem um caráter de surpresa e imprevisibilidade. O Reino de Deus é dom. Daí que ninguém pode tirá-lo ou se apropriar dele como seu. Jesus exorta a comunidade dos discípulos a não se dispersar e a tomar cuidado para não ser assimilada pelos bens terrenos, mas a se manter fiel à sua vocação e à sua busca incessante do Reino de Deus, a partir do qual tudo adquire valor. Essa busca exige vigilância e discernimento, e, como toda busca, empenho para usar os meios adequados para, uma vez encontrada a vontade de Deus, realizá-la. A imprevisibilidade da vinda do Senhor exige vigilância, isto é, não se deixar adormecer pelas preocupações mundanas. É essa atitude de atenção ao que é de Deus que permite, com a graça do Senhor, ser testemunha viva de Cristo.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, leva-me a tomar consciência de que muito será exigido de mim, pois muito me foi dado. Que minha vida seja compatível com minha condição de discípulo do teu Reino.

      Excluir
  59. "Vim trazer fogo" - Lc 12,49-53

    “Fogo eu vim lançar sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! Um batismo eu devo receber, e como estou ansioso até que isto se cumpra! Pensais que eu vim trazer a paz à terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão. Pois daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; ficarão divididos: pai contra filho e filho contra pai; mãe contra filha e filha contra mãe; sogra conta nora e nora contra sogra.”

    Saudação
    - A nós, nos encontramos neste momento, neste espaço virtual, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria
    de Nosso Senhor Jesus Cristo,
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Oração ao Espírito Santo
    Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho,
    tu estás em mim,
    falas em mim,
    rezas em mim,
    ages em mim.
    Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra,
    à tua oração,
    à tua ação em mim
    para que eu possa conhecer
    o mistério da vontade do Pai. Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto, na minha Bíblia: Lc 12,49-53, e escuto as palavras de Jesus Mestre.

    Jesus fala que veio “pôr fogo na terra” e que “tem de receber um batismo”. Fala de divisão dentro da família. O Reino que ele anuncia cria rupturas. Jesus gostaria que o Reino fosse aceso. Mas, sua proposta não é aceita por todos. As pessoas podem ignorá-la e até, rejeitá-la. Diante de Jesus as pessoas deverão tomar posição. O batismo pelo qual Jesus diz que está aflito trata-se de sua Paixão e Morte e Ressurreição.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Qual palavra mais me toca o coração?
    O que o texto me diz no momento? Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições?

    Os bispos, em Aparecida, recordaram que Deus nos resgata e sempre nos dá chance para assumir o Reino: "Reconhecemos que, ocasionalmente, alguns católicos se têm afastado do Evangelho, o qual requer um estilo de vida mais simples, austero e solidário, mais fiel à verdade e à caridade, como também nos tem faltado valentia, persistência e docilidade à graça de prosseguir, fiel à Igreja de sempre, a renovação iniciada pelo Concílio Vaticano II, impulsionada pelas Conferências Gerais anteriores, e para assegurar o rosto latino-americano e caribenho de nossa Igreja. Reconhecemo-nos como comunidade de pobres pecadores, mendicantes da misericórdia de Deus, congregada, reconciliada, unida e enviada pela força da Ressurreição de seu Filho e pela graça de conversão do Espírito Santo." (DAp 100h).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus? Rezo a Oração a Santo Antonio de Sant'Anna Galvão
      Deus de amor, fonte de todas as luzes, que cumulastes de bênçãos o vosso Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, nós vos adoramos e glorificamos, e vos agradecemos, porque nele fizestes maravilhas.
      Ó Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, rogai por nós junto a Maria, para que obtenhamos do Pai Celeste
      a vida plena no amor da Santíssima Trindade. Amém!

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Faço uma verdadeira opção por Jesus Cristo e seu Evangelho.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      É preciso liberdade e desapego.

      Jesus não promove a guerra nem tampouco a destruição. A linguagem do evangelho, muitas vezes enigmática para o homem moderno, precisa ser decodificada para fazer emergir o seu sentido. “Fogo” (v. 49) refere-se ao Batismo de Jesus (Lc 3,16).
      No texto do Batismo o termo “fogo” é utilizado para explicar a natureza da ação do Espírito Santo, a saber, purificação e julgamento. A morte de Jesus é também considerada como um fogo (v. 50) que dividirá e dispersará os seus próprios discípulos. Na morte de Jesus, os homens serão julgados e eles mesmos reconhecerão a sua iniquidade (Lc 23,48).
      A lealdade a Jesus está acima de qualquer compromisso humano com a defesa de interesses particulares, escondidos, muitas vezes, atrás do argumento da defesa de Deus. Jesus não promove a guerra nem a discórdia. Os que o rejeitam é que perseguem os que o aceitam. É preciso que o discípulo tenha consciência de que os laços afetivos verdadeiros, construídos no amor e tão caros para a saúde da humanidade, não podem ser impedimento, nem servir de coação, ao seguimento de Cristo e a uma vida segundo o Espírito, para quem, livremente, adere à vocação cristã.
      É preciso liberdade e desapego. Carlos Alberto Conteiri, sj

      Oração
      Pai, que o batismo de Jesus, por sua morte de cruz, purifique-me de todo pecado e de toda maldade, como um fogo ardente, abrindo o meu coração totalmente para ti.

      Excluir
  60. Os sinais dos tempos - Lc 12,54-59

    Jesus dizia também às multidões: “Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. Quando sentis soprar o vento sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. Hipócritas! Sabeis avaliar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis avaliar o tempo presente? Por que não julgais por vós mesmos o que é justo? Quando, pois, tu vais com o teu adversário apresentar-te diante do magistrado, procura resolver o caso com ele enquanto estais a caminho. Senão ele te levará ao juiz, o juiz te entregará ao guarda, e o guarda te jogará na cadeia. Eu te digo: daí tu não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.

    A nós todos que navegamos por este espaço virtual, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Levanto-me, neste dia que amanhece, Por uma grande força da Santíssima Trindade, Pela força de Deus a me sustentar, a me amparar, a me guiar, a vigiar meu caminho, a me escutar, a me falar, a me guardar, à minha frente, Pelo escudo de Deus que me protege. Cristo comigo, à minha frente, atrás de mim, em mim, embaixo de mim, acima, à minha direita, à minha esquerda, ao me deitar, ao me sentar, ao me levantar, no coração de todos os que pensarem em mim, na boca de todos que falarem em mim, em todos os olhos que me virem, em todos os ouvidos que me ouvirem. Levanto-me, neste dia que amanhece, Por uma grande força da Santíssima Trindade.
    (São Patrício, séc. V)

    O que diz o texto do dia?
    Leio, atentamente, o texto, na Bíblia: Lc 12,54-59, e observo as palavras de Jesus ao povo.

    Jesus faz alusão à experiência dos lavradores que de acordo com o tempo distinguem se vai chover, fazer calor. Da mesma forma o tempo histórico tem seus sinais. Aqueles que sabem distinguir as intempéries e não sabem ler os sinais da sua época, com referência ao transcendente, são hipócritas. Jesus está ali, no meio deles, demonstra com inúmeros sinais o Reino de Deus e muitos ignoram, fecham os olhos e os ouvidos à verdade revelada. Ouvem, mas não escutam, vêem e não enxergam. O exemplo da acusação perante o tribunal é um convite à reconciliação enquanto é tempo.

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo.

    Os bispos, na Conferência de Aparecida fizeram esta reflexão: “Jesus, o Bom Pastor, quer nos comunicar a sua vida e se colocar a serviço da vida. Vemos como ele se aproxima do cego no caminho (cf. Mc 10,46-52), quando dignifica a samaritana (cf. Jo 4,7-26), quando cura os enfermos (cf. Mt 11,2-6), quando alimenta o povo faminto (cf. Mc 6,30-44), quando liberta os endemoninhados (cf. Mc 5,1-20). Em seu Reino de vida Jesus inclui a todos: come e bebe com os pecadores (cf. Mc 2,16), sem se importar que o tratem como comilão e bêbado (cf. Mt 11,19); toca leprosos (cf. Lc 5,13), deixa que uma prostituta unja seus pés (cf. Lc 7,36-50) e, de noite, recebe Nicodemos para convidá-lo a nascer de novo (cf. Jo 3,1-15). Igualmente, convida a seus discípulos à reconciliação (cf. Mt 5,24), ao amor pelos inimigos (cf. Mt 5,44) e a optarem pelos mais pobres (cf. Lc 14,15-24).” (DAp 353).
    Minha vida reflete o que o texto diz? Prefiro não ouvir ou perceber as propostas e apelos de Deus? Fico adiando a minha reconciliação com Deus? Tenho inúmeros argumentos para “deixar pra depois”?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rezo com toda a Igreja a
      Oração a Santo Antônio de Sant’Anna Galvão
      Deus de amor, fonte de todas as luzes, que cumulastes de bênçãos o vosso Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, nós vos adoramos e glorificamos, e vos agradecemos, porque nele fizestes maravilhas.
      Ó Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, rogai por nós junto a Maria, para que obtenhamos do Pai Celeste
      a vida plena no amor da Santíssima Trindade. Amém!

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
      Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      A fé cristã é iluminação.

      A fé cristã é iluminação. Como tal, ela exige discernimento, saber distinguir o que é de Deus do que não é. Os sinais de Deus estão mesclados com outros tantos sinais, por isso a necessidade de uma atitude espiritual que busque compreender o tempo em que se está. Na pessoa mesma de Jesus é que se realiza o “hoje” da salvação (Lc 4,21). A crítica que Jesus faz, dirigindo-se às multidões, tem como tema a dificuldade dos seus contemporâneos, e dos homens de todos os tempos, de reconhecer a graça do tempo presente, pois os sinais do “novo céu e da nova terra” já irromperam em meio às vicissitudes do tempo, pela encarnação do Filho unigênito de Deus, e chegarão à luz com o clarão da ressurreição do Senhor.

      Esse novo tempo, que é preciso discernir e compreender, é tempo de reconciliação; para tal são necessários iniciativa e esforço (v. 58). É fundamental renunciar à hipocrisia, pois o novo tempo, o tempo da salvação, o tempo do testemunho, engaja integralmente o discípulo no testemunho de Cristo. É preciso superar a pura aparência e fazer a Páscoa do exterior ao interior, ou seja, da aparência a uma profunda e verdadeira conversão.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, corrige a negligência que me impede de entregar-me inteiramente a ti, sem demora. Torna-me hábil para as coisas do teu Reino!

      Excluir
  61. Jesus resgata a dignidade e integridade das pessoas - Lc 13,10-17

    Jesus estava ensinando numa sinagoga, num dia de sábado. Havia aí uma mulher que, fazia dezoito anos, estava com um espírito que a tornava doente. Era encurvada e totalmente incapaz de olhar para cima. Vendo-a, Jesus a chamou e lhe disse: “Mulher, estás livre da tua doença”. Ele impôs as mãos sobre ela, que imediatamente se endireitou e começou a louvar a Deus. O chefe da sinagoga, porém, furioso porque Jesus tinha feito uma cura em dia de sábado E, tomando a palavra, começou a dizer à multidão: “Existem seis dias para trabalhar. Vinde, então, nesses dias para serdes curados, mas não em dia de sábado.” O Senhor lhe respondeu: “Hipócritas! Cada um de vós não solta do curral o boi ou o jumento, para dar-lhe de beber, mesmo que seja dia de sábado? Esta filha de Abraão não devia ser libertada dessa prisão, mesmo em dia de sábado?” Esta resposta envergonhou todos os inimigos de Jesus. E a multidão inteira se alegrava com as maravilhas que ele fazia.

    A nós, reunidos pela grande rede da internet, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
    no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Jesus Mestre, que dissestes:
    "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles", ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra. Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa.(Bv. Alberione)

    O que diz o texto do dia?

    Jesus ensinava na sinagoga, num dia de sábado. Ali chegou aquela mulher, imagem viva do ser humano oprimido: encurvada, como se carregasse um enorme fardo nas costas. Carregava, na verdade, duplo fardo: o fato de ser mulher e doente há dezoito anos. Sua presença não passou despercebida ao Mestre. Ele a chamou. E sem precisar ser solicitado, ele a libertou. O chefe da sinagoga ficou zangado e argumentou que no sábado não podia acontecer a cura.
    E então? O que devia prevalecer: a lei que proibia curar no sábado ou Jesus que veio para salvar, curar? Jesus dá a resposta chamando a esta reação de legalismo hipócrita. E fala do boi e do jumento que são “desamarrados” em dia de sábado para beber água. Se é assim, por que não se pode “desamarrar” a mulher de sua doença? O evangelista Lucas diz que os inimigos de Jesus ficaram envergonhados.

    Lembre-se de outros textos do Evangelho em que Jesus cura, liberta, salva. Por exemplo:
    (Lc 9,11)

    "Jesus foi a Cafarnaum, cidade da Galileia (...). Na sinagoga havia um homem possuído pelo espírito de um demônio mau(Lc 4,31-37)

    O que o texto diz para mim, hoje? O que mais me toca o coração?

    De que lado estou: do lado de Jesus que é sensível ao sofrimento dos mais fracos, do lado da mulher, do chefe da sinagoga? É verdade que algumas vezes somos legalistas não querendo nos deixar incomodar por algo diferente que pode acontecer, por uma pessoa que não pensa como nós, por um horário que muda, um atraso que acontece, uma criança que chora, uma palavra mais forte dita pelo pregador, um ruído do microfone, ou algo que não ouvimos bem, nem entendemos. Tantos imprevistos nos incomodam. Nos irritamos quando nossa rotina nos desinstala, ainda mais se é para atender alguém que não nos é muito simpático....
    Ajuda-nos a refletir a palavra dos bispos: “Os desejos de vida, de paz, de fraternidade e de felicidade não encontram resposta em meios aos ídolos do lucro e da eficácia, da insensibilidade diante do sofrimento alheio, dos ataques à vida intra-uterina, a mortalidade infantil, a deterioração de alguns hospitais e todas as modalidade de violência contra crianças, jovens, homens e mulheres. Isto sublinha a importância da luta pela vida e pela dignidade e integridade da pessoa humana. A defesa fundamental da dignidade e destes valores começa na família.” (DAp 468).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus? Rezo com a Canção Para Meu Deus
      Pe. Zezinho
      O orvalho da manhã criança
      Me fala do meu Deus
      O cantar da brisa mansa
      Me fala do meu Deus
      O pássaro que canta e trina
      Me fala do meu Deus
      Minha vida uma canção ensina
      A canção que eu fiz para meu Deus
      CD Canção para meu Deus, Pe. Zezinho, scj

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
      Vou eliminar do meu modo de pensar e agir todo legalismo, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Deus quis que a memória das feridas e sofrimentos impedisse o povo de perder a humanidade.

      A cura da mulher curvada em dia de sábado, na sinagoga, é ocasião para discussão sobre o descanso sabático. A cura da mulher é dita com os verbos no passivo; trata-se do passivo divino, o que indica que Jesus e, com ele, o narrador do evangelho vêm na cura a obra de Deus. A reação da mulher, que se põe a glorificar a Deus, mostra que ela interpreta o acontecimento da mesma maneira. A menção ao longo período da enfermidade da qual a mulher sofria e o imediatismo de sua cura visam mostrar o poder da palavra de Jesus e revelam que ele é verdadeiro profeta, homem poderoso em gestos e palavras. A causa da fúria do chefe da sinagoga é o fato de Jesus ter realizado a cura no dia de sábado. No entanto, não é a Jesus que ele se dirige, mas à multidão. Com isso, o narrador quer mostrar a hipocrisia dele. Jesus ensina a verdadeira finalidade do repouso sabático: libertando Israel da casa da servidão, Deus quis que a memória das feridas e sofrimentos impedisse o povo de perder a humanidade, outro nome da bondade. Por isso, Jesus disse que era preciso que fosse curada em dia de sábado.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, que eu saiba dar ao amor ao próximo a devida primazia, não submetendo este mandamento a preceitos secundários que me impedem de descobrir a tua verdadeira vontade.

      Excluir
  62. Jesus escolhe os doze apóstolos - Lc 6,12-19

    Naqueles dias, Jesus foi à montanha para orar. Passou a noite toda em oração a Deus. Ao amanhecer, chamou os discípulos e escolheu doze entre eles, aos quais deu o nome de apóstolos Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; Mateus e Tomé; Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor. Jesus desceu com eles da montanha e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e uma grande multidão de gente de toda a Judéia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. Vieram para ouvi-lo e serem curados de suas doenças. Também os atormentados por espíritos impuros eram curados. A multidão toda tentava tocar nele, porque dele saía uma força que curava a todos.

    Preparo-me para a Leitura, rezando:
    Oração ao Espírito Santo
    Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim. Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra, à tua oração, à tua ação em mim para que eu possa conhecer o mistério da vontade do Pai. Amém.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na minha Bíblia, o texto: Lc 6,12-19 e observo pessoas e as atitudes de Jesus.

    Lucas registra a oração de Jesus durante toda a noite. Afasta-se da multidão e dos opositores hostis, subindo à montanha para a oração. De manhã, chama seus discípulos escolhendo entre eles doze a quem chamou apóstolos. Jesus não chamou para seu grupo os mais preparados do seu tempo, mas, os mais disponíveis. Chamou simples pescadores – Pedro, André, Tiago, João. Chamou o cobrador de impostos. Chamou gente simples. Não significa que discriminou. Apenas, significa que o coração mais simples está livre de muitas preocupações e têm espaço para acolher. E os chamados receberam a missão de enviados – “apóstolos” - para anunciar o Reino, expulsar os espíritos maus e curar todas as doenças, uma missão de libertar as pessoas de todos os males.

    Outros textos bíblicos nos falam do chamado: "Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem dos que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o projeto dele" (Rm 8,28).
    " Deus os torne dignos do chamado que lhes dirigiu" (2Ts 1,11).
    "Eu, prisioneiro no Senhor, peço que vocês se comportem de modo digno da vocação que receberam. Sejam humildes, amáveis, pacientes e suportem-se uns aos outros no amor.Mantenham entre vocês laços de paz, para conservar a unidade do Espírito. " (Ef 4,1-3).
    " Ele nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não por causa de nossas obras, mas conforme seu próprio projeto e graça." (2 Tm 1,9).

    O que o texto diz para mim, hoje?
    O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo? Pelo Batismo recebi a missão de discípulo e de missionário de Jesus. Os bispos da América Latina disseram em Aparecida: “Para não cair na armadilha de nos fechar em nós mesmos, devemos nos formar como discípulos missionários sem fronteiras, dispostos a ir “à outra margem”, àquela na qual Cristo não é ainda reconhecido como Deus e Senhor, e a Igreja não está presente”. (DAp 376). Cristo me chama também pelo nome. Como é a minha disponibilidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo:
      Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste
      em conhecer a ti e ao Pai.
      Derrama sobre nós, a abundância
      do Espírito Santo!
      Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento,
      porque és o único caminho para o Pai.
      Faze-nos crescer no teu amor,
      para que sejamos, como o apóstolo Paulo
      testemunhas vivas do teu Evangelho.
      Com Maria,
      Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos,
      guardaremos tua Palavra,
      meditando-a no coração.
      Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.
      (Bem-aventurado Alberione)

      Contemplação (Vida e Missão)
      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou demonstrar pela vida que caminho com Jesus Mestre para anunciar onde vivo, trabalho, estudo; por onde passo deixo os sinais da proposta de Jesus Cristo.
      Uma palavra pode me ajudar a refletir durante o dia: "Jesus chamou seus discípulos".

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. É na oração de Jesus que é concebida a escolha dos Doze .

      O chamado dos Doze não aconteceu de uma só vez. É por isso que, no evangelho, temos três relatos da vocação dos primeiros discípulos: o primeiro, junto ao mar da Galileia, o segundo sobre a montanha e, ainda, o chamado de Levi, sentado na coletoria de impostos. Que tenha constituído um grupo de doze apóstolos revela a intenção de significar com isso o novo Israel ou, se preferirem, o Israel transfigurado. Segundo o nosso relato, a escolha dos Doze é fruto de uma revelação e eleição divinas. A montanha é o lugar do encontro e da revelação de Deus (Ex 3,1-6.13-15) e da revelação dos desígnios de Deus (Ex 3,6-12).
      É na oração de Jesus que é concebida a escolha dos Doze entre os discípulos. O autor do relato já conhece o desfecho da história terrestre de Jesus, por isso ao nome de Judas ele acrescenta o motivo do seu mal: traiu Jesus, entregando-o nas mãos dos chefes do povo. Descendo da montanha com os Doze e os demais discípulos, Jesus se depara com a carência e a miséria da multidão que o espera.

      Todos queriam tocá-lo, pois dele saía uma força que curava a todos. Não se trata de magia ou coisa do gênero, mas da comunicação do Espírito Santo pelo qual o ser humano é santificado.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, transforma-me em apóstolo de teu Filho Jesus para que, movido pelo Espírito, eu possa ser sinal da presença dele neste mundo tão carente de salvação.

      Excluir
  63. Não é fácil entrar pela porta estreita - Lc 13,22-30

    Jesus atravessava cidades e povoados,ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém.Alguém lhe perguntou:"Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?" Jesus respondeu: "Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão. Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós, do lado de fora, começareis a bater, dizendo: "Senhor, abre-nos a porta!" Ele responderá: "Não sei de onde sois. "Então começareis a dizer: "Nós comemos e bebemos diante de ti,e tu ensinaste em nossas praças!" Ele, porém, responderá: "Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça! Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas no Reino de Deus, e vós, porém, sendo lançados fora. Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. E assim há últimos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos."

    Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os que se encontram neste espaço de oração:

    Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
    Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.Trindade Santíssima
    - Pai, Filho, Espírito Santo - presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
    Eu vos adoro, amo e agradeço.

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente o texto na Bíblia: Lc 13,22-30 - A porta estreita

    A vida cristã não é possível para pessoas acomodadas e medíocres. É exigente. Jesus diz isto quando nos fala da porta estreita como caminho para a vida. Porta estreita é renunciar a algo que me parece prazeroso, mas de consequências negativas que podem prejudicar a mim ou a outras pessoas. Porta estreita pode ser fechar-me a propostas fascinantes mas que não são transparentes, ocultando corrupção, desvios, más intenções. Porta estreita pode ser renunciar a querer apenas me beneficiar, excluindo outras pessoas de participar de bens que Deus concedeu a todos. Porta estreita é manter-me em silêncio para não criticar nem julgar as pessoas com quem convivo. Jesus não fala de uma grande avenida. Ele próprio é o Caminho. Olhemos para sua prática e aprenderemos por onde devemos passar. Não mudemos de Caminho para não corrermos o risco de perder o endereço e assim, também nós nos perdermos. Nem nos deixemos fascinar pelas portas amplas e escancaradas. Elas podem ser atraentes, mas nos conduzir ao engano e não, a Deus.
    Também Mateus fala da porta estreita. Veja: «Entrem pela porta estreita, porque é larga a porta e espaçoso o caminho que levam para a perdição, e são muitos os que entram por ela! Como é estreita a porta e apertado o caminho que levam para a vida, e são poucos os que a encontram!»

    «Cuidado com os falsos profetas: eles vêm a vocês vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes. Vocês os conhecerão pelos frutos deles: por acaso se colhem uvas de espinheiros ou figos de urtigas? " (Mt 7,13-16)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto diz para mim, hoje?

      Fala-me Jesus de atitudes cristãs que deve assumir qualquer pessoa que é batizada, entre elas, eu. Nada de mediocridade.Seguir Jesus Cristo implica também a cruz. Os bispos, na V Conferência disseram: “Hoje se considera escolher entre caminhos que conduzem à vida ou caminhos que conduzem à morte (cf. Dt 30.15). Caminhos de morte são os que levam a dilapidar os bens que recebemos de Deus através daqueles que nos precederam na fé. São caminhos que traçam uma cultura sem Deus e sem seus mandamentos ou inclusive contra Deus, animada pelos ídolos do poder, da riqueza e do prazer efêmero, a qual termina sendo uma cultura contra o ser humano e contra o bem dos povos latino-americanos. Os caminhos de vida verdadeira e plena para todos, caminhos de vida eterna, são aqueles abertos pela fé que conduzem à “plenitude de vida que Cristo nos trouxe: com esta vida divina, também se desenvolve em plenitude a existência humana, em sua dimensão pessoal, familiar, social e cultural”. Essa é a vida que Deus nos participa por seu amor gratuito, porque “é o amor que dá a vida”. Estes caminhos frutificam nos dons de verdade e de amor que nos foram dados em Cristo, na comunhão dos discípulos e missionários do Senhor” (DAp 13).

      O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Rezo, espontaneamente, e, se for pela manhã, faço a:
      Oração da manhã
      Senhor, nós te agradecemos por este dia.
      Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas
      Entrar com tua luz.
      Queremos que tu Senhor, definas os contornos de
      Nossos caminhos,
      As cores de nossas palavras e gestos,
      A dimensão de nossos projetos,
      O calor de nossos relacionamentos e o
      Rumo de nossa vida.
      Podes entrar, Senhor em nossas famílias.
      Precisamos do ar puro de tua verdade.
      Precisamos de tua mão libertadora para abrir
      Compartimentos fechados.
      Precisamos de tua beleza para amenizar
      Nossa dureza.
      Precisamos de tua paz para nossos conflitos.
      Precisamos de teu contato para curar feridas.
      Precisamos, sobretudo, Senhor, de tua presença
      Para aprendermos a partilhar e abençoar!

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Meu novo olhar é atento aos ensinamentos de Jesus, à discernir no meu dia para escolher entre as portas que se abrirem, a porta estreita.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Excluir
    2. É por Jesus que se alcança a salvação.

      A pergunta do anônimo é sobre o número dos que se salvam, com a consequente exclusão de outros. Aos discípulos, conscientes desse dom, de viverem essa graça por uma vida coerente com o dom recebido. A consciência desse dom se exprime pelo esforço de “entrar pela porta estreita”. Essa porta se opõe à iniquidade. No evangelho segundo João, Jesus se diz “a porta das ovelhas” (Jo 10,7.9). É por Jesus que se alcança a salvação. Toda a vida terrestre de Jesus, incluída sua paixão e morte, e sua vida gloriosa é que abrem para os fiéis a porta que dá acesso ao Reino de Deus. Os que praticam a iniquidade são aqueles que resistem em fazer a vontade de Deus; os que, pela dureza do coração, não reconhecem Jesus como enviado do Pai, rejeitam a sua mensagem e, por isso, perseguem Jesus. Deus não faz distinção de pessoas, por esse motivo, a humanidade inteira é destinatária da salvação oferecida por Deus em Jesus Cristo. Os que por primeiro foram chamados, uma referência aos membros do povo eleito de Deus, são os que resistem a participar do banquete do Cordeiro. Mas os últimos, referência aos pagãos, têm lugar assegurado, desde que aceitem a condição de que no Reino se entra pela porta estreita.
      Carlos Alberto Contieri, sj

      Oração
      Pai, conduze-me pelo verdadeiro caminho da salvação que passa pelo serviço misericordioso e gratuito a quem carece de meu amor.

      Excluir
  64. Jerusalém, Jerusalém!!! - Lc 13,31-35

    Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disseram a Jesus: “Sai daqui, porque Herodes quer te matar”. Ele disse: “Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia chegarei ao termo. Entretanto, preciso caminhar hoje, amanhã e depois de amanhã, pois não convém que um profeta morra fora de Jerusalém. Jerusalém,Jerusalém! Tu que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintainhos debaixo das asas, mas tu não quiseste! Eis que vossa casa ficará abandonada. Eu vos digo: não mais me vereis, até que chegue o tempo em que digais: ‘Bendito aquele que vem em nome do Senhor’”.

    A nós todos, unidos na rede virtual, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
    - Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

    O que diz o texto do dia?
    Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 13,31-35, e observo o diálogo de Jesus com os fariseus.

    A atitude dos fariseus pedindo a Jesus que vá embora porque Herodes quer matá-lo é atitude de quem quer intimidá-lo. O Mestre não admite este tipo de intimidação. E diz que embora, Herodes seja uma autoridade, é um “animalzinho”, uma raposa. Como a raposa está sempre à espreita de sua presa, mas isto não provoca a fuga de Jesus, como provocou o outro Herodes quando ele era bebê indefeso. Jesus tem clara a sua missão e nada o fará desistir. Morrerá quando a Deus aprouver. Os poderes humanos podem executar sem o saber os planos de Deus, mas não podem impedi-lo. Dirigindo-se a Jerusalém, o Mestre lamenta sua resistência a Deus, matando os profetas. A imagem da galinha ajuntando os pintinhos debaixo de suas asas é a imagem de Deus que quer proteger o seu povo. Mas, Jerusalém matou os profetas e matou Jesus. “A casa ficará completamente abandonada”, não porque O Messias a abandonou, mas porque ela não o acolheu.
    Em outros textos lemos: "Jesus dizia para eles que um profeta só não é estimado em sua própria pátria, entre seus parentes e em sua família. E Jesus não pôde fazer milagres em Nazaré." (Mc 4,4-5).
    " Mas o próprio Jesus tinha declarado: «Um profeta nunca é bem recebido em sua própria terra.» (Jo 4,44).

    O que o texto diz para mim, hoje?
    Hoje também há profetas, apóstolos e o próprio Jesus que se faz presente em nosso meio. Como os acolho?

    Como são acolhidos pela sociedade, pela comunidade?
    Há hoje pessoas que manipulam a verdade? E eu sou coerente com a verdade?
    Vejo o que os bispos falaram na Conferência de Aparecida:
    “Os fiéis leigos são “os cristãos que estão incorporados a Cristo pelo batismo, que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei. Eles realizam, segundo sua condição, a missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo”. São “homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja”. Sua missão própria e específica se realiza no mundo, de tal modo que, com seu testemunho e sua atividade, eles contribuam para a transformação das realidades e para a criação de estruturas justas segundo os critérios do Evangelho. “O espaço próprio de sua atividade evangelizadora é o mundo vasto e complexo da política, da realidade social e da economia, como também o da cultura, das ciências e das artes, da vida internacional, dos ‘mass media’, e outras realidades abertas à evangelização, como são o amor, a família, a educação das crianças e adolescentes, o trabalho profissional e o sofrimento”. Além disso, eles tem o dever de fazer crível a fé que professam, mostrando a autenticidade e coerência em sua conduta.” (DAp 209-21)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que o texto me leva a dizer a Deus?
      Faço, num breve momento de silêncio, minha oração pessoal e depois, rezo com toda Igreja a
      Oração de São Francisco de Assis
      Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
      Onde houver ódio, que eu leve o amor;
      Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
      Onde houver discórdia, que eu leve a união;
      Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
      Onde houver erro, que eu leve a verdade;
      Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
      Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
      Onde houver trevas, que eu leve a luz.

      Ó Mestre, fazei que eu procure mais
      consolar, que ser consolado;
      compreender, que ser compreendido;
      amar, que ser amado.
      Pois, é dando que se recebe,
      é perdoando que se é perdoado,
      e é morrendo que se vive para a vida eterna.

      Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
      Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Não me permitirei falsificar a verdade, mascará-la ou diminuí-la.Palavra para recordar durante o dia: ser profeta.

      Bênção
      - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
      - Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
      - Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
      - Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

      Reconhecer o tempo da visita de Deus.

      Por que razão Herodes quereria matar Jesus? O texto não nos diz. Talvez seja uma estratégia dos fariseus para, amedrontando Jesus, dissuadi-lo de continuar o seu caminho para Jerusalém. O certo é que, para um bom número de fariseus, entre outros, a morte de Jesus seria um benefício para todo o povo e para a religião de Israel (cf. Lc 11,53-54). Jesus mesmo exorta os discípulos a não temerem os que matam o corpo (Lc 12,4). Como ele temeria a própria morte? Nenhum tipo de ameaça é capaz de demover Jesus de prosseguir o seu caminho. Essa firme decisão está presente já no episódio da sinagoga de Nazaré, quando seus conterrâneos queriam precipitá-lo morro abaixo. O narrador observa que, “passando pelo meio deles Jesus prosseguia o seu caminho” (Lc 4,30). Essa rejeição de Israel à mensagem salvífica de Deus vai ser levada a termo na condenação injusta e morte de Jesus na cruz. O que Deus não fez para que Israel acreditasse no seu amor e se sentisse protegida e conduzida por Ele? Não há o que Deus não tenha feito. A surpresa de Deus sempre os pegou desprevenidos e desatentos aos si